Serviços como iFood e Uber podem PARAR A QUALQUER MOMENTO? Situação é preocupante!

Entenda porque milhares de trabalhadores de aplicativos podem parar em breve: saiba o que está sendo negociado!

O Brasil hoje conta com muitas pessoas qu enem estão conseguindo acesso ao mercado de trabalho “tradicional”. E na falta do regime CLT ou por escolha própria, todos buscam alternativas para conseguir pagar as contas com tranquilidade no fim do mês. 

Por isso, a seguir vamos falar sobre uma classe de trabalhadores que está brigando justamente por um reconhecimento merecido. Confira todos os detalhes e saiba porque alguns serviços de entrega e transporte podem ficar parados se essa importante negociação não andar para frente. Preste atenção nos detalhes!

Motoboys paralisação
Entenda o que pode acontecer a partir de paralisação de profissionais que trabalham com aplicativos (foto: Valter Campanato/Agência Brasil)

Trabalhadores de aplicativos e empresas em ‘briga’?

Você já pensou o que aconteceria com os aplicativos de entrega se não houvessem mais entregadores? Pois é isso que pode acontecer. 

Os motoboys e trabalhadores de plataformas digitais não chegaram a um acordo para melhorar as condições de trabalho dos entregadores

Depois de quatro meses de negociação, um grupo de trabalho (GT) que foi instituído pelo Governo Federal e conta com trabalhadores não encontrou um meio termi. Os motoristas e motoboys não ficaram nada satisfeito com o rumo das conversas.

Os profissionais envolvidos participaram de uma reunião na terça-feira (12) no Ministério do Trabalho e Emprego (MTE).

Veja também: UM salário mínimo aos funcionários do Uber, iFood e 99? Entenda a POLÊMICA!

Por que os motoboys e entregadores não estão satisfeitos?

Gil é o presidente do SindimotoSP e do Conselho Nacional de Motofretistas, Motoentregadores, Motoboys e Entregadores Ciclistas Profissionais do Brasil. Ele estava na reunião e falou na saída:

  • Na parte dos motoboys e dos motoentregadores não teve acordo nenhum. Todas as propostas apresentadas pelas empresas são inviáveis: não tem como embarcar não” – afirmou Gilberto Almeida dos Santos, conhecido como Gil. 

O profissional afirmou ainda que uma maior definição pode acontecer a partir de uma reunião com o Governo hoje (13). 

É importante lembrar que no início da semana os motoboys e entregadores fizeram uma mobilização na Esplanada dos Ministérios pedindo melhorias. 

O que os motoboys e entregadores estão reivindicando?

Por fim, é importante resgatar que esse tipo de profissão continua sendo perigosa justamente pela falta de formalização. 

É por isso que os entregadores de app e motoboys estão pedindo:

  • Remuneração mínima decente: hoje em dia não há valor mínimo e muitos trabalham sem ganhar valores dignos;
  • Condições dignas de trabalho: a solicitação é por diretrizes de saúde e segurança para os trabalhadores, o que não existe hoje em dia. 

De acordo com especialistas, um bom exemplo para entender é a comparação da colaboração em aplicativos com uma contratação em regime CLT. Por lei, os brasileiros possuem acesso à Previdência Social e, na maioria dos casos, à planos de saúde como parte dos benefícios. 

Alguém que começa a trabalhar com aplicativos hoje em dia não possui nenhum tipo de garantia. Para quem trabalha no trânsito, com moto, por exemplo, esse pode ser um grande problema. 

Outro exemplo é o rendimento por hora de trabalho logada nos aplicativos. Depois que aconteceu a popularização dos apps, o valor caiu muito: em 2013 os profissionais recebiam R$ 22,90 em média, hoje o valor é de R$ 10,55. 

Veja também: Conheça a NOVA LEI que IMPACTA diretamente os entregadores Uber e do iFood: MULTA PESADA!