Nova multa do FAROL impõe multa de R$ 130,16; cuidado para não ser pego de surpresa

As recentes mudanças na legislação de trânsito incluem novas regras para o uso do farol baixo, aplicação de películas nos vidros, atualizações nas categorias da CNH e mais. Confira.

Os motoristas precisam se atualizar sobre importantes alterações na legislação de trânsito

Estas novidades, que abrangem desde o uso obrigatório do farol baixo em determinadas condições até a instalação de películas nos vidros dos veículos, têm implicações diretas na rotina de quem pega a estrada. 

Este artigo visa esclarecer as principais novidades na legislação, garantindo que sua viagem seja não apenas prazerosa, mas também em conformidade com as regras vigentes, evitando surpresas desagradáveis com multas ou infrações.

Nova multa do FAROL impõe multa de R$ 130,16; cuidado para não ser pego de surpresa
Tudo sobre a nova regra do CTB – Crédito: @jeanedeoliveirafotografia / pronatec.pro.br

Uso do farol baixo durante o dia; entenda o que está em jogo

Desde 2016, acender o farol baixo em rodovias durante o dia era obrigatório. Contudo, a lei 14.071/2020 trouxe mudanças significativas. 

Agora, veículos equipados com DRL (luz de condução diurna) estão isentos dessa obrigatoriedade em qualquer rodovia. 

Aqueles sem DRL devem manter os faróis acesos em rodovias de pista simples fora dos perímetros urbanos. Infringir essa regra resulta em multa e pontos na CNH.

Novidades no uso de insulfilm

As normas para aplicação de películas nos vidros dos veículos também foram atualizadas. 

A principal mudança é a proibição de películas com bolhas nos parabrisas e vidros laterais dianteiros. 

Além disso, a transmitância luminosa mínima agora é unificada em 70%, independentemente da cor da película. Veículos que descumprirem essas especificações estão sujeitos a multas e retenção para regularização.

Categorias da cnh e novos códigos

A CNH apresenta uma tabela com novas categorias, totalizando 13 modalidades. Essas alterações seguem um padrão internacional, visando facilitar a fiscalização por agentes de trânsito estrangeiros. 

As cinco categorias principais permanecem, mas com inclusão de subcategorias para uma identificação mais precisa das habilitações dos condutores.

Conversão à direita no sinal vermelho

Uma inovação bem-vinda é a permissão para conversão à direita em semáforos vermelhos, desde que haja sinalização específica permitindo o movimento. 

Essa medida, embora já adotada por vários municípios, ainda gera confusão entre os motoristas, destacando a importância da clareza na sinalização.

Veja também: FIM das autoescolas, 14 novos tipos de categoria na CNH e o louvável fim do IPVA: entenda as 3 mudanças no Brasil!

Entenda o sistema da CNH

No sistema brasileiro de trânsito, cada infração cometida pelos condutores gera uma pontuação específica, que é registrada na Carteira Nacional de Habilitação (CNH). 

Essa pontuação varia de acordo com a gravidade da infração e é distribuída da seguinte maneira:

  • Infrações leves: geram 3 pontos na CNH do condutor. Exemplos incluem estacionar em local proibido ou utilizar o telefone celular enquanto dirige.
  • Infrações médias: resultam em 4 pontos na CNH. Exemplos incluem ultrapassagem em local não permitido ou estacionamento em fila dupla.
  • Infrações graves: geram 5 pontos na CNH do condutor. Exemplos incluem dirigir sem o cinto de segurança ou estacionar em vaga de idoso ou deficiente sem autorização.
  • Infrações gravíssimas: resultam em 7 pontos na CNH. Exemplos incluem dirigir sob efeito de álcool, ultrapassar o sinal vermelho ou participar de rachas.

É importante que os motoristas estejam cientes do número de pontos associados a cada tipo de infração, pois acumular um número elevado de pontos em um período de tempo pode resultar na suspensão. 

Portanto, respeitar as leis de trânsito e evitar infrações é essencial para manter a segurança viária e preservar a própria habilitação.

Veja também: Afinal, CNH grátis realmente existe? Entenda a possibilidade de conseguir a carteira de motorista sem pagar NADA hoje

Multas mais comuns do país

Você já se perguntou quais são as multas de trânsito mais recorrentes no Brasil? Entender e evitar essas infrações pode não só salvar seu bolso, mas também contribuir para um trânsito mais seguro para todos.

