Quase 3 MILHÕES de senhas dos brasileiros já vazaram neste ano; descubra se a sua segurança está em RISCO

São senhas de e-mails e credenciais de acesso aos serviços governamentais. As informações são vendidas e usadas para aplicação de golpes.

A era da tecnologia e inovação também é afetada pela exposição de dados dos usuários, com senhas que vazaram e deixaram as informações vulneráveis. De acordo com a Apura, empresa especializada em segurança digital, em torno de 3 milhões de contas dos brasileiros foram alvo da ação dos cibercriminosos somente neste ano.

As senhas e informações de logins são obtidas por um malware, que é um tipo de vírus ladrão que vasculha os dispositivos em busca dos dados pessoais e confidenciais dos usuários. Por isso que é tão importante manter a segurança dos dados, garantindo que eles estão protegidos e evitando danos maiores.

Tem como evitar que o vazamento aconteça ao aumentar a segurança das informações, tomando algumas atitudes preventivas, conforme vamos indicar logo mais. Confira a seguir quais são os dados mais atingidos pelo vazamento de dados e de que forma eles são utilizados pelos cibercriminosos.

Quase 3 MILHÕES de senhas dos brasileiros já vazaram neste ano; descubra se a sua segurança está em RISCO
Cuidado com os links e aplicativos que instala nos dispositivos, eles podem vazar as suas senhas. Foto: divulgação

Quais são as contas das senhas que vazaram?

Somente no primeiro semestre de 2023 foram vazadas 2,7 milhões de contas de usuário. As contas mais afetadas são as dos serviços de e-mail e as credenciais de acesso aos serviços do governo, isso porque são estas contas que possuem o maior potencial de informações pessoais e confidenciais das pessoas.

Os dados da Apura identificaram apenas os domínios que possuem a terminação em “.br”. Os mais afetados são os e-mails do Yahoo, que representam um total de 22% das contas com senhas vazadas, na sequência aparecem as contas do IG, UOL, e BOL, com 6% do vazamento das informações. E por últimos as contas gov.br, que tiveram 5,3% da exposição.

As senhas são obtidas a partir de malwares que vasculham os computadores e celulares em busca das informações de acesso. Em posse dos dados, os cibercriminosos negociam a comercialização das credenciais. Apesar do dado de senhas vazadas no Brasil assustar, ele é apenas 1% do total mundial. Considerando todos os países, 249,8 milhões de e-mails e senhas foram expostos de janeiro a junho deste ano.

Em termos global, os e-mails são os mais afetados, seguidos das contas de redes sociais, de organizações de mídia e jogos online. A venda das informações é feita em pacotes de dados, o que acontece principalmente em grupos do Telegram e em mercados da dark web.

Veja também: Os dados do seu CARTÃO podem estar em RISCO! Entenda o porquê

Saiba como manter os seus dispositivos protegidos

Normalmente os vírus que conseguiram as senhas que vazaram são instalados nos dispositivos por meio de e-mails falsos, sites suspeitos, jogos pirateados e anúncios em redes sociais. Para se proteger da ação dos cibercriminos é preciso ter atenção com os sites que acessa e os downloads que realiza, pois eles podem ser a porta de entrada para os malwares.

Os usuários devem utilizar preferencialmente as lojas oficiais de aplicativos para celulares e optar por só instalar softwares que sejam verificados e reconhecidos. Outra coisa que ajuda é ativar a autenticação em duas etapas nos e-mail, redes sociais e apps financeiros. Evite o salvamento das credenciais nos navegadores e mantenha o antivírus sempre ativo para identificar e combater possíveis ameaças.

Veja também: MITO OU VERDADE: desligar o celular por alguns minutos aumenta a proteção contra ataques HACKER?