Mensagens de voz explosivas no WhatsApp: você já testou o novo recurso?

O WhatsApp anunciou um novo recurso que libera mensagens explosivas aos usuários. Entenda como função vai funcionar.

O WhatsApp, certamente, é um dos aplicativos de mensagens mais usados em todo o mundo. Inicialmente, o mensageiro contava com poucos recursos. Mas, agora, existem diversas funções que agradam ao público. 

De acordo com a Meta, empresa responsável pelo Whatsapp, existe uma nova forma de mandar áudios pelo aplicativo. Muitos já chamam o recurso de ‘áudios explosivos’. 

Continue lendo esta matéria para saber como a novidade funciona. 

Mensagens de voz explosivas no WhatApp você já testou o novo recurso
WhatsApp lança novos recursos de mensagens explosivas – Crédito: @jeanedeoliveirafotografia / pronatec.pro.br

WhatsApp lança recursos de áudios explosivos 

O WhatsApp, aplicativo de mensagens amplamente utilizado no mundo, introduziu uma inovação significativa: a opção de enviar mensagens de voz que podem ser ouvidas apenas uma vez pelo destinatário.

Esta funcionalidade é um marco para a segurança e privacidade, permitindo aos usuários compartilhar informações confidenciais com menos preocupação de que seus áudios possam ser encaminhados indevidamente.

Vale destacar que antes, já existia uma ferramenta parecida no mensageiro. No entanto, ela funcionava com fotos e vídeos. Então, a possibilidade de enviar áudios únicos já era aguardada pelos usuários. 

Como funciona?

Enviar uma mensagem de voz de visualização única é simples. Ao gravar um áudio, basta selecionar a opção indicada pelo ícone “1” antes de enviar. 

Esta mensagem, então, só poderá ser reproduzida uma vez pelo receptor, desaparecendo da conversa após sua execução, semelhante às fotos e vídeos de visualização única já existentes no app.

Por que isso é importante?

A introdução dessa funcionalidade pelo WhatsApp ressalta o compromisso contínuo da plataforma com a proteção da privacidade dos usuários

As mensagens de voz de visualização única vêm com criptografia de ponta a ponta, garantindo que apenas o remetente e o destinatário possam acessar seu conteúdo. 

Esta atualização é uma resposta direta às demandas por maior segurança nas comunicações digitais, oferecendo uma camada adicional de proteção às informações sensíveis compartilhadas entre usuários.

Passo a passo para usar a nova função

Confira um tutorial de como mandar os ‘áudios explosivos’ pelo mensageiro. 

  • Abra o WhatsApp e selecione a conversa desejada;
  • Toque no ícone do microfone e deslize e trave a gravação;
  • Selecione o ícone “1” para marcar o áudio como de visualização única;
  • Envie o áudio tocando na seta de envio.

Por que não consigo enviar áudios de visualização única? 

Vale destacar que todas as atualizações do WhatsApp acontecem de forma gradual. Ou seja, o mensageiro não disponibiliza para os usuários ao mesmo tempo. Inicialmente, as mudanças são liberadas para a versão beta – de testes. 

Em seguida, o app da Meta passa a liberar para todos os usuários, mas aos poucos. Para saber se o recurso está disponível em seu aparelho, o recomendado é fazer o teste. Caso não aconteça nada, tente atualizar na Apple Store ou Google Play Store. 

Se mesmo com a atualização o aparelho não liberar a ferramenta, aguarde até que o app forneça o novo recurso a todos os usuários. 

Veja também: Passo a passo para colocar senha no WhatsApp: proteja seu app!

Confira as principais mudanças do mensageiro

Em 2023, o WhatsApp implementou mudanças significativas, visando enriquecer a experiência do usuário e reforçar a segurança. Dentre as inovações, destaca-se a introdução do recurso de mensagens autodestrutivas, proporcionando maior privacidade nas conversas. 

A plataforma também expandiu as funcionalidades de grupos, permitindo maior controle aos administradores e enriquecendo a interação com novas ferramentas de gerenciamento. 

Outra atualização foi a melhoria na qualidade das chamadas de vídeo, suportando um número maior de participantes simultaneamente.

Veja também: GOLPE do WhatsApp está fazendo vítimas desempregadas; entenda quais os riscos