Fraudes no Bolsa Família somam R$ 34,2 BI: irregulares terão que devolver valores?

É importante que sejam feitas ações efetivas para combater as fraudes no programa.

É com indignação que os brasileiros recebem a notícia de que as fraudes no programa Bolsa Família totalizam um valor assombroso de R$ 34,2 bilhões. Essa quantia representa uma verdadeira sangria nos cofres públicos, prejudicando aqueles que realmente precisam do auxílio do programa.

Chocante valor demonstra maior necessidade de fiscalização. (Crédito: @jeanedeoliveirafotografia / pronatec.pro.br)

Entenda

Segundo dados levantados, cerca de 40,3% das famílias fraudadoras apresentam renda superior à que foi declarada no momento da inscrição no programa. Ou seja, essas pessoas não possuem a real necessidade do auxílio, mas mesmo assim o recebem de forma indevida.

Além disso, 33,4% das famílias apresentam condições irregulares quanto à composição familiar. Ou seja, há pessoas que estão incluídas no programa sem ter o perfil para isso, o que evidencia a falta de fiscalização e o descaso com o dinheiro público.

Outro dado alarmante é que 14,8% das famílias têm erros graves de diferença nos endereços cadastrados. Isso indica que muitas pessoas estão recebendo o benefício mesmo não residindo mais no local informado.

São 4,7 milhões de famílias recebendo indevidamente.  Isso representa mais de um quinto de todas as famílias que fazem parte do Bolsa Família. É chocante pensar que tantas pessoas estão se aproveitando do sistema, prejudicando aqueles que estão realmente em situação de vulnerabilidade.

Soluções

É inadmissível que um programa que tem como objetivo auxiliar as famílias mais