URGENTE: Maior vazamento de dados da história; veja como evitar fraude com suas informações

Proteja-se contra o maior vazamento de dados da história! Saiba como manter suas informações seguras e evite fraudes online.

O mundo digital foi abalado por um evento sem precedentes – o “Mãe de todos os vazamentos” (MOAB), que expôs 26 bilhões de informações de usuários da internet em uma gigantesca compilação de dados.

Este vazamento colossal, equivalente a 12 terabytes de informações, representa um dos maiores riscos à segurança digital até o momento.

Nas linhas a seguir, iremos abordar os detalhes desse vazamento histórico e forneceremos dicas essenciais sobre como proteger suas informações pessoais.

Vazamento de dados.
Maior vazamento de dados global: sua segurança está em risco. (Crédito: @jeanedeoliveirafotografia / pronatec.pro.br).

Conheça o MOAB, o maior vazamento de dados da história

O MOAB foi descoberto pelo respeitado pesquisador de segurança cibernética, Bob Dyachenko, em colaboração com a equipe do site CyberNews.

Esta compilação maciça de dados reúne informações de vazamentos anteriores, abrangendo não apenas indivíduos, mas também organizações governamentais brasileiras.

As 26 bilhões de informações estão distribuídas em 3.800 pastas, representando violações anteriores de bancos de dados, além de dados inéditos que nunca foram expostos dessa forma.

As informações expostas incluem uma ampla gama de dados pessoais, como por exemplo:

  • E-mails;
  • Senhas;
  • Números de telefone;
  • Nomes de usuários;
  • Endereços;
  • Números de cartões; e
  • Documentos.

Esse tesouro de informações nas mãos de agentes mal-intencionados pode resultar em roubos de identidade e enormes prejuízos financeiros para as vítimas.

Aqueles que utilizam senhas repetidas correm um risco ainda maior, já que os dados vazados podem ser usados para acessar outras contas.

Saiba mais: Novo recurso ‘anti-ladrão’ do iPhone promete REVOLUCIONAR: saiba mais

Quais foram os responsáveis pelo MOAB?

A autoria desse vazamento colossal permanece um mistério para os especialistas em segurança cibernética.

Bob Dyachenko e sua equipe não conseguiram identificar os autores, levantando especulações de que poderia ter sido realizada por um corretor de dados ou até mesmo uma empresa de segurança cibernética que acidentalmente expôs essas informações online.

Todavia, a análise de IPs não ofereceu pistas concretas sobre a origem do vazamento, deixando muitas perguntas sem resposta.

Diversidade de origens dos dados vazados

A árvore de dados revelou uma variedade surpreendente de origens para essas informações.

Enquanto o aplicativo de mensagens chinês Tecent QQ lidera com 1,4 bilhão de registros, outras plataformas contribuíram com milhões de registros. Veja a lista:

  • Weibo;
  • MySpace;
  • Twitter;
  • Deezer;
  • Linkedin;
  • AdultFriendFinder;
  • Adobe;
  • Canva;
  • VK;
  • Daily Motion;
  • Dropbox;
  • Telegram; e muitas outras

Além disso, dados de várias organizações governamentais em diferentes países, incluindo os Estados Unidos, Alemanha, Filipinas e Turquia, também foram comprometidos.

O Brasil na rota dos ataques

Dados com domínio brasileiro (.br) revelaram que pelo menos 39 sites enfrentaram ataques hackers nos últimos anos e tiveram suas informações incluídas no MOAB.

Em princípio, entre as organizações afetadas estão nomes conhecidos como:

  • CCAA;
  • Companhia Paulista de Força e Luz (CPFL);
  • Ragazzo;
  • Descomplica;
  • Estante Virtual;
  • Habib’s;
  • James Delivery;
  • Pernambucanas;
  • Petrobras;
  • Riachuelo;
  • SP Trans;
  • Universidade de São Paulo (USP); e
  • Vakinha.

Como se proteger de um vazamento de dados?

Se você suspeita que seus dados possam ter sido comprometidos, é fundamental agir com rapidez e prudência.

A saber, o CyberNews oferece uma ferramenta chamada “Check if your data has been leaked”, que permite verificar se suas informações estão expostas na internet.

Se o resultado for positivo, siga estas três dicas cruciais para se proteger:

  1. Atualize suas senhas: Modifique suas senhas regularmente e evite o uso de senhas repetidas em várias contas.
  2. Use senhas diferentes para contas diferentes: Isso minimiza o risco caso haja uma senha comprometida.
  3. Ative a Autenticação Multifatorial (MFA): Adote medidas adicionais de segurança, como a MFA, sempre que possível, para fortalecer a proteção de suas contas.

Lembre-se de que, embora o vazamento seja alarmante, a maioria das informações já estava disponível publicamente de alguma forma.

Assim sendo, assumir que suas informações já estão expostas é o primeiro passo para proteger sua segurança digital.

Além disso, neste cenário de crescentes ameaças cibernéticas, é essencial manter-se atualizado sobre as melhores práticas de segurança e estar preparado para agir em caso de qualquer incidente de segurança digital.

A proteção de seus dados pessoais é uma responsabilidade compartilhada entre você e os serviços online que utiliza, por isso, fique atento e proteja-se.

Aproveite e confira: COMUNICADO preocupante emitido para brasileiros que carregam o celular no Shopping e lugares públicos