Pagamento do Auxílio inclusão de R$550: Calendário e novas regras

Atualizado Hoje!

Confira quem vai receber e como vai funcionar o novo benefício do Governo Federal! 

Com a crise no mercado de trabalho e dificuldades nos cofres públicos, o Governo Federal está estruturando algumas mudanças em benefícios sociais. É justamente entre essas novidades que surgiu o pagamento do Auxílio inclusão de R$ 550. 

Entenda a seguir quem poderá receber esse novo benefício e quando a medida entra em vigor. Saiba exatamente quais são essas novas regras e porque nasceu esse novo tipo de auxílio. 

Pagamento do Auxílio inclusão de R$550 Calendário e novas regras
Calendário do Pagamento do Auxílio inclusão de R$550. / Imagem: Divulgação.

Auxílio inclusão o que é

Muitas pessoas já estão querendo saber o que é o Auxílio inclusão, novo benefício que foi confirmado pelo Governo Federal. 

Esse é um auxílio que surgiu a partir de mudanças nas regras do Benefício de Prestação Continuada (BPC). Essas novidades foram confirmadas a partir da Lei nº 14.176 que foi sancionada pelo presidente Jair Bolsonaro em junho. 

Junto com mudanças nos critérios de renda, foi lançado um novo mecanismo que é o Auxílio-inclusão

Esse novo benefício vai oferecer um valor de meio salário mínimo (atualmente R$ 550) para ajudar quem conseguir uma nova inserção no mercado de trabalho. 

Como funciona Auxílio inclusão

Mas como vai funcionar o Auxílio inclusão? Essa ação vai ser disponibilizada para quem já recebe o Benefício de Prestação Continuada neste momento. 

Então as pessoas vão receber o BPC e o auxílio inclusão juntos? Não. Por regra, quem vai receber esse novo benefício são pessoas que conseguirem entrar no mercado de trabalho e, por consequência, deixarem de receber o BPC. 

Pessoas com deficiência, por exemplo, que conseguirem um emprego vão receber o salário + adicional de meio salário mínimo (R$ 550) assim que saírem do BPC. 

Quem pode receber Auxílio-inclusão

Mas quem vai poder receber o auxílio-inclusão? Segundo a lei, os beneficiários precisam ter uma renda familiar per capita de, no máximo, dois salários mínimos. 

É necessário também que os beneficiários do auxílio-inclusão tenham recebido (ou recebeam) o BPC em algum momento dentro do período dos últimos cinco anos. 

Lembrando: quem começar a receber o auxílio-inclusão deixa de receber o Benefício de Prestação Continuada. 

A boa notícia, porém, é que quem perder o emprego ou renda voltará a receber automaticamente o BPC, sem precisar ficar na fila.

Calendário Auxílio-inclusão 

E o calendário do auxílio-inclusão, como vai funcionar? Esse não será um benefício com datas definidas, os pagamentos vão acontecendo de acordo com a demanda. 

Mas é importante ressaltar que o auxílio-inclusão vai começar no dia 1º de outubro de 2021. A partir desta data o benefício vai começar a valer e a solicitação poderá ser feita pelo aplicativo ou por telefone. 

Consulta Auxílio-inclusão: Veja se você pode receber o benefício de R$ 550!

Como solicitar Auxílio-inclusão

A partir de outubro, portanto, todos já podem solicitar o benefício. Mas então: como solicitar o auxílio-inclusão

O Governo Federal lançou todos os detalhes sobre os canais de atendimento. Confira o passo a passo para solicitar o auxílio-inclusão do BPC:

  1. A primeira opção é ligando para o telefone 135 e falando com um atendente; 
  2. Outra opção é usando o site ou aplicativo Meu INSS; 
  3. Quem preferir pode ir em uma das agências da Previdência Social.
solicitar o auxílio-inclusão do BPC
Como solicitar o auxílio-inclusão do BPC. / Imagem: Divulgação.

Novas Regras BPC 2021

Por fim, a Lei nº 14.176 também garantiu novas regras do BPC 2021

A principal delas é a mudança nos critérios de renda para a solicitação do Benefício de Prestação Continuada. Hoje em dia, para receber o benefício é necessário ter uma renda familiar per capita menor do que um quarto de salário mínimo (atualmente R$ 275). 

A nova lei do BPC garante que o rendimento pode ser igual a um quarto de salário mínimo – não apenas menor. Agora também existe a abertura para casos excepcionais para famílias com renda per capita de até meio salário mínimo (atualmente R$ 550). 

 

Leia Também