Mora sozinho? Veja quais os requisitos para receber o Bolsa Família e SOLICITE

O Bolsa Família é destinado a famílias em situação de pobreza ou extrema pobreza, com prioridade para aquelas com crianças, adolescentes, gestantes ou lactantes.

O Bolsa Família representa um marco na política social brasileira, focado em combater a pobreza e a fome. Seu objetivo é garantir direitos básicos como alimentação, saúde e educação. 

Com critérios específicos de elegibilidade, busca alcançar quem mais precisa. O compromisso do programa é ser inclusivo e responder às dinâmicas sociais variadas. 

O Bolsa Família é, assim, uma ferramenta vital para o desenvolvimento social e econômico do país, promovendo igualdade de oportunidades.

Mora sozinho Veja quais os requisitos para receber o Bolsa Família e SOLICITE
Confira as regras do Bolsa Família para quem mora sozinho – Crédito: @jeanedeoliveirafotografia / pronatec.pro.br

Bolsa Família para quem mora sozinho: saiba quanto e como receber com o CadÚnico

Em um movimento para ampliar o alcance de suas políticas sociais, o Bolsa Família introduziu novas diretrizes para beneficiar indivíduos que vivem sozinhos, adaptando-se às realidades diversas das famílias brasileiras.

Com o objetivo de oferecer suporte financeiro a quem enfrenta vulnerabilidade socioeconômica, o programa também contempla famílias unipessoais, assegurando que a assistência chegue a todos os que necessitam.

Elegibilidade e cadastro

Para ser elegível ao Bolsa Família, é essencial estar inscrito no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico) e manter essas informações sempre atualizadas. 

O critério de renda é determinante: a renda per capita mensal da família não deve ultrapassar R$ 218. O CadÚnico serve como porta de entrada para diversos programas sociais, sendo fundamental para a alocação de recursos a quem realmente precisa.

Novidades para indivíduos solitários

Recentemente, foi estipulado que até 16% do valor total destinado a cada município pelo Bolsa Família pode ser destinado às famílias unipessoais

Para esses casos, o valor fixo estabelecido é de R$ 600, uma medida que visa garantir o mínimo de suporte financeiro, focando especialmente nas novas concessões do benefício.

Compromissos dos beneficiários

Manter-se no programa exige o cumprimento de certas obrigações nas áreas da saúde e educação, como o acompanhamento pré-natal, monitoramento da vacinação e do estado nutricional de crianças menores de 7 anos.

Além do mais, é necessário assegurar a frequência escolar mínima. A atualização do Cadastro Único a cada dois anos é também uma exigência.

Benefícios detalhados

Confira uma lista completa com todos os benefícios do Bolsa Família. 

  • Benefício de Renda de Cidadania (BRC): oferece R$ 142 per capita, visando cobrir necessidades básicas. Para famílias com cinco pessoas ou mais. 
  • Benefício Complementar (BCO): Assegura que nenhuma família receba menos de R$ 600, garantindo uma renda mínima.
  • Benefício Primeira Infância (BPI): Concede R$ 150 por criança na faixa etária de 0 a 7 anos, focando no desenvolvimento infantil.
  • Benefício Variável Familiar (BVF): Destina R$ 50 para gestantes, crianças e adolescentes até 18 anos, apoiando a educação e cuidados básicos.
  • Benefício Variável Nutriz (BVN): Adiciona R$ 50 para crianças em fase de amamentação, reforçando a nutrição.
  • Benefício Extraordinário de Transição (BET): Mantém a renda dos beneficiários até maio de 2025, assegurando uma transição suave do Auxílio Brasil para o Bolsa Família.

Veja também: Nova mensagem do CadÚnico deixa beneficiários do Bolsa Família em ALERTA; veja do que se trata

Saiba como se inscrever no CadÚnico

O CadÚnico é a porta de entrada para programas sociais no Brasil, incluindo o Bolsa Família. Podem se inscrever famílias de baixa renda, ou seja, aquelas que têm renda per capita de até meio salário mínimo mensal, ou renda total de até três salários mínimos. 

Também se qualificam indivíduos que vivem sozinhos sob as mesmas condições financeiras. 

Para se inscrever, é necessário procurar o setor responsável pelo CadÚnico ou o Centro de Referência de Assistência Social (CRAS) mais próximo. 

Durante o cadastro, é importante apresentar documentos de todos os que moram na casa, como RG, CPF, certidão de nascimento para menores que não possuem RG, e comprovantes de residência e renda. 

Veja também: Teve o Bolsa Família CANCELADO? Veja como recorrer a decisão do programa