O que fazer quando o Bolsa Família NÃO cai na conta

Este artigo fornece orientações para beneficiários do Bolsa Família cujos pagamentos não foram depositados na conta Caixa Tem, destacando a atualização do CadÚnico como solução.

Em meio às dificuldades enfrentadas por famílias beneficiárias do Bolsa Família, questões operacionais podem impedir que o auxílio financeiro vital caia na conta Caixa Tem conforme esperado. 

Este artigo aborda as causas comuns desses contratempos e orienta sobre as etapas para solucioná-los, destacando a importância de manter os dados cadastrais atualizados. 

Ao entender o procedimento de verificação e atualização no CadÚnico, os beneficiários podem assegurar a continuidade do recebimento de seus benefícios, garantindo o apoio necessário para suas necessidades básicas.

O que fazer quando o Bolsa Família NÃO cai na conta
Saiba o que fazer se o seu Bolsa Família não cair na conta – Crédito: @jeanedeoliveirafotografia / pronatec.pro.br

Meu Bolsa Família não caiu na conta e agora?

O Bolsa Família, um programa de assistência vital para milhões de famílias brasileiras, por vezes, enfrenta desafios operacionais que podem levar ao bloqueio ou atraso dos pagamentos. 

Existem situações em que o benefício não é depositado na conta Caixa Tem, apesar de estar liberado. Isso pode causar preocupação entre os beneficiários, especialmente quando dependem desses recursos para suas necessidades básicas.

Motivos

A terceira parcela do ano, prevista para ser paga até 28 de março para  milhões de famílias, com um valor médio de R$ 679 por família, pode às vezes não aparecer na conta Caixa Tem conforme esperado. 

Isso pode ser devido a vários motivos, incluindo problemas no CadÚnico, como dados desatualizados ou incorretos. 

O governo realiza uma averiguação cadastral contínua, revisando mais de 7 milhões de cadastros, incluindo famílias unipessoais, para assegurar a precisão das informações e a justa distribuição dos recursos.

Saiba o que fazer

Para resolver o problema de um Bolsa Família não depositado, os beneficiários devem primeiramente verificar se foram aprovados ou bloqueados na nova folha de pagamento. 

A consulta pode ser feita através dos aplicativos Caixa Tem, Bolsa Família, Cadastro Único, ou pelo telefone 121 do MDS e a Central da Caixa no número 111. 

Acesse o site do Caixa Tem: https://www.caixa.gov.br/caixatem/Paginas/default.aspx

Caso o benefício esteja liberado mas não depositado, é recomendável verificar se o pagamento não foi realizado em outra conta.

Como desbloquear o Bolsa Família

Para desbloquear o Bolsa Família e garantir o recebimento futuro do benefício, é crucial atualizar as informações no CadÚnico. 

Isso pode ser feito no setor de atendimento do CadÚnico, apresentando documentos necessários como CPF ou título de eleitor do representante familiar, documento de identificação de cada membro da família, comprovante de residência e de matrícula escolar das crianças e adolescentes.

Após a atualização do cadastro, o Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS) e a Dataprev realizam uma revisão para assegurar a consistência das informações e a elegibilidade para o programa

Se a família estiver dentro das regras de elegibilidade, uma resposta será dada em até 30 dias, podendo o benefício ser liberado novamente.

Veja também: Auxílio ESPECÍFICO do Bolsa Família foi congelado para brasileiros de NIS 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9 e 0; sem previsão de retorno?

Confira o valor do benefício 

Diante disso, os brasileiros que recebem o Bolsa Família, podem contar com um benefício estruturado da seguinte maneira: 

  • Benefício de Renda de Cidadania (BRC): R$ 142 por pessoa na família.
  • Benefício Complementar (BCO): Garante que todas as famílias beneficiadas recebam no mínimo R$ 600.
  • Benefício Extraordinário de Transição (BET): Assegura que nenhum beneficiário receba menos do que o previsto pelo programa anterior, Auxílio Brasil, até maio de 2025.
  • Benefícios de R$ 50 específicos para crianças e gestantes, visando fortalecer o suporte às fases críticas de desenvolvimento.
  • Por fim, BPI (Benefício Primeira Infância) de R$ 150 para crianças de até seis anos de idade. 

Veja também: Bolsa Família ANTECIPADO para estas regiões em abril? Entenda por que o benefício chega mais CEDO em alguns locais!