Programa Bolsa Primeira Infância 2020 – Entenda o que é e como funciona!



Confira mais informações sobre a nova ação que deve alcançar até 51 mil crianças!

Hoje em dia é necessário que todos os governos estaduais tenham preocupação com as primeiras idades. É importante saber quais são as necessidades de quem vai ser o futuro da nação. Por isso o Programa Bolsa Primeira Infância 2020 é um destaque. 

Essa ação foi lançada recentemente e surge como uma Proposta de Lei (PL) que vai ser votada em breve. A intenção é ajudar famílias em situação de vulnerabilidade social e que precisam de apoio do governo. 

Confira a seguir as principais informações sobre esse novo programa. Entenda como irá funcionar e o que é exatamente. Fique por dentro e saiba se você conhece alguém que poderá ser beneficiado!

Programa Bolsa Primeira Infância 2020
Foto: Divulgação

Bolsa Primeira Infância 2020

Para que possamos entender: primeiramente, o que é o Bolsa Primeira Infância 2020? A prefeitura de São Paulo enviou recentemente (no dia 25 de novembro) um Projeto de Lei (PL) à Câmara Municipal. 

A intenção é a criação do Programa Bolsa Primeira Infância. Esse benefício surgirá para famílias em situação de vulnerabilidade social que possuem crianças entre 0 e 3 anos de idade. A intenção é ajudar crianças que ainda não estejam matriculadas na rede municipal de educação. 

Mas de quanto é o benefício do Bolsa Primeira Infância? O projeto prevê que cada família receba mensalmente R$ 100 por criança. Existirá um limite máximo de três crianças – com exceção de casos onde há mais de um nascimento por gestação. 

Como Funciona Bolsa Primeira Infância

Mas como funciona o Bolsa Primeira Infância? A intenção é que esse benefício seja temporário. A ideia da proposta é que a ajuda de custo seja terminada assim que houver a oferta de uma vaga gratuita em unidade de educação infantil para a família. A ideia é que essa unidade seja próxima ao endereço de trabalho ou à residência dos pais ou responsáveis pelos menores. 

As vagas Bolsa Primeira Infância deverão ser ofertadas para as crianças na rede direta ou em parceria da Secretaria Municipal de Educação (SME). Em alguns casos pode ser ofertado em instituição credenciada em programa próprio do SME. 

Por fim, o projeto de lei do Programa Bolsa Primeira Infância ainda exige às famílias uma participação diferenciada. A ideia é que os pais ou responsáveis participem de atividades de orientação sobre parentalidade, cuidados com a primeira infância bem como o cumprimento de vacinação da criança. 

O programa deverá ser votado em breve e caso seja aprovado, novas informações serão divulgadas pelo Governo de SP.

 

Leia Também