Revisão do INSS: saiba quais cuidados tomar para não PERDER o seu BENEFÍCIO!

Revisão do INSS pode abaixar valor do benefício? Entenda.

O Instituto Nacional do Seguro Social – INSS – é responsável por realizar os pagamentos de vários direitos e benefícios garantidos por lei aos trabalhadores e demais cidadãos. Assim, dentre os repasses feitos, estão os de aposentadoria, pensões, auxílios e outros benefícios previdenciários e assistenciais. No último caso, as pessoas não precisam ter feito contribuições prévias para ter direito, por se tratar de algo assistencial. É o caso do Benefício de Prestação Continuada (BPC/Loas), por exemplo.

Hoje em dia, a autarquia possui cerca de 36 milhões de segurados sob a sua alçada. Desse número total, a maioria é beneficiário da aposentadoria. Além disso, cerca de 60% dentre os 36 milhões recebem um valor equivalente ao salário mínimo nacional, que atualmente está em R$ 1.212. No entanto, os segurados devem ficar de olho, pois há um novo pente fino acontecendo na folha de pagamentos do INSS e, por essa razão, pode ser que os benefícios de muitas pessoas sejam cortados pela revisão do INSS.

Revisão do INSS: saiba quais cuidados tomar para não PERDER o seu BENEFÍCIO!
Saiba mais sobre a revisão do INSS / Imagem: @jeanedeoliveirafotografia / pronatec.pro.br

Revisão do INSS pode cortar benefícios

O INSS está realizando um novo pente fino na sua folha de pagamentos. Neste sentido, os benefícios que estão mais ‘na mira’ da autarquia são aqueles que dependem de perícia médica. Assim sendo, os segurados devem ficar atentos, visto que o Instituto será responsável por convocar os segurados para passar por uma nova perícia.

De acordo com informações a respeito da Portaria 2.965, lançada por meio do Ministério do Trabalho e Previdência, houve a decisão de ampliar a atuação dos médicos responsáveis pela perícia médica do INSS.

Dessa maneira, um dos principais focos da medida é revisar os benefícios do BPC/Loas, que estão sem nova perícia há dois anos ou mais, e também o auxílio-doença que esteja há mais de um semestre sem que haja nova perícia e que também não haja data para a interrupção dos depósitos.

Vale a pena lembrar que o auxílio-doença também recebe o nome de benefício por incapacidade temporária. O longo tempo sem a perícia, falta de data para que os pagamentos do benefício cessem ou indicação de reabilitação podem ser critérios para nortear a convocação dos segurados para a revisão do INSS.

Veja também: Benefício de um salário mínimo do INSS está disponível TAMBÉM para quem nunca contribui; confira os requisitos

Como a convocação será feita?

É preciso ficar atento pois os segurados receberão uma notificação da autarquia solicitando a presença do cidadão na perícia médica. Conforme a escala prioritária, a convocação começará por aqueles que recebem o benefício a mais tempo e que são mais jovens.

As previsões iniciais apontam que a cobertura completo do processo de revisão durará 180 dias. No entanto, ainda não há uma data certa para que a revisão do INSS comece.

Por essa razão, pode ser importante que o segurado permaneça atento aos canais oficiais de comunicação do INSS. Assim, as formas de comunicação podem ser por mensagem de texto ou carta enviada ao endereço registrado. Além disso, a autarquia pode utilizar o site ou aplicativo Meu INSS para esse fim.

É importante destacar que o INSS não entra em contato por aplicativos de mensagens, como o WhatsApp, por exemplo, ou por ligações. Portanto, se receber uma notificação por esses canais sobre a revisão do INSS ou outros conteúdos, pode ser golpe. Logo, busque mais informações com os canais oficiais ou pelo telefone 135, Central de Atendimento do INSS.

Veja também: Lista reúne todos os beneficiários que NÃO vão receber o pagamento do INSS de outubro; consulte