Quanto devo pagar de INSS para receber 1 salários? Tudo sobre a contribuição mínima

Como faturar R$ 1.412 nos benefícios previdenciários? Se você se pergunta quanto devo pagar de INSS para receber 1 salários, confira nosso guia.

A contribuição mínima ao INSS é um aspecto essencial para garantir benefícios previdenciários como a aposentadoria e o auxílio-doença. Compreender quanto é necessário pagar para receber um salário mínimo de benefício é fundamental para planejar o futuro financeiro. 

Neste artigo, vamos explorar detalhadamente os requisitos e as informações necessárias sobre a contribuição mínima ao INSS! Entender como essa contribuição impacta o valor do benefício recebido é fundamental para uma preparação financeira eficaz e garantir a segurança financeira na aposentadoria e em situações de necessidade.

Quanto devo pagar de INSS para receber 1 salários? Crédito: Jeane de Oliveira / pronatec.pro.br
Quanto devo pagar de INSS para receber 1 salários? Crédito: Jeane de Oliveira / pronatec.pro.br

O que são as contribuições ao INSS?

As contribuições ao Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) constituem a base do sistema previdenciário brasileiro, sendo fundamentais para garantir a proteção social e a segurança financeira dos trabalhadores em diferentes situações, como aposentadoria, auxílio-doença, salário-maternidade e pensão por morte.

Existem vários tipos de contribuições ao INSS, cada uma destinada a diferentes categorias de trabalhadores:

  • Trabalhadores Formais: São os trabalhadores com carteira assinada, que têm as contribuições descontadas diretamente do salário. Essas contribuições são destinadas à Previdência Social e são recolhidas pelo empregador.
  • Trabalhadores Autônomos: São os profissionais que trabalham por conta própria, como médicos, advogados, dentistas, entre outros. Eles são responsáveis por realizar o recolhimento das contribuições ao INSS por conta própria, através do pagamento da chamada contribuição individual.
  • Microempreendedores Individuais (MEIs): Os MEIs são trabalhadores autônomos formalizados, que têm um regime simplificado de contribuição ao INSS. Eles pagam uma quantia fixa mensal, que engloba tanto as contribuições previdenciárias quanto os impostos.
  • Trabalhadores Domésticos: São os profissionais que prestam serviços de natureza contínua e de finalidade não lucrativa a uma pessoa ou família, no âmbito residencial desta. Desde a promulgação da Lei Complementar nº 150/2015, os empregadores domésticos também são responsáveis por recolher as contribuições previdenciárias de seus empregados domésticos.
  • Trabalhadores Rurais: São os trabalhadores que desenvolvem atividades agrícolas ou pecuárias. A contribuição previdenciária dos trabalhadores rurais é diferenciada e pode ser realizada de forma individual ou em grupo familiar.

Essas são algumas das principais categorias de trabalhadores e suas respectivas formas de contribuição ao INSS. É importante que cada trabalhador conheça suas obrigações previdenciárias e mantenha suas contribuições em dia para garantir o acesso aos benefícios previdenciários quando necessário.

Leia mais: Teve o pagamento do INSS SUSPENSO? Saiba como recuperar seus benefícios em poucos passos

Quanto um autônomo deve contribuir para o INSS?

De acordo com as regras da legislação brasileira, os autônomos, também conhecidos como contribuintes individuais, devem contribuir para o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) de acordo com uma alíquota que varia conforme o valor da sua remuneração mensal.

 As alíquotas são estabelecidas pela tabela do INSS e são aplicadas sobre o salário de contribuição do trabalhador autônomo.

Atualmente, as alíquotas de contribuição ao INSS para os trabalhadores autônomos variam de acordo com o tipo de atividade exercida e com a faixa salarial. As alíquotas podem variar de 7,5% a 14% do salário de contribuição, sendo que o valor mínimo da contribuição mensal é de 7,5% do salário mínimo vigente no país.

Para calcular o valor da contribuição ao INSS, o trabalhador autônomo deve considerar o valor da sua remuneração mensal (salário de contribuição) e aplicar a alíquota correspondente a essa faixa salarial, conforme estabelecido pela tabela do INSS.

