Nova redução no teto do consignado para INSS? Entenda!

Entenda como funciona a aprovação da redução do teto do consignado para beneficiários do INSS

No Brasil ainda existem muitas famílias que precisam de ajuda financeira para lidar com as contas. São brasileiros e brasileiras que dependem diretamente de opções como empréstimos consignados – com desconto direto em folha.

Por isso uma decisão recente impacta diretamente os aposentados e pensionistas do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). Entenda exatamente o que está acontecendo e qual foi a decisão do Conselho Nacional da Previdência Social (CNPS) que bate diretamente nos limites de valores de quem procurar esse tipo de aporte a partir de agora. Fique ligado e saiba porque essa decisão foi tomada.

Consignado INSS
Entenda exatamente o que está acontecendo com o consignado do INSS para os beneficiários (Crédito: @jeanedeoliveirafotografia / pronatec.pro.br)

Redução no teto do consignado para beneficiários do INSS

Antes de mais nada, é importante lembrar que estamos falando de uma medida que possui uma boa intenção por trás. A ideia é justamente aliviar – principalmente em médio e longo prazo – a vida financeira de muita gente que entra na famosa “bola de neve” de dívidas.

A redução da taxa máxima de juros cobrada em empréstimos consignados é voltada para beneficiários do INSS. Essas melhores condições de crédito para esse segmento da população deve garantir que os brasileiros possam ter descontos em folha de pagamento menores.

O que aconteceu é que o CNPS estabeleceu que o teto para o empréstimo consignado convencional, com desconto direto na folha de pagamento, cairá de 1,84% para 1,80% ao mês.

Para as operações na modalidade de cartão de crédito e cartão consignado, a taxa máxima de juros ajustou-se de 2,73% para 2,67% ao mês.

A intenção é garantir que em breve a população tenha um alívio significativo. Muita gente que está “apertada” recorre a essa opção e acaba pagando altos valores de volta.

Veja também: Crédito consignado na CAIXA: confira o passo a passo para solicitar ainda HOJE

Por que vai acontecer a redução do consignado?

Essa decisão veio após um impasse na última reunião do conselho sobre o ritmo de redução do teto do consignado.

Primeiramente, o Ministério da Previdência propôs uma redução maior: para 1,77% ao mês. Isso seguiria, portanto, os cortes da taxa Selic.

Contudo, a Confederação Nacional do Comércio (CNC), que também é membra do CNPS, sugeriu uma redução menor, para 1,80% ao mês.

Essa taxa foi aprovada justamente para que os bancos continuem oferecendo esses empréstimos de forma atrativa. Com uma redução maior, o medo era que nenhuma instituição financeira acompanhasse, deixando a população sem essa opção.

Agora vale a pena pedir o consignado?

Por fim, é importante lembrar que os beneficiários do Instituto Nacional do Seguro Social devem continuar tendo cuidado. A recomendação de especialistas é a mesma: a gestão financeira ainda é fundamental.

Ou seja, não é porque houve a redução que você deve simples ir atrás de um empréstimo consignado. A saber, o melhor caminho é sempre manter uma gestão financeira.

Esse tipo de cautela é fundamental para qualquer pessoa já que o consignado é com desconto direto em folha. E isso pode acabar saindo do controle rapidamente.

Por isso, se você é aposentado ou pensionista do INSS, mantenha todo o cuidado com sua vida financeira. Essa é a melhor maneira de garantir que você não vai ter descontos altos nas suas mensalidades.

Veja também: Empréstimo consignado é liberado para segurados do INSS? Saiba mais!