Serviço de EMERGÊNCIA da Unimed terá encerramento imediato após nova estratégia ser adotada; confira a mudança

Há algum tempo, a Unimed anunciou que dois serviços importantes não fariam mais parte de sua rede. Agora, os clientes devem ficar atentos para se adaptarem.

A Unimed deu um grande passo em Fortaleza ao anunciar uma mudança significativa nos seus serviços de emergência. Isso vai mudar a forma como os atendimentos ocorrem na região

A partir de agora, dois renomados hospitais da cidade, conhecidos por sua excelência e tradição, não farão mais parte da rede de atendimento emergencial da Unimed. Confira!

Confira quais serviços a Unimed acaba de encerrar e veja alternativas para o procedimento
Confira quais serviços a Unimed acaba de encerrar e veja alternativas para o procedimento / Fonte: divulgação

Novos rumos da Unimed no atendimento de urgência

A princípio, segundo o site A Notícia Ceará, este movimento estratégico acompanha a inauguração de um novo e avançado Pronto Atendimento no coração da capital cearense, prometendo transformar a experiência de atendimento aos seus beneficiários.

Dessa forma, os hospitais Oto Santos Dumont (antigo São Mateus) e Oto Meireles (anteriormente Gastroclínica), ambos integrantes do Grupo Kora Saúde, não oferecerão mais serviços de emergência para os clientes da Unimed.

Essa decisão marca o fim de uma era e o início de um novo capítulo na trajetória de cuidado e assistência da Unimed em Fortaleza.

Pronto atendimento Aldeota: o futuro da saúde

Em substituição, a Unimed orgulhosamente apresenta o Pronto Atendimento Aldeota, uma instalação de ponta projetada para oferecer um atendimento excepcional.

Localizado na Rua Frei Mansueto, 1.670, no bairro Aldeota, esse centro será o novo coração do atendimento emergencial da Unimed em Fortaleza.

Funcionando 24 horas por dia, o Pronto Atendimento Aldeota é uma promessa de eficiência e qualidade. Com uma infraestrutura distribuída em dois andares, a unidade tem capacidade para atender até 5 mil pacientes por mês.

Além disso, a Unimed investiu R$ 14 milhões neste projeto, garantindo que o local seja equipado com o que há de mais moderno em atendimentos clínicos e traumatológicos para adultos, além de contar com serviços completos de exames laboratoriais e de imagem.

Unimed descredencia unidades devido ao surto de dengue

Recentemente, a operadora de planos de saúde descredenciou 37 hospitais em diversas regiões do país, incluindo o Distrito Federal, São Paulo, Rio de Janeiro, Bahia e Maranhão.

Essa medida, que entra em vigor a partir de 4 de março, ocorre em um momento delicado, em que um surto de dengue afeta vários estados.

Veja mais: Planos de saúde tem novo rival: sem carência, sem reajuste e por menos e R$ 30!

O que está acontecendo com a Unimed?

A dengue, uma doença transmitida pelo mosquito Aedes aegypti, tem sido uma grande preocupação para a saúde pública brasileira.

De acordo com o Ministério da Saúde, só neste ano, o Brasil já registrou mais de meio milhão de casos prováveis da doença, com 75 óbitos confirmados e outros 340 em investigação.

A decisão da Unimed afeta principalmente o serviço de pronto socorro, comprometendo o atendimento geral nas unidades de saúde.

Em um momento em que os hospitais, tanto públicos quanto privados, já estão sobrecarregados pelo surto de dengue, essa medida pode trazer ainda mais desafios para o sistema de saúde.

Impacto no Distrito Federal e outros estados

Ademais, no Distrito Federal, importantes hospitais como o Hospital Águas Claras, Hospital Alvorada, Hospital Brasília, entre outros, não mais prestarão serviços de pronto socorro pela Unimed.

Em São Paulo, a lista inclui hospitais como o Albert Sabin, Hospital Presidente e São Luiz Unidade Morumbi.

Além disso, a medida se estende também a outras unidades em diferentes estados, afetando diversos planos, incluindo os individuais, familiares e empresariais.

E agora, o que fazer?

Por fim, diante dessa situação, é fundamental que os beneficiários da Unimed estejam atentos às mudanças e busquem informações sobre as alternativas disponíveis para garantir o acesso aos serviços de saúde.

É um momento de união e solidariedade, em que a informação se torna uma ferramenta poderosa para enfrentar os desafios impostos não apenas pelo surto de dengue, mas também pelas mudanças no atendimento dos planos de saúde.

A Unimed Nacional ainda não se pronunciou oficialmente sobre os motivos que levaram a essa decisão, mas é importante que a comunicação seja transparente e que as necessidades dos beneficiários sejam atendidas de forma eficiente e humanizada.

Veja mais: Fim de plano, novo valor de mensalidade e BOMBA: Netflix não poupa o Brasil!