Saiba do que se trata a PARCELA RETROATIVA do Bolsa Família; talvez você possa receber

Parcela retroativa do Bolsa Família será paga a cidadãos que tiveram benefício bloqueado ou cancelado durante o mês de abril.

Bolsa Família vai pagar parcela retroativa? A partir de 27 de abril, o Ministério do Desenvolvimento Social (MDS) começa a desbloquear automaticamente os benefícios do Bolsa Família para milhares de famílias unipessoais que tiveram o pagamento cancelado em abril. Em comunicado oficial, o MDS anunciou a liberação dos benefícios e a previsão de pagamento dos valores retroativos para cada grupo afetado.

Saiba do que se trata a PARCELA RETROATIVA do Bolsa Família; talvez você possa receber
Como garantir a parcela retroativa do Bolsa Família: veja o passo a passo para atualização cadastral. Crédito: @jeanedeoliveirafotografia / pronatec.pro.br

Parcela retroativa do Bolsa Família

Aproximadamente 1,2 milhão de pessoas cadastradas como família unipessoal não puderam receber o benefício no mês passado. Este grupo foi convocado para atualizar seu cadastro no CadÚnico e, caso ainda esteja em conformidade com as regras, poderá voltar a receber o Bolsa Família, incluindo as parcelas retroativas enquanto o benefício estava bloqueado.

Veja também: Notícia EXCELENTE para beneficiários do Bolsa Família

As parcelas retroativas de abril serão depositadas na folha de pagamento de maio para os seguintes grupos: famílias que atualizaram seus cadastros entre 11 de março e 14 de abril e aquelas que atualizaram entre 15 e 28 de abril.

Em maio, o governo desbloqueará os benefícios para famílias unipessoais a partir do dia 27 e as parcelas retroativas serão incluídas na folha de pagamento do mês. Quem deixar de atualizar seus dados terá o benefício cancelado em julho. O valor do Bolsa Família em maio pode ultrapassar R$ 1.400 com a inclusão da parcela retroativa.

O calendário do Bolsa Família para maio já foi divulgado pelo MDS, e os pagamentos serão realizados conforme o final do Número de Identificação Social (NIS) dos beneficiários. A consulta definitiva ao valor e a lista de aprovados estará disponível a partir de 10 de maio.

A partir de 27 de abril, as famílias que atualizaram seus cadastros poderão verificar se seu benefício foi desbloqueado por meio dos seguintes canais: aplicativo do Bolsa Família, aplicativo Caixa Tem e Portal Cidadão da Caixa.

Apesar do desbloqueio dos benefícios, o MDS continuará o processo de qualificação cadastral até dezembro de 2023. Segundo a ministra do Planejamento e Orçamento, Simone Tebet, a revisão nos cadastros pode gerar uma economia de até R$ 7 bilhões por ano.

Após uma análise detalhada dos dados do CadÚnico, o governo identificou pelo menos 2,5 milhões de beneficiários com indícios de irregularidades. Em abril, foram convocadas as famílias unipessoais que começaram a receber o benefício entre agosto e dezembro de 2022 para prestar esclarecimentos ao governo. Já em maio, esse procedimento pode ser ampliado para o público que entrou no programa entre junho e julho de 2022.

Recadastramento

Com o prazo para atualização cadastral do Bolsa Família estendido até 16 de junho, é fundamental que as famílias bloqueadas em abril regularizem suas pendências para evitar o cancelamento do benefício a partir de julho. Para realizar o recadastramento, é necessário apresentar alguns documentos específicos.

Para o Responsável Familiar (RF), deve-se apresentar o CPF ou, alternativamente, o Título de Eleitor. No entanto, os RFs de famílias indígenas e quilombolas estão isentos dessa exigência e podem apresentar outros documentos aceitos pelo Cadastro Único.

Já para os demais membros da família, o RF deve apresentar pelo menos um dos seguintes documentos para cada pessoa: CPF (preferencialmente), Certidão de Nascimento, Certidão de Casamento, Certidão Administrativa de Nascimento do Indígena (RANI) – exclusivamente para indígenas que possuam somente esse documento -, Carteira de Identidade (RG), Carteira de Trabalho e Previdência Social ou Título de Eleitor.

No caso do Responsável Legal (RL), é necessário apresentar o CPF e os documentos da pessoa representada a ser cadastrada, além dos documentos que comprovem a guarda/tutela ou curatela.

É fundamental que as famílias mantenham seus cadastros atualizados e atendam às exigências do governo para garantir a continuidade do recebimento do Bolsa Família. Essa medida é essencial para assegurar o acesso aos recursos necessários para a manutenção e o bem-estar das famílias beneficiárias.

Veja também: Passo a passo para consultar sua SITUAÇÃO no Bolsa Família; veja se você poderá receber as próximas parcelas