Trabalhadores que ganham salário mínimo estão EM CHOQUE com a notícia que saiu HOJE (10/05)

Reajuste no INSS a partir do próximo mês para os trabalhadores que recebem um salário mínimo

Os trabalhadores que recebem salário mínimo, a partir do próximo mês, terão os descontos ampliados. Quem trabalha regido pela Consolidação de Leis do Trabalho (CLT) têm os descontos automáticos em suas folhas de pagamento, ou seja, em seus contracheques. 

No entanto, somente aqueles que recebem um salário mínimo serão afetados. Com a atualização do piso nacional no primeiro dia útil de maio e a contribuição dos assalariados mínimos para o Instituto Nacional de Seguro Social (INSS) é uma taxa de 7,5%, também haverá um aumento no valor dessa contribuição.

Trabalhadores que ganham salário mínimo estão EM CHOQUE com a notícia que saiu HOJE (04:05)
Desconto maior na folha de pagamento dos trabalhadores. Crédito: @jeanedeoliveirafotografia / pronatec.pro.br

Novo desconto no INSS para trabalhadores a partir do próximo mês

Maio é o último mês em que ocorrerá o desconto de R$ 65,10 para o INSS no contracheque dos trabalhadores. Entretanto, é importante ressaltar que o novo valor descontado não terá um impacto financeiro tão significativo, pois o acréscimo é baixo.

A partir do próximo mês, os trabalhadores que recebem um salário mínimo contribuirão com R$ 66,00 ao INSS, representando um acréscimo de R$ 0,90. Como citado no início da matéria, aqueles que recebem mais de um salário mínimo maior não serão afetados por essa mudança.

Sendo assim, os trabalhadores que recebem mais de um salário mínimo já tiveram o desconto em seus contracheques ajustado em janeiro. Quando o salário mínimo foi atualizado de R$ 1.212 para R$ 1.320. No entanto, a pergunta que fica é: por que apenas quem recebe um salário mínimo será afetado?

Saiba também: Grupo de trabalhadores podem pedir REVISÃO do benefício do INSS e receber MAIS; entenda os detalhes

Diferenças de reajustes e alíquotas no INSS

Para responder a pergunta no parágrafo anterior, é necessário lembrar a razão por trás do segundo reajuste do salário mínimo e entender que os reajustes têm porcentagem diferentes de acordo com o salário. 

Primeiramente, o valor antigo foi estabelecido pela equipe econômica do ex-presidente Jair Messias Bolsonaro. Sendo assim, o salário mínimo foi aumentado com base no INPC. Quando o piso salarial proposto pela gestão anterior foi implementado, levou-se em consideração apenas o índice de inflação. 

No entanto, no segundo reajuste, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) optou por considerar o PIB. Portanto, isso resultou em um acréscimo de R$ 18 no valor final do salário mínimo. Além disso, em janeiro, o reajuste anual do INSS aconteceu para os trabalhadores de todas as faixas salariais. 

Diferenças de reajustes para os trabalhadores assalariados

Mais de 20 milhões de segurados fazem parte do grupo dos que recebem um salário mínimo do INSS. Dentre esses indivíduos, incluem-se os beneficiários do Benefício de Prestação Continuada (BPC/LOAS) e os aposentados e pensionistas cujo cálculo do benefício é igual ou inferior ao mínimo. 

O valor estabelecido foi determinado pelo reajuste do salário mínimo, com uma alíquota de 7,4%. Ou seja, os trabalhadores têm um desconto de 7,4% mensalmente em cima do salário mínimo recebido.

Agora, se você recebe um valor superior a um salário mínimo, a alíquota aplicada ao seu rendimento é diferente. Isso ocorre porque não apenas a inflação do ano anterior é considerada, mas também o INPC.

Esse índice mede o aumento do custo de vida das famílias com renda de até cinco salários mínimos. Sendo assim, a alíquota para essa categoria de segurados, que ganham mais de um salário mínimo é de 5,93% em 2023. 

Leia também: Excelente notícia para segurados do INSS: veja o que muda com o NOVO salário mínimo