Segurados do INSS terão que passar pela prova de vida OBRIGATÓRIA a partir de janeiro?

A autarquia federal está implementando mudanças no procedimento. A partir de 2023, haverá a troca de informações entre banco de dados dos órgãos públicos

Os segurados do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) já somam mais de 60 milhões de brasileiros, de acordo com dados do Ministério do Trabalho e da Previdência Social. A autarquia oferece uma série de benefícios previdenciários, como aposentadorias, pensão por morte, auxílio-doença, auxílio-maternidade, entre outros. Além do mais, existe o BPC (Benefício de Prestação Continuada), que é garantido pela Lei Orgânica de Assistência Social (LOAS). 

Dessa forma, existem algumas fraudes, envolvendo os segurados do INSS. Mesmo após o falecimento, eles continuam recebendo o benefício, como se estivessem vivos. Para evitar que as pessoas recebam os benefícios dos segurados, de forma indevida, foi criada a prova de vida. O procedimento consiste em provar que o segurado está vivo. Ele foi suspenso por conta da pandemia, mas poderá voltar em 2023. 

OBRIGATÓRIA
Os segurados do INSS poderão contar com uma mudança na prova de vida, que consiste na troca de informações entre os órgãos – Crédito: @jeanedeoliveirafotografia / pronatec.pro.br

Segurados do INSS precisarão voltar com a prova de vida 

Antes de mais nada é importante falar da prova de vida. Como já dito antes, o procedimento existe para que os segurados do INSS provem que estão vivos. Ele foi criado em 2009, pelo Governo Federal. Até então, era necessário que o segurado comparecesse em alguma agência física do seu banco para fazer a comprovação. 

Contudo, por conta da pandemia da pandemia do Covid-19 em 2020, a prova de vida foi suspensa até 2021. Dessa forma, os segurados do INSS puderam se manter seguros, praticando o isolamento social recomendado pela OMS (Organização Mundial de Saúde). Mas, o procedimento poderá voltar em 2023. 

O plano do Governo Federal é que os segurados do INSS não precisam mais realizar o procedimento de forma presencial. Assim, o INSS começou, neste ano, a testar a prova de vida por meio do cruzamento de dados entre órgãos e autarquias do Governo. O TSE (Tribunal Superior Eleitoral) forneceu os dados de quem votou nas eleições de 2022, como prova de vida. 

É importante dizer que quando o procedimento era feito presencialmente, muitos segurados do INSS não conseguiam comparecer às agências para a prova de vida. Então, um servidor da autarquia precisava fazer o procedimento em seu endereço. Com as mudanças, a prova de vida do INSS facilita a vida dos beneficiários, como também gasta menos recursos do INSS com o procedimento, uma vez não haverá mais a necessidade das visitas. 

Veja também: 3 sites que prometem PAGAR para usuários escreverem na internet; veja como funciona

Governo Federal investe na digitalização dos órgãos públicos

Os segurados do INSS, então, continuarão realizando a prova de vida. Mas, agora o procedimento será feito com base em uma troca de dados e informações entre órgãos públicos. Além do TSE, será possível usar as informações de quando um beneficiário precisa de algum serviço do Sistema Único de Saúde (SUS). 

Por fim, o procedimento faz parte de uma tendência do Governo Federal, que começou em 2019: a digitalização dos processos burocráticos. Além da prova de vida, o INSS investe em mudanças na maneira de solicitar os benefícios. Agora é possível realizar os pedidos através do aplicativo ‘Meu INSS’. 

Veja também: Plataforma de varejo paga para usuários PESQUISAREM: veja como ganhar dinheiro desta forma