Programa Brasil Alfabetizado

Vinicius Colares
Atualizado Hoje!

Programa Brasil Alfabetizado – Conheça todas as informações sobre o programa!

Entenda como funciona o Programa Brasil Alfabetizado!

Desde o ano de 2003, o Programa Brasil Alfabetizado (PBA) vem servindo como porta de acesso à cidadania para jovens, adultos e idosos; visando combater o analfabetismo no país.

O programa, que funciona em todo o território nacional tem como seu objetivo reverter os índices de analfabetismo, desde jovens de 15 anos a idosos, contribuindo com a universalização do Ensino Fundamental no Brasil.

Se você ainda não conhece a fundo o programa, continue lendo este artigo, e saiba como é o funcionamento do Programa Brasil Alfabetizado.

Objetivo do Programa Brasil Alfabetizado

Programa Brasil AlfabetizadoA principal finalidade do PBA é a promoção do combate ao analfabetismo entre adolescentes a partir de 15 anos, adultos e idosos. A intuição do programa reconhece a educação como direito humano e o donativo público da alfabetização como ingressão à escolarização de indivíduos ao longo da vida.

O Brasil Alfabetizado, por meio de ações também oferece ações, por meio de apoios financeiros e técnicos de projetos de alfabetização a este público, apresentados pelas cidades, Estados e Distrito Federal.

As secretarias de Educação dos Estados brasileiros, Distrito Federal e de municípios aderem ao programa através do Sistema Brasil Alfabetizado.

Onde o Brasil Alfabetizado atua?

O PBA está presente em todo o território nacional, com foco em atender aos municípios prioritários caracterizados pela alta taxa de analfabetismo. Boa parte das cidades ficam situadas na região Nordeste, abrangendo 90% dos locais atendidos.

Deste modo, os municípios recebem apoio técnico para implantar as ações do programa, sempre com a ideia de dar continuidade aos estudos de jovens e idosos na categoria de analfabetos.

A adesão ao programa tem resoluções especificas, apresentadas pelo Diário Oficial da União em estados, municípios e no Distrito Federal.

Números obtidos pelo PBA

Desde sua criação, em 2003, o programa vem apresentando bons números e alfabetizando milhares de brasileiros, com idade entre 15 até à cima dos 60 anos. Isso é positivo, pois auxilia na busca de emprego, por exemplo, visto que o jovem com o ensino médio completo tem mais chances dentro do mercado.

Até 2012, o Brasil Alfabetizado conseguiu atender mais de 14 milhões de jovens e adultos, quantidade essa atendida desde que o programa foi iniciado pelo Governo Federal. Somente nesse ano, aproximadamente 1,2 milhões alfabetizando com idades variadas foram atendidos pelo PBA, concluindo as fases de ensino sabendo ler e escrever.

Os alfabetizadores

O Governo Federal dá preferência em contratar professores da rede pública de ensino, que recebem uma bolsa auxílio por parte do Ministério da Educação. No entanto, qualquer cidadão interessado pode participar do PBA como alfabetizador, desde que tenha concluído o ensino médio.

Para isso, professores e interessados devem efetuar um cadastro junto a prefeitura de seus municípios ou com a secretaria de Estado. Eles recebem formação adequada para poder trabalhar pelo programa.

Em 2007 o sistema de bolsas foi reformulado, passando a ser pego pelo Governo Federal diretamente na conta corrente do bolsista, tanto para os alfabetizadores como também para aqueles que atuam como coordenadores do programa.

PBAAs bolsas de remuneração são classificadas de I a V, com valores que variam de R$ 400,00 a R$ 750,00. O cargo mais alto dentro do programa é alfabetizador voltado as turmas em estabelecimentos penais, como a Fundação Casa, que se enquadra na bolsa classe V.

O MEC ainda repassa recursos financeiros aos estados e municípios que participam do programa, para financiamento das ações desenvolvidas por que englobam a formação dos alfabetizadores, aquisição de material escolar para apoio do aluno e professor, itens para alimentação, entre outros.

Além disso há algumas outras ações complementares voltadas a alfabetização e educação para jovens e adultos, como o Programa Educação nas Prisões, por exemplo.

 

Leia Também