Golpe do ‘EMPREGO FÁCIL’ está fazendo dezenas de vítimas; saiba como se proteger

Encontrar emprego hoje em dia pode ser uma tarefa complexa para várias pessoas. Se aproveitando disso, criminosos instauraram um novo golpe no mercado.

Nos últimos tempos, temos observado um aumento considerável de golpes virtuais que prometem ganhos rápidos e fáceis, especialmente em tempos de crise econômica.

Um desses golpes, que tem feito várias vítimas, é o famoso “golpe do emprego fácil” em plataformas conhecidas como Shopee, Amazon, entre outras. Mas, como funciona esse esquema e o que podemos fazer para nos proteger? Confira abaixo!

O golpe do emprego fácil está fazendo vítimas em todo país. veja como identificar a artimanha e se proteger!
O golpe do emprego fácil está fazendo vítimas em todo país. veja como identificar a artimanha e se proteger! / Foto: divulgação

O modus operandi do golpe do emprego fácil

O golpe começa com uma mensagem, normalmente via WhatsApp, Instagram ou outros aplicativos de mensagens, onde os fraudadores, se passando por recrutadores, oferecem oportunidades de emprego com remunerações diárias atraentes por tarefas simples, como curtir produtos nestes marketplaces.

Inicialmente, o golpe parece legítimo, com tarefas remuneradas que realmente pagam pequenos valores, criando uma falsa sensação de confiabilidade e segurança.

Confira também: Como dar entrada no seguro-desemprego usando apenas o celular

O aumento do perigo

Contudo, a situação complica quando os estelionatários começam a solicitar a realização de “tarefas pagas”, nas quais a vítima precisa investir seu próprio dinheiro com a promessa de receber um retorno maior, incluindo um bônus.

É neste momento que o golpe se consuma. As vítimas são levadas a acreditar na legitimidade do esquema e acabam investindo quantias cada vez maiores, levadas pela promessa de lucros fáceis e rápidos.

Psicologia por trás do golpe do emprego fácil

Os criminosos utilizam estratégias psicológicas sofisticadas para enganar as vítimas, aproveitando-se da confiança inicial estabelecida para convencê-las a fazer pagamentos progressivamente maiores.

Essas táticas incluem a manipulação emocional e a exploração da vulnerabilidade humana, especialmente em períodos de dificuldades financeiras.

Como se proteger

Para evitar cair nesses golpes, é crucial estar sempre atento às ofertas de emprego que parecem boas demais para ser verdade.

Desconfie de qualquer oportunidade de trabalho que exija um investimento inicial ou prometa retornos financeiros desproporcionais ao esforço.

Além disso, é fundamental verificar a autenticidade das ofertas por meio de canais oficiais das empresas mencionadas.

Veja mais: Foi vítima do GOLPE do Pix? Saiba o que fazer para recuperar os valores e se proteger

O que fazer se me tornar vítima?

Caso você se torne vítima de um desses golpes, saiba que há recursos legais disponíveis. Especialistas em direito criminal e crimes digitais podem auxiliar na apuração dos envolvidos e na tentativa de ressarcimento dos valores perdidos, especialmente em casos de prejuízos maiores. Portanto, não deixe de recorrer aos seus direitos.

Golpes semelhantes ao do emprego fácil

Por fim, além do golpe do emprego fácil, existem vários outros esquemas fraudulentos que exploram a confiança e a vulnerabilidade das pessoas na internet.

Um exemplo é o “golpe do amor”, onde criminosos criam perfis falsos em redes sociais ou aplicativos de namoro para estabelecer relacionamentos fictícios e, eventualmente, solicitar dinheiro sob pretextos emocionais.

Outro golpe comum é o “phishing“, que utiliza e-mails, mensagens ou websites fraudulentos para enganar as vítimas, fazendo-as fornecer dados pessoais e financeiros.

Também há o “golpe do leilão falso”, onde itens são anunciados em sites de leilões a preços atraentes, mas o produto nunca é entregue após o pagamento.

Esses golpes compartilham uma estratégia comum de manipulação, onde os fraudadores se aproveitam da boa fé das pessoas para obter vantagens financeiras, destacando a importância da cautela e verificação antes de realizar transações ou compartilhar informações pessoais online.

Acompanhe mais: Caiu no golpe do PIX? Saiba exatamente o que fazer!