Governo está liberando HOJE (03) SAQUE de R$ 2,3 MIL; veja se você tem direito e como acessar os valores

O governo federal está liberando uma série de pagamentos ainda hoje que podem levar a um acúmulo de mais de R$ 2 mil. É interessante consultar o direito aos valores.

Em momentos de aperto financeiro, cada centavo conta. Imagine então poder contar com um valor de R$ 2.313 para ajudar a equilibrar as contas e respirar um pouco mais aliviado.

A seguir, confira informações valiosas sobre quem tem direito a esse auxílio e como você pode acessá-lo, além de como realizar a consulta e outras dicas importantes.

Já pensou em ganhar mais de R$ 2 mil no mês? Veja como aproveitar a oportunidade do governo!
Já pensou em ganhar mais de R$ 2 mil no mês? Veja como aproveitar a oportunidade do governo! / Crédito: @jeanedeoliveirafotografia / pronatec.pro.br

Combinando benefícios do governo federal

Você sabia que é possível acumular diferentes benefícios para alcançar o montante de R$ 2.313?

Esta soma pode ser a chave para muitos que enfrentam dificuldades financeiras, combinando o seguro-desemprego com o Bolsa Família.

O governo brasileiro permite essa combinação em situações específicas, buscando oferecer um suporte mais robusto para aqueles que precisam.

A possibilidade de juntar esses benefícios não é apenas uma medida financeira; é uma estratégia de inclusão social.

Ela visa garantir que, mesmo em tempos de crise, os mais vulneráveis possam ter acesso a recursos básicos para sustentar suas famílias.

Veja também: Revisão da vida toda no STF: o que muda na sua aposentadoria pelo INSS?

Passo a passo para acessar os benefícios do governo

Para acessar o total de R$ 2.313, é essencial entender os requisitos e seguir os procedimentos corretos.

Primeiro, é fundamental que a pessoa esteja oficialmente desempregada e sem exercer atividades remuneradas.

Além disso, deve ter contribuído para o INSS em seu último emprego, garantindo sua elegibilidade ao seguro-desemprego.

Mas atenção: o desligamento do emprego deve ter sido sem justa causa. E mais, é crucial não estar vinculado a outros programas sociais, com exceção do Bolsa Família.

A renda per capita da família também não deve ultrapassar R$ 218 para que a combinação de benefícios seja possível.

Posso acumular o Bolsa Família com o BPC?

No Brasil, pessoas em situação de vulnerabilidade podem receber simultaneamente o Benefício de Prestação Continuada (BPC) e o Bolsa Família, desde que a renda familiar per capita não ultrapasse os limites.

O BPC é destinado a idosos acima de 65 anos e pessoas com deficiência, com uma renda familiar de até 1/4 do salário mínimo por pessoa.

O Bolsa Família, por outro lado, auxilia famílias em condição de pobreza com renda máxima de R$ 218 por pessoa.

Importante destacar que a renda do Bolsa Família não é considerada no cálculo para o BPC, permitindo a acumulação dos benefícios sem afetar a elegibilidade.

Não perca: Beneficiários do BPC recebem aumento surpresa de R$ 250 em 2024

E os benefícios do INSS?

No Brasil, é possível acumular certos benefícios do INSS sob condições específicas. Alguns exemplos incluem:

  1. Pensão por morte e aposentadoria: um indivíduo pode receber simultaneamente aposentadoria (por idade, tempo de contribuição, especial ou invalidez) e pensão por morte.
  2. Aposentadoria e auxílio-acidente: após a consolidação das lesões que geraram sequela, pode-se acumular aposentadoria com auxílio-acidente.
  3. Duas aposentadorias: desde que elas sejam de regimes diferentes, é possível acumular mais de um pagamento.

Não deixe de aproveitar essa oportunidade

Agora que você está ciente de como acessar este auxílio significativo, é hora de agir. O valor de R$ 2.313 pode não resolver todos os problemas financeiros, mas sem dúvida, traz um alívio importante em momentos críticos.

Procure orientação nos centros de assistência social ou nas plataformas oficiais do governo para entender melhor o processo e assegurar que você e sua família possam beneficiar-se dessa oportunidade.

Lembre-se, informações corretas e ação rápida podem ser o diferencial para superar as adversidades financeiras.

Acompanhe mais: Afinal, um idoso que NUNCA contribuiu também pode se aposentar pelo INSS? Resposta é chocante!

