Mães solteiras estão FORA do pente-fino do CadÚnico? Entenda!

Mães solteiras se encontram no centro do debate sobre a fiscalização do Cadastro Único, buscando equilibrar a necessidade de apoio governamental com o temor de perder benefícios essenciais.

No Brasil, as mães solteiras enfrentam desafios diários não apenas na criação de seus filhos, mas também na navegação pelo complexo sistema de benefícios sociais.

Recentemente, o foco se voltou para o Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico), especialmente com o anúncio de uma nova rodada de fiscalizações, popularmente conhecida como “pente-fino”.

Mães solteiras estão FORA do pente-fino do CadÚnico? Entenda!
Fiscalização do CadÚnico.Crédito: @jeanedeoliveirafotografia / pronatec.pro.br

Cadastro Único

O CadÚnico é a porta de entrada para uma série de programas sociais, incluindo o Bolsa Família (agora Auxílio Brasil), Tarifa Social de Energia Elétrica, entre outros. Para muitas mães solteiras, esses programas representam uma ajuda vital para cobrir despesas básicas como alimentação, saúde e educação.

No entanto, o processo de fiscalização pode ser fonte de ansiedade. Mães que, por qualquer razão, possuam informações desatualizadas ou incompletas no CadÚnico podem correr o risco de ter seus benefícios suspensos.

Esse medo se intensifica com o anúncio de novas ações de pente-fino, apesar do objetivo governamental ser o de assegurar a justa distribuição dos recursos públicos.

Quais são os critérios para mães solteiras receberem o Bolsa Família?

Para mães solteiras receberem o Bolsa Família, elas devem atender a uma série de critérios estabelecidos pelo governo federal.

Esses critérios visam identificar as famílias em situação de pobreza e extrema pobreza que necessitam de apoio financeiro. Aqui estão os principais requisitos:

  1. Cadastro Único: A família deve estar devidamente cadastrada no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico), com os dados atualizados nos últimos 24 meses. O CadÚnico é o principal instrumento para identificação e caracterização socioeconômica das famílias brasileiras de baixa renda.
  2. Faixas de Renda:
    • Famílias em Situação de Extrema Pobreza: Aquelas com renda familiar per capita de até R$ 105,00 por mês.
    • Famílias em Situação de Pobreza: Aquelas com renda familiar per capita entre R$ 105,01 e R$ 210,00 por mês, desde que tenham gestantes, nutrizes, crianças ou adolescentes entre 0 e 17 anos na composição familiar.
  3. Composição Familiar: Famílias com crianças, adolescentes, gestantes ou nutrizes têm prioridade no recebimento do Auxílio Brasil. Mães solteiras com dependentes nessas condições se enquadram nesse critério.
  4. Condicionalidades: A família deve cumprir as condicionalidades do programa, que incluem:
    • Frequência escolar mínima para crianças e adolescentes.
    • Acompanhamento das vacinas em dia e do estado nutricional das crianças.
    • Acompanhamento de saúde para gestantes e nutrizes.
  5. Estar Entre os Selecionados: Após cumprir os critérios acima, as famílias são selecionadas com base em uma análise da vulnerabilidade socioeconômica, considerando os recursos disponíveis para o programa. Nem todas as famílias elegíveis são imediatamente incluídas devido à limitação orçamentária do programa.

Veja também: Benefício mínimo de R$ 600 para MÃES solteiras está sendo pago; veja QUANTO você pode receber neste mês

Como comprovar a condição de mãe solteira no CadÚnico?

Para comprovar a condição de mãe solteira no Cadastro Único (CadÚnico) para Programas Sociais do Governo Federal, é necessário seguir os procedimentos estabelecidos pela gestão local do CadÚnico, que pode variar ligeiramente de um município para outro.

No entanto, existem algumas diretrizes gerais que podem ajudar nesse processo:

  1. Documentação Pessoal: Geralmente, é preciso apresentar documentos pessoais seus e de seus dependentes. Isso inclui, mas não está limitado a, RG, CPF, certidão de nascimento das crianças e/ou adolescentes sob sua guarda, e talvez uma certidão de casamento com averbação de divórcio, se aplicável.
  2. Declaração de Estado Civil: Em alguns casos, pode ser necessário fornecer uma declaração de estado civil, afirmando ser solteira. Essa declaração pode precisar ser formalizada em cartório, dependendo das exigências do órgão gestor local do CadÚnico.
  3. Prova de Residência: Documentos que comprovem seu endereço atual, como contas de água, luz, telefone ou contrato de aluguel em seu nome.
  4. Documentos dos Filhos: Para comprovar a dependência dos filhos, é preciso apresentar a certidão de nascimento de cada um e, se aplicável, documentos que comprovem a guarda legal das crianças e/ou adolescentes.
  5. Declaração de Ausência do Pai: Em casos onde o pai das crianças não está presente ou não contribui para o sustento da família, pode ser necessário apresentar uma declaração nesse sentido. Algumas localidades podem solicitar uma declaração formal ou documentos judiciais que comprovem a situação.
  6. Visita de Agentes do CadÚnico: Em algumas situações, pode haver uma visita domiciliar por parte de agentes do CadÚnico para verificar as condições de moradia e a composição familiar.

Veja também: Bolsa Família e a antecipação de março: NIS final 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9 e 0 poderão sacar R$ 800

Como mães solteiras podem atualizar suas informações no CadÚnico?

Mães solteiras, assim como qualquer cidadão que precisa atualizar suas informações no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico), devem seguir um procedimento específico para garantir que seus dados estejam corretos e atualizados. Isso é crucial para manter o acesso a programas sociais e benefícios.

Aqui está como mães solteiras podem atualizar suas informações no CadÚnico:

Passo a Passo para Atualizar Informações no CadÚnico:

  1. Agendamento de Atendimento:
    • Em muitos municípios, é possível agendar um atendimento presencial no Centro de Referência de Assistência Social (CRAS) mais próximo ou em outra unidade de cadastro do CadÚnico. Verifique se existe um sistema de agendamento online ou telefone para marcar sua visita.
  2. Documentação Necessária:
    • Prepare e leve todos os documentos necessários para a atualização do cadastro. Isso geralmente inclui:
      • Documento de identidade (RG) e CPF da mãe;
      • Certidão de nascimento dos filhos;
      • Comprovante de residência atual;
      • Documentos que comprovem renda, como contracheques ou declaração de autônomo;
      • Em caso de separação, divórcio ou viuvez, documentos relevantes que comprovem a situação;
      • Qualquer outro documento que tenha sido alterado desde o último cadastro ou que comprove mudanças nas condições de vida da família.
  3. Atualização de Dados:
    • No CRAS ou na unidade de cadastro, um funcionário responsável realizará a atualização das suas informações no sistema do CadÚnico. Certifique-se de verificar todas as informações para garantir que estejam corretas e completas.
  4. Confirmação e Recibo:
    • Após a atualização, o responsável pelo cadastro deve fornecer uma confirmação de que as informações foram atualizadas. Em alguns casos, você pode receber um recibo ou comprovante da atualização.
  5. Verificação e Acompanhamento:
    • Algumas semanas após a atualização, é aconselhável verificar se as mudanças foram processadas corretamente. Isso pode ser feito através de consulta online, se disponível, ou retornando à unidade de cadastro.

Veja também: Cadastro Único passa a pagar NOVO benefício aos inscritos; confira as REGRAS para saber quem pode receber