É importante destacar que o valor da contribuição ao INSS paga pelo trabalhador autônomo é utilizado para calcular o valor dos benefícios previdenciários a que ele tem direito, como aposentadoria por idade, aposentadoria por tempo de contribuição, auxílio-doença, entre outros.

Além disso, é fundamental que o trabalhador autônomo mantenha suas contribuições em dia para garantir o acesso aos benefícios previdenciários quando necessário e para evitar eventuais problemas com a Previdência Social. 

Em caso de dúvidas sobre as alíquotas de contribuição ou sobre o cálculo do valor da contribuição ao INSS, é aconselhável buscar orientação junto a um profissional especializado em direito previdenciário.

Qual o valor do INSS para quem recebe um salário?

Para calcular o valor do INSS para quem recebe um salário, considerando que o salário mínimo de 2024 é de R$ 1.412 e que a alíquota mínima de contribuição é de 7,5%, podemos seguir os seguintes passos:

Determinar o salário de contribuição: O salário de contribuição é o valor sobre o qual será aplicada a alíquota de contribuição ao INSS. No caso de quem recebe um salário mínimo, o salário de contribuição será igual ao valor do salário mínimo vigente, que é de R$ 1.412.

Calcular o valor da contribuição ao INSS: A alíquota mínima de contribuição ao INSS é de 7,5%. Para encontrar o valor da contribuição, multiplicamos o salário de contribuição pela alíquota de contribuição:

  •    Contribuição ao INSS = Salário de contribuição x Alíquota de contribuição
  •    Contribuição ao INSS = R$ 1.412 x 7,5%
  •    Contribuição ao INSS = R$ 1.412 x 0,075
  •    Contribuição ao INSS = R$ 105,90

Portanto, para quem recebe um salário mínimo em 2024, o valor da contribuição ao INSS será de R$ 105,90, considerando a alíquota mínima de contribuição de 7,5%.

Este valor corresponde à parcela destinada à Previdência Social para garantir o acesso a benefícios previdenciários, como aposentadoria, auxílio-doença, entre outros.

Quanto devo pagar de INSS para receber 2 salários mínimos?

A contribuição ao INSS não determina diretamente o valor específico do benefício a ser recebido na aposentadoria. O cálculo do benefício previdenciário considera uma série de variáveis, incluindo o tempo de contribuição, média salarial e as regras específicas de aposentadoria vigentes.

No entanto, é importante destacar que contribuir para o INSS sobre valores superiores ao salário mínimo ao longo da carreira profissional pode impactar positivamente no benefício final da aposentadoria.

Isso se deve ao fato de que o valor do benefício é calculado com base na média salarial, levando em consideração as contribuições realizadas ao longo do tempo.

Para aspirar a uma aposentadoria com um benefício próximo a dois salários mínimos, é aconselhável contribuir sobre uma remuneração que ultrapasse esse valor ao longo dos anos.

Contribuições sobre valores mais altos tendem a resultar em benefícios maiores quando chega o momento da aposentadoria.

Leia mais: Comunicado OFICIAL do INSS revela a maior vitória março com diversos PRESENTES

Quanto devo pagar de INSS para receber 1 salários 2024?

Para receber um salário mínimo como benefício do INSS em 2024, o segurado deve contribuir com o valor equivalente à alíquota mínima de contribuição, que é de 7,5% do salário mínimo vigente. Considerando que o salário mínimo de 2024 é de R$ 1.412,00, o cálculo da contribuição ao INSS seria:

  • Contribuição ao INSS = Salário mínimo x Alíquota de contribuição
  • Contribuição ao INSS = R$ 1.412,00 x 7,5%
  • Contribuição ao INSS = R$ 105,90

Sendo assim, para receber um salário mínimo como benefício do INSS em 2024, o segurado deve pagar uma contribuição de R$ 105,90 por mês.

É importante ressaltar que este é apenas o valor da contribuição mínima para garantir o acesso ao benefício, e que o valor final do benefício pode variar de acordo com o tempo de contribuição e outras variáveis previdenciárias.