PIS/PASEP 2024 antecipado pelo TCU

O governo brasileiro solicitou ao Tribunal de Contas da União (TCU) que reconsidere a antecipação do abono salarial PIS/PASEP, propondo que o pagamento seja feito um ano após a obtenção do direito, em vez de dois anos, como é atualmente.

Esta mudança poderia impactar significativamente as finanças públicas, estimando-se um custo de R$30 bilhões para 2025.

A preocupação principal é com a manutenção do equilíbrio fiscal e a prevenção de pagamentos indevidos, já que o sistema vigente permite uma verificação mais rigorosa dos beneficiários.

A antecipação exigiria uma revisão completa no processo de inclusão dos valores no orçamento vigente, o que poderia resultar em uma pressão excessiva sobre os já limitados recursos orçamentários.

O calendário de pagamento proposto para 2024 está detalhado no artigo, incluindo as datas específicas de pagamento para nascidos em diferentes meses ou com finais de inscrição variados.

É possível ter duas aposentadorias?

Sim, é possível ter duas aposentadorias de regimes diferentes, como o INSS e o Regime Próprio de Previdência Social (RPPS).

Profissionais que contribuíram para ambos os regimes, como enfermeiros, professores e médicos, podem acumular os benefícios, desde que cumpram os requisitos específicos de cada regime.

Para o INSS, é necessário ter contribuído por um período determinado e atingir a idade mínima exigida. Para o RPPS, deve-se atender aos critérios específicos do regime.

Contudo, a soma das aposentadorias não é total, sendo limitada pelo teto previdenciário, que é atualizado anualmente.

Além disso, mesmo sendo legal acumular as aposentadorias, é vital considerar se é vantajoso financeiramente, pois outros fatores, como o valor dos benefícios e outras fontes de renda, podem influenciar essa decisão.

Novo auxílio de R$ 1000 para cuidadores de beneficiários do BPC

O projeto de lei 46124, em tramitação no Congresso, propõe a criação do “Auxílio Cuida Mais”, visando proporcionar um suporte adicional de R$ 1000 mensais aos cuidadores de pessoas com deficiência beneficiárias do Benefício de Prestação Continuada (BPC).

Idealizado pelo deputado Eduardo da Fonte, o auxílio é destinado exclusivamente a familiares ou representantes legais que cuidam de beneficiários incapacitados física ou mentalmente.

A medida busca aliviar o fardo financeiro dos cuidadores que frequentemente sacrificam suas carreiras e oportunidades para se dedicarem ao cuidado de dependentes.

Com a implementação do Auxílio Cuida Mais, o projeto pretende promover uma melhoria significativa na qualidade de vida dessas famílias, garantindo condições mais dignas e sustentáveis para o cuidado contínuo no Brasil.

Isenção de parcelas no “Minha Casa, Minha Vida” para beneficiários de programas sociais

Recentemente, o programa “Minha Casa, Minha Vida” introduziu novas regras beneficiando diretamente as famílias de baixa renda inscritas no Bolsa Família ou no BPC (Benefício de Prestação Continuada).

Conforme publicado no dia 28 de setembro, essas famílias agora estão isentas do pagamento de parcelas nos novos contratos e também nos já existentes, podendo até obter a casa de forma gratuita.

Esta medida do governo federal visa garantir moradia digna para os mais necessitados e estimular a conclusão de investimentos já iniciados.

As famílias beneficiadas, que somam cerca de 750 mil, não precisarão devolver as parcelas já pagas, e a isenção aplicar-se-á da data da nova regulamentação em diante.

A Caixa Econômica Federal, responsável pelo financiamento do programa, tem até 30 dias para adaptar as novas regras, e os beneficiários elegíveis terão suas cobranças automaticamente suspensas.

Alerta para aposentados: novo golpe na prova de vida

Aposentados brasileiros estão sendo alvos de um novo golpe relacionado à prova de vida presencial do INSS. Estelionatários estão se passando por funcionários do INSS, abordando idosos em suas residências para coletar dados pessoais e bancários, visando acessar e roubar dinheiro das contas das vítimas.

A prova de vida é um procedimento obrigatório, que pode ser realizado tanto pessoalmente em agências bancárias quanto online através do site gov.br ou pelo aplicativo Meu INSS, com uso de reconhecimento facial.

Importante ressaltar que o INSS não realiza visitas domiciliares para a prova de vida, exceto em casos específicos de verificação de vínculo ou irregularidades. Os aposentados devem estar atentos e desconfiar de qualquer abordagem presencial solicitando informações sensíveis.