  • Excesso de Velocidade: Líder no ranking, ultrapassar o limite de velocidade é uma infração comum, mas totalmente evitável. Preste atenção às sinalizações e respeite os limites estabelecidos;
  • Estacionamento Irregular: Quem nunca teve a tentação de “dar uma paradinha rápida” em local proibido? Essa prática resulta em multas e até remoção do veículo. Sempre procure um lugar apropriado para estacionar;
  • Uso do Celular ao Dirigir: Com a tecnologia ao nosso alcance, a tentação de checar o celular é grande, mas lembre-se: a segurança vem em primeiro lugar. Use tecnologia hands-free se necessário e mantenha o foco na direção.

Evitar essas multas comuns não é apenas uma questão de obedecer à lei, mas também de respeitar a vida, tanto a sua quanto a dos outros usuários da via. Dirija com responsabilidade!

Multas mais esquisitas do CTB

O Código de Trânsito Brasileiro (CTB) está cheio de normas para garantir a segurança e a boa convivência nas vias, mas algumas multas podem surpreender até os motoristas mais experientes. Vamos a três das mais inusitadas:

  1. Dirigir sem Camisa: Isso mesmo! Dirigir sem camisa pode não só atrair olhares curiosos, mas também uma multa. O CTB busca garantir o máximo de segurança e atenção ao volante, incluindo o vestuário adequado.
  2. Usar Farol de Milha na Cidade: O uso inadequado do farol de milha ou neblina em ambientes urbanos pode ser considerado infração. Esses faróis são projetados para melhorar a visibilidade em condições adversas, mas seu uso indevido pode atrapalhar outros motoristas.
  3. Transportar Carga na Parte Externa do Carro: Salvo algumas exceções previstas em lei, transportar objetos de maneira inadequada ou que comprometam a visibilidade pode resultar em multa.

Essas regras, embora possam parecer peculiares, têm como objetivo a segurança no trânsito.

Como funcionam as multas no Brasil?

Você já se perguntou qual é o verdadeiro impacto das multas e pontos na sua carteira de motorista? Vamos mergulhar juntos nessa jornada e descobrir como essas penalidades podem afetar sua vida no trânsito.

O peso das multas

As multas de trânsito no Brasil variam consideravelmente, indo de infrações leves a gravíssimas. Dependendo da natureza da infração, o valor pode ser um leve toque no bolso ou um verdadeiro golpe nas suas finanças. Mas não se engane, o impacto vai além do financeiro.

Pontos que Pesam

Cada infração também acarreta pontos na carteira, que se acumulam por um período de 12 meses. Acumular 20 pontos ou mais pode levar à suspensão do direito de dirigir, impactando diretamente sua liberdade e rotina diária. Imagine só, a liberdade de ir e vir, agora condicionada a um cuidado redobrado ao volante.

Entender essas consequências é o primeiro passo para uma direção mais consciente e segura.

Conheça a multa mais cara de todo Brasil

Em 2024, a multa de trânsito mais cara do Brasil pode atingir o valor surpreendente de R$ 17.608,20, deixando muitos motoristas atônitos com o potencial prejuízo.

Essa penalidade, prevista no artigo 253-A do Código de Trânsito Brasileiro (CTB), é aplicada a condutores que utilizam seus veículos para bloquear deliberadamente a circulação na via pública sem autorização.

A infração, considerada gravíssima, envolve não apenas a multa, mas também a apreensão e remoção do veículo. Para os participantes do bloqueio, o prejuízo inicial é de R$ 5.869,40, valor que representa uma multa base multiplicada por 20.

Já para os organizadores do bloqueio, a punição salta para um fator multiplicador de 60, ultrapassando os R$ 17 mil.

Em caso de reincidência dentro de 12 meses, a multa é dobrada, evidenciando a severidade das consequências para tais atos de obstrução viária.

Oportunidade para receber desconto de 20 no IPVA

O prazo para pagamento em cota única do IPVA 2024, com 20% de desconto, encerra no dia 15 de março em Santana. Essa é uma excelente oportunidade para os proprietários de veículos automotores regularizarem seus débitos e economizarem.

Além da opção de pagamento à vista, o imposto pode ser parcelado em até seis vezes, mas o primeiro boleto também vence no dia 15 de março. O DETRAN informa que mais de 75 mil proprietários já aproveitaram essa chance.

A fiscalização dos veículos começa no dia 1º de setembro. Para consultar os valores e emitir o boleto, é necessário acessar o site do órgão, procurar pela opção de consulta de veículos e preencher com os dados da placa e do RENAVAM. Não perca a chance de regularizar seu veículo com desconto!