Mudança no PREÇO dos COMBUSTÍVEIS em 2023; gasolina vai diminuir ou aumentar?

Preço dos combustíveis sofrerá modificações durante o governo do futuro presidente. Objetivo é beneficiar motoristas.

O preço dos combustíveis é algo que vem deixando muitas pessoas incomodadas. Durante este ano, o valor subiu tanto, a ponto de alcançar R$ 7. Porém, a diminuição dos valores não durou muito tempo. 

Agora, os brasileiros estão ansiosos para saber quais serão as decisões de Lula para o próximo ano. O preço da gasolina é um fator importante e o povo espera uma resolução acerca dessa questão. 

Mudança no PREÇO dos COMBUSTÍVEIS em 2023; gasolina vai diminuir ou aumentar?
Saiba mais sobre o preço dos combustíveis – Imagem: @jeanedeoliveirafotografia / pronatec.pro.br

Preço dos combustíveis em 2023

Recentemente, o candidato Lula da Silva (PT) foi eleito ao cargo de Presidente no Brasil. Com isso, sua equipe já começou a se movimentar para resolver questões para o próximo ano pois está estudando uma maneira de regionalizar os preços dos combustíveis no país. 

Essa será uma alternativa ao Preço de Paridade de Importação (PPI). Vale lembrar que o futuro presidente é crítico de como funcionam os preços da Petrobrás hoje. Assim, a saída está em discussão entre os responsáveis do próximo ano. 

Vale lembrar que com o PPI os valores são baseados na cotação externa do mercado. Assim, a ideia geral da equipe é substituir essa maneira de corrigir os valores. Dessa forma, será usada uma política nacional. Logo, haverá uma calibragem por região. 

Em reportagem para O Globo, a equipe explica o plano. De acordo com eles, existirá um valor de referência do petróleo. Assim, essa quantia será estabelecida pela Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP). Contudo, a consideração será regional. 

Saiba mais: Valor dos COMBUSTÍVEIS vai AUMENTAR em 2023? Confira as estimativas

Como vai funcionar?

Sendo assim, de acordo com fontes, é necessário mapear as áreas de influência de todas as refinarias espalhadas no Brasil. Depois de fazer isso, é necessário calcular a produção de combustível de cada refinaria. Esse processo será feito considerando a capacidade instalada. 

Depois ainda é preciso calcular o volume de importação necessário para atender a região. Assim, os custos desse processo acabam variando de acordo com a localidade, por esse motivo, regiões diferentes possuem valores diferentes. 

Logo, nas regiões onde a importação possui uma fatia maior, o preço internacional deverá ter um peso maior na hora da composição da quantia final a ser comprada na refinaria. 

Contudo, ainda existem detalhes que devem ser acertados. Dentre eles está a periodicidade dos reajustes. Além disso, também seria necessário estabelecer a delimitação geográfica das áreas que iriam influenciar no valor. 

Dessa maneira, o atual governo tem a pretensão de criar uma conta de estabilização nos valores do combustível. Esse processo ajudaria a manter a quantia quando houvesse algum período de crise. Contudo, para seguir essa ideia é necessário ter a colaboração do Congresso Nacional. 

Na entrevista com o jornal, ainda é possível conhecer mais informações. Dentre elas está a estratégia de formação dos estoques reguladores. Para isso seria pensada uma estruturação de política nacional. 

Assim, nessa situação haveria alguns alertas para as distribuidoras. O objetivo seria observar os melhores momentos para comprar combustível Com essa ideia, as empresas não precisam deixar os valores nas bombas tão caros.

Para finalizar, o governo do futuro presidente ainda tem mais um objetivo em relação à Petrobras. Durante o próximo ano a ideia é aumentar a capacidade da refinaria da estatal. 

Veja também: Nova ALTA dos COMBUSTÍVEIS? Confira o valor para abastecer!