Pagamentos via Pix devem entrar no IMPOSTO DE RENDA? Entenda!

Saiba como funciona esse tipo de transação

O Imposto de Renda é uma taxa relacionada as ações tributárias. Isto é, um valor que é calculado em virtude do faturamento anual de determinado indivíduo. Isso acontece, porque o Governo Federal precisa estar ciente da quantidade de dinheiro que gira dentro do país, bem como os valores e porcentagens econômicas pelos trabalhadores.

Para que seja obrigatório declarar o Imposto de Renda, existe um cálculo específico. Esse cálculo, na maior parte das vezes, é realizado pelo Simples Nacional. Assim sendo, todos os dias diversas pessoas acabando desenvolvendo dúvidas em relação à essa declaração. Uma delas, portanto, é em virtude das transações via Pix. Assim sendo, é preciso entender o funcionamento do IR.

No Imposto de Renda
Entenda a declaração / Imagem: @jeanedeoliveirafotografia / pronatec.pro.br

Como funciona o Imposto de Renda

Primeiramente, como o próprio nome menciona, o Imposto de Renda é justamente uma taxa cobrada em relação à uma taxa de recebimento anual dos indivíduos. Isto é, dos trabalhadores. Essa taxa serve para que o Estado tenha controle das finanças e da movimentação de dinheiro no país, em diferentes estados e áreas. Assim sendo, existem valores exatos que requerem essa declaração.

Antecipadamente, o valor limite de recebimento anual varia de acordo com o trabalho exercido. Assim, para quem é MEI (Microempreendedor Anual), a renda máxima recebida, considerando os 12 meses do ano, deve ser inferior a R$81 mil. Para quem atua como microempresa, a renda anual pode ser de até R$360 mil. Já para as empresas de pequeno forte, o máximo é de R$4,8 milhões.

O Simples Nacional (Sistema de Tributação Simplificada) é quem decide esses valores. Para levar em conta a declaração, é preciso realizar alguns cálculos que incluam gastos como, pagamentos, compras em função da empresa, despesas, entre outras coisas. Para melhor entender os valores ideias, basta acessar a página oficial do Governo (bityli.com/mlLGTJKw).

Veja também: ISSO pode impedir a formalização do seu MEI: preste atenção!

Pix entra na declaração?

Antes de mais nada, o Pix é uma ferramenta digital para envio e recebimento de valores. A ferramenta se assemelha com transferências e depósitos, tendo seu diferencial apenas pela praticidade e velocidade da disponibilidade do dinheiro. Assim sendo, o Pix também é uma comprovação de renda. Ou seja, o tributo do Imposto de Renda também leva em consideração as transações realizadas através dele.

Isso porque, as empresas também utilizam as ferramentas digitais para pagamentos. Em muitos casos, as próprias empresas criar uma conta, provendo de um CNPJ, entre outras condições. Desse modo, o Simples Nacional ainda afirma que as transações realizadas de maneira on-line, são ainda mais fáceis na hora de contabilizar os valores tributários.

Dessa forma, quando o indivíduo for realizar sua declaração do IR, ele precisará, indispensavelmente, considerar todas as fontes em que circulam dinheiro para a empresa. Essa comprovação pode ser feita através de comprovantes e extratos bancários. Por fim, em caso de mais dúvidas, consulte a página oficial do Simples e busque pelos canais de atendimento (bityli.com/YLUEaBV).