PIX vai passar por 4 mudanças bruscas: Banco Central ANUNCIOU!

Banco Central do Brasil anuncia alterações exclusivas no PIX que pode mudar a maneira como os usuários interagem com a ferramenta; saiba mais

O PIX é uma ferramenta de transferências bancárias com criação no ano de 2020, em plena pandemia de COVID-19. A medida foi muito acertada por parte do Banco Central, pois os brasileiros puderam usufruir do distanciamento social tranquilamente ao realizar suas operações por PIX.

O sucesso do sistema de pagamentos instantâneos foi tão grande que seu uso se estendeu para os dias atuais, e muitos consumidores não abrem mão do recurso para realizar suas operações financeiras. Pensando nisso, elaboramos uma lista com as 4 mudanças mais bruscas que o Bacen já fez no PIX. Confira a seguir!

PIX vai passar por 4 mudanças bruscas: Banco Central ANUNCIOU!
Mudanças bruscas anunciadas no PIX! Crédito: @jeanedeoliveirafotografia / pronatec.pro.br

Inovação financeira

Pode-se dizer, assim, que o PIX é uma das grandes inovações financeiras feitas nos últimos tempos. Isto porque o recurso não só alterou o modus operandi de pagamentos, mas a maneira como as pessoas interagem em seus aplicativos de bancos e entre si.

Deste modo, os pontos positivos do sistema de pagamentos criado pelo Banco Central são a sua conveniência e praticidade. A razão para isso é que as transferências podem ser feitas a qualquer dia da semana e em qualquer horário. Com isso, os usuários não precisam mais esperar por dias úteis para fazer transferências bancárias nem pagam taxas se forem Pessoas Físicas.

Por outro lado, assim como qualquer outro serviço que seja benéfico para a população, ele também possui pontos negativos, mas não em relação ao recurso em si, mas sim por aqueles que fazem uso dele. Este é o momento em que você se pergunta: como assim?

A resposta é simples, pois o ponto negativo do PIX reside nos golpes que criminosos digitais vêm aplicando com o sistema. Assim, os bancos vêm alertando seus usuários para não caírem em armadilhas dos criminosos, que fingem ser atendentes de bancos para aplicar os crimes pela internet. Os meliantes enganam as pessoas para receber transferências via PIX depois de se passarem por cidadãos de confiança.

Saiba mais: PIX AMEAÇADO: vírus bancário está APAVORANDO clientes e limpando saldo das contas

Mudanças bruscas no PIX

Considerando todos esses fatores, portanto, devemos nos voltar para o fato de que o Banco Central está constantemente inovando no PIX por conta de seu sucesso tão rápido. Afinal, a ferramenta é relativamente nova e já conta com milhões de usuários, cujas transações simultâneas alcançam cada vez mais níveis recorde.

Dito tudo isso, as mudanças bruscas no PIX chamam atenção, e você precisa se atentar a elas para se adaptar o mais rápido possível.

Em tese, o BC quer inovar ainda mais em seu sistema de pagamentos instantâneos ao implementar o PIX Automático, PIX em pedágios, PIX parcelado e também sem internet.

Dessa forma, vai ser possível realizar pagamentos de contas mensais sem que você esqueça de pagá-las, beneficiando as empresas que recebem e você, evitando multas e juros.

Já o PIX em pedágios e transporte público vai facilitar a locomoção das pessoas, uma vez que vai economizar tempo e ainda vai digitalizar o serviço, reduzindo, assim, a necessidade de usar dinheiro físico.

Enquanto isso, o PIX parcelado será um meio de realizar pagamentos como no cartão de crédito, ajudando quem não tem limite e ainda evitando a inadimplência por ter juros mais baixos. Por fim, o PIX sem internet, via NFC, Bluetooth ou biometria, será uma grande vantagem para quem vive em localidades mais remotas ou visita estas regiões. Assim, o PIX offline auxilia quando a conectividade à internet não é boa ou inexistente.

Veja também: Vírus ROUBA todo o dinheiro dos brasileiros via PIX: veja como se precaver

Afinal, o que é o Drex?

Nos últimos tempos, muito tem se falado sobre uma nova tecnologia chamada Drex, que chegou confundindo os brasileiros que acreditavam que o dinheiro físico ia acabar. Basicamente, trata-se de uma representação virtual do real, mas que não possui correspondente físico, exatamente.

Em síntese, ao invés de um dinheiro que você pode sacar e guardar na carteira, o Drex é um dinheiro virtual que você poderá armazenar em carteiras digitais. Ou seja, trata-se de uma moeda nova, bastante inovadora, que vai mudar a forma como as transações são realizadas no Brasil. Tudo isso com controle e aval do Banco Central.