Governo lança novo site para Devolução do Auxílio Emergencial: Entenda!

Vinicius ColaresVinicius Colares
Atualizado Hoje!

Governo lança novo site para Devolução do Auxílio Emergencial – Entenda como irá funcionar o site voltado para a devolução dos valores de R$ 600,00 ou R$ 1,2 mil!

O número de brasileiros passando por dificuldades financeiras é muito grande neste momento. Por isso o benefício de R$ 600,00 foi (e ainda está sendo) tão solicitado. Mas como esse é um programa em nível nacional algumas inconsistências eram esperadas: por isso surgiu o novo site para Devolução do Auxílio Emergencial

Foram apontada em todas as regiões do país que algumas pessoas que não estavam precisando dessa ajuda receberam os valores. Os casos que ganharam mais destaque foram de militares que ganharam o Auxílio e não tinham direito ao benefício já que não faziam parte dos requisitos. 

A seguir vamos falar um pouco mais sobre essa nova plataforma para quem recebeu e não está precisando do dinheiro. Confira como devem funcionar as devoluções e detalhes sobre esses recebimentos indevidos. 

Governo lança novo site para Devolução do Auxílio Emergencial
Imagem: Divulgação

Site Devolução do Auxílio Emergencial

Pode parecer fake news, mas é verdade: o governo federal lançou um site para Devolução do Auxílio Emergencial. A plataforma entrou no ar na segunda-feira (18 de maio) e está dando o que falar.

Vale-Alimentação: Programa do Governo vai distribuir Auxílio para mais de 800 Mil pessoas! 

Isso porque o site foi ao ar justamente uma semana depois de serem identificados os pagamentos de Auxílio Emergencial para militares. De acordo com levantamentos feitos, aproximadamente 73 mil militares receberam os valores de forma indevida. 

As regras para recebimento são muito claras e esse público específico não constava na lista. O Ministério da Cidadania, porém, não citou em nenhum momento o problema com os militares no anúncio do site. 

De acordo com o site, pelo contrário, qualquer pessoa pode fazer a devolução do Auxílio de R$ 600. Os 59 milhões de brasileiros que deverão receber ou já receberam podem devolver os valores caso não precisem realmente. 

Quem precisa devolver o Auxílio Emergencial

Mas e quem precisa fazer a devolução do Auxílio Emergencial? Mesmo sem falar especificamente da situação dos militares, o site deixa claro que o público alvo é justamente quem recebeu de forma irregular. 

Uma mensagem no próprio site explica que o benefício é voltado para:

  • Trabalhadores informais; 
  • Microempreendedores individuais (MEIs); 
  • Autônomos; 
  • Desempregados. 

A mensagem do Ministério da Cidadania continua dizendo que o objetivo é a proteção emergencial no período de enfrentamento ao Covid-19. Existe um link ainda mostrando os critérios para quem quer receber os R$ 600,00 ou R$ 1,2 mil. 

O site continuará fazendo cadastro para devolução do Auxílio Emergencial para quem recebeu as parcelas “fora dos critérios”. 

Como fazer a devolução do Auxílio Emergencial

E como fazer a devolução do Auxílio Emergencial? Se você é um dos beneficiários que recebeu de forma irregular, é possível fazer isso diretamente pelo novo site. A ideia é que esse valor seja devolvido para servir para ajuda de outras pessoas que precisam. 

Os interessados devem seguir o passo a passo para devolução:

  • Acesse o site: https://devolucaoauxilioemergencial.cidadania.gov.br/devolucao;
  • Adicionar o CPF do titular que recebeu o Auxílio; 
  • Preencher a caixa ‘Não sou um robô’; 
  • Clicar em ‘Emitir GRU’; 
  • Agora será lançado um Guia de Recolhimento da União (GRU) voltado para pagamento no Banco do Brasil; pronto!

De acordo com o site, o cidadão poderá fazer o pagamento por diversos canais de atendimento do Banco do Brasil. Internet, guichês de caixa das agências bem como terminais de autoatendimento são os exemplos citados. 

Confira também o Zap do Bem: Carteira Digital doa R$ 200 para famílias!

Quem pode receber Auxílio Emergencial

Por fim, quem pode receber Auxílio Emergencial? Muitas pessoas fizeram a solicitação e agora não sabem se estão de acordo para receber os valores ou não. Por isso é importante sempre relembrar exatamente quem pode ter os valores em mãos:

– Estar em uma família com renda mensal que não ultrapasse meio salário mínimo por pessoa (R$ 522,50) – ou com renda familiar de até três salários mínimos (R$ 3.135,00) no total;

– Pessoas que não estão recebendo benefício assistencial ou previdenciário bem como seguro-desemprego ou outro programa de transferência de renda federal – com exceção do Bolsa Família;

– Não tenham recebido rendimentos tributáveis acima de R$ 28.559,70 em 2019;

– Estejam desempregado ou exercendo atividade na condição de: Microempreendedor individual (MEI); Contribuinte individual da Previdência Social; Trabalhador informal, de qualquer natureza, inclusive o intermitente inativo.

 

Leia Também