- Publicidade -

Novo Crédito para Famílias de Estudantes: Pagamentos começam nesta segunda 10/01 – Veja quem recebe

Com as dificuldades do ensino remoto na rede pública, governos criam estratégias para atrair jovens para a sala de aula.

0

Há dois anos a pandemia da Covid-19 atrapalha a vida dos brasileiros, porém, os mais prejudicados foram os alunos do ensino público. Vários motivos explicam isso. O primeiro foi o fechamento das unidades escolares; depois a crise econômica e a falta de acesso ao ensino remoto.

- Publicidade -

Os desafios foram muitos para todos os estudantes, mas para quem está na rede pública de ensino é ainda pior. O motivo é que para muitos alunos, a escola não é apenas um espaço para estudar, mas se alimentar. A covid impediu que crianças, adolescentes e jovens pudessem ter uma alimentação saudável e diária, já que os estabelecimentos de ensino estavam fechados.

Somando tudo isso, o Brasil registrou o aumento de 5% na evasão escolar no ensino fundamental e 10% no ensino médio, de acordo com o IBGE. O número exato são de mais de 5 milhões de estudantes fora da sala de aula. Isso é a metade da população de Portugal.

Bolsa para estudantes
Para receber o benefício, os estudantes devem frequentar as aulas./Imagem: Governo da Bahia

Ensino remoto

- Publicidade -

Enquanto os jovens de escolas privadas acompanhavam as suas aulas no conforto de suas casas, usando uma internet boa, os estudantes de colégios públicos tinham que esperar a mãe ou o pai terem internet no celular para tentarem assistir as aulas. A maioria não conseguia.

Para saber mais sobre os problemas enfrentados por professores e alunos, o Centro Regional de Estudos para o Desenvolvimento da Sociedade da Informação (cetic.br), divulgou uma pesquisa. O levantamento apontou que 83% das escolas públicas estaduais e municipais enfrentaram dificuldades em realizar as aulas à distância.

Além da dificuldade dos estudantes de terem acesso à internet, as unidades de ensino não tinham equipamentos adequados para gravar e transmitir as aulas.

Para reduzir o impacto na educação de milhares de crianças e adolescentes, algumas escolas criaram estratégias, como enviar atividades por meio do whatsapp, email ou pedir que os pais ou jovens pegassem as atividades na escola.

- Publicidade -

Todos esses problemas aumentaram e muito a diferença entre alunos de escolas privadas e de escolas públicas.

Veja também: Convocação Aplicadores Enem 2022: MEC abre chamada para certificadores do exame

Bolsa na Bahia incentiva a volta às aulas

Para não repetir os erros de 2020 e 2021, governos tentam atrair os alunos para a sala de aula. Com a reabertura das escolas e a obrigatoriedade do retorno presencial, gestores criam ações e incentivos financeiros.

- Publicidade -

É o caso do governo da Bahia. No estado baiano, quem estuda em uma das unidades da rede estadual pode receber até R$ 15 por mês. Por meio do programa Bolsa Presença, pais de alunos são contemplados com o auxílio financeiro a partir do dia 10 de janeiro.

Um dos critérios para ser beneficiado é ser cadastrado no CadÚnico e estar em situação de vulnerabilidade social. De acordo com o governo estadual, mais de 370 mil famílias receberão os recursos. Além das duas condições já citadas, o estudante precisa frequentar as aulas todos os dias.

Veja também: Parcelas de R$ 400 até dezembro de 2022: Governo libera cronograma de pagamento – Veja as datas

Este website usa cookies para melhorar sua experiência. Aceitar Leia Mais