Sou obrigado a atualizar meu RG? O que muda no novo documento?

O novo RG está sendo um tanto quanto comentado entre os cidadãos brasileiros, considerando o fato de o documento será unitário para identificar cada indivíduo.

Quando um cidadão brasileiro vem ao mundo, ele precisa portar diversos documentos para que seja possível identificar-se. Dentre esses documentos, portanto, estão a Certidão de Nascimento, o CPF (Cadastro Nacional de Pessoa Física) e o RG (Registro Geral), entre vários outros.

A grande questão, no entanto, é que portar todos esses documentos pode acabar exigindo um pouco dos cidadãos, considerando o prejuízo em caso de perda de qualquer um deles. Neste sentido, o Governo Federal anunciou um novo documento, que funcionará de forma unitária. Trata-se do novo RG.

De acordo com as informações dispostas, o novo RG será o único documento de identificação dos cidadãos brasileiros, e já está em vigor. Assim, vale conferir do que se trata o novo RG, bem como qual a validade do documento e se será necessário obtê-lo de forma imediata.

Sou obrigado a atualizar meu RG
Como funciona o documento / Imagem: @jeanedeoliveirafotografia / pronatec.pro.br

Como funciona o novo RG

Bem, como dito anteriormente, um cidadão brasileiro precisa portar diversos documentos para que seja possível identificar-se. Atualmente, os principais documentos necessários é o RG, que trata-se da carteira de identidade, e o CPF. É através dessa documentação que é possível identificar o perfil de cada cidadão, assim como realizar as atribuições necessárias ao seu nome.

Desse modo, como também dito, recentemente os brasileiros foram surpreendidos com a criação de um novo RG. Para melhor entender, o novo RG funcionará como o documento unitário de cada cidadão. Isto é, atualmente, o RG conta com um número específico, enquanto o CPF conta com outro.

Em virtude do novo documento, o número do CPF passará a ser o único presente no documento de identificação. O objetivo é justamente unificar a documentação por todo o país, contando com as regras específicas para emissão. Além disso, portar somente um documento poderá facilitar muito diversas questões e transações para os indivíduos.

Após o anúncio do novo documento, grande parte dos cidadãos ficaram receosos sem entender ao certo quando o RG unitário estrará em vigor. Outro ponto importante, é que além das alterações propostas em relação ao número do documento, a data de validade também será diferente, de forma variável para cada grupo.

Veja também: Com a nova lei do CPF, outros documentos deixarão de ser válidos?

Informações específicas e emissão obrigatória

Antecipadamente, vale dizer que as mudanças no documento já estão em vigor, porém, ainda existem algumas regras para que cada um possa contar com o novo registro. Para início de conversa, é extremamente importante entender como funcionará a regra de validade do novo RG. Isso porque, como dito, o prazo será variável para cada grupo.

Mais especificamente, a validade conta com três prazos. O primeiro deles, é para as crianças de até 12 anos de idade, que contarão com a validade do documento de 5 anos. Para quem possui de 13 aos 59 anos, o documento terá validade de 10 anos. Já para quem tiver mais de 60 anos, não haverá necessidade de renovação, exceto em casos específicos.

O novo documento ainda contará com novas informações dispostas, como por exemplo, o tipo sanguíneo do cidadão. Porém, vale dizer que os estados só serão obrigados a começarem a emitir o documento a partir do dia 6 de março.

Ademais, a substituição da documentação será gradativa. Ou seja, cada estado contará com a distribuição do novo RG, visando atingir toda a população.

Por fim, o documento só será obrigatório após 10 anos de publicação do decreto. Isto é, considerando a publicação realizada em 2022, a partir de 2032 os brasileiros já deverão portar o novo RG.

Veja também: ATUALIZAÇÃO sobre o pagamento extra de R$ 150,00 por filho através do Governo