Moeda de R$ 1,00 vale IMPRESSIONANTES R$ 20 MIL: confira sua carteira, você pode ter uma

Brasileiros dizem negociar moedas "raras" por até R$ 20 mil, mas a Casa da Moeda garante que unidades sequer existem. Veja!

Será que uma moeda de R$ 1 pode custar até R$ 20 mil para quem coleciona? Alguns vídeos no TikTok exibem moedas do Real com características especiais — mas não incomuns — que supostamente teriam um valor muito maior do que o indicado. No entanto, especialistas em numismática afirmam que a realidade é diferente. Siga a leitura e descubra.

Saiba se é realmente possível isso acontecer. (Crédito: @jeanedeoliveirafotografia / pronatec.pro.br).

Moeda de R$ 1 valendo R$ 20 MIL? Entenda

Brasileiros têm acompanhado uma nova tendência na rede social. Trata-se do compartilhamento de vídeos sobre numismática, a arte de colecionar e estudar moedas. De modo geral, os internautas têm se interessado por esse hobby e buscam descobrir se possuem moedas raras e valiosas em suas casas.

Publicações com a hashtag #moedarara acumulam 34,5 milhões de visualizações, enquanto a #numismatica_hobby chegou a marca de 90,6 milhões de views. Nesse cenário, uma moeda de R$ 1 com um defeito de fabricação está sendo alvo de muita procura nas redes sociais. Inclusive, tem circulado um vídeo que mostra essa moeda, chamada de “perna de pau”. Sozinha, a publicação acumula mais de um milhão de visualizações, com milhares de comentários de usuários querendo mais informações.

O autor do vídeo, Roberto Alves de Souza, se apresenta como “um dos maiores colecionadores de moedas raras do Brasil” e afirma que a moeda vale mais de R$ 20 mil caso seja bifacial. Em outras palavras, para atingir esse valor, é preciso que esta moeda tenha as duas faces iguais — isso seria possível caso a unidade fosse emitida em uma série com erro de cunhagem. Por serem mais difíceis de encontrar, essas unidades especiais tem atraído colecionadores.

Saiba também: Moeda de R$ 1,00 conhecida como PERNA DE PAU pode custar aproximadamente R$ 20.000 

Casa da Moeda nega valores

A moeda abordada no vídeo em questão é aquela que foi emitida para celebrar o atletismo paralímpico, constituindo-se como parte integrante da série de moedas especiais cunhadas em comemoração aos Jogos Olímpicos de 2016. Naquela ocasião, a quantidade total de exemplares deste padrão alcançou a marca de 20 milhões. Todos os exemplares foram lançados em circulação.

Contudo, apesar da moeda das Olimpíadas realmente existir, a Casa da Moeda nega que uma moeda “bifacial” possa ter sido produzida oficialmente no Brasil. Em nota ao Valor, a instituição explicou que cada moeda possui um “anverso” e “reverso” (os dois lados popularmente chamados como cara ou coroa) distintos, com suas respectivas artes. Veja o que foi dito pela entidade:

“Logo, não seria lógico existir moedas com dois lados iguais. Partindo dessa afirmativa, esta Casa da Moeda do Brasil não produziu nenhuma moeda nessa condição, de nenhuma taxa”.

Isso ocorre devido ao fato de que, de acordo com a Casa da Moeda, todas as fases do processo, desde a elaboração das matérias-primas (substratos), são supervisionadas tanto pelos profissionais encarregados de cada etapa técnica quanto pelos especialistas responsáveis pelo controle de qualidade, nos laboratórios e na avaliação direta da qualidade em si.

Assim, os testes de produção são conduzidos seguindo os mesmos protocolos rigorosos de supervisão, com o devido registro em planilhas específicas para o processo. Essas etapas são monitoradas por especialistas qualificados nas áreas de controle de qualidade, produção, aspectos técnicos e artísticos. Tal cuidado, portanto, contribui para a prevenção completa de erros de cunhagem tão evidentes quanto os relacionados a lados bifaciais.

“No caso de um bem que agregue valor de imagem, principalmente no que tange a soberania nacional, os controles precisam ser mais rigorosos e, por todo esse apanhado, ratificamos que não temos em nossos registros nesta Casa da Moeda do Brasil informações que remontem alguma ocorrência de produção de moedas cunhadas com lados em duplicidade, ou como o nome dado pelo segmento numismático: Moeda Bifacial”, afirmou a Casa da Moeda em nota.

Então, qual seria o valor real?

Uma moeda de R$ 1 comemorativa ao atletismo paralímpico realmente existe e pode ser encontrada sendo vendida a R$ 10 no site Numismática Vieira (www.numismaticavieira.com.br). A equipe do Valor Econômico tentou contato com o usuário Roberto Alves de Souza, mas não obteve retorno. O TikTok também foi procurado, porém, até a publicação desta matéria, não havia respondido.

Veja também: FIM do Real? Entenda a possibilidade do Brasil adotar o DÓLAR como moeda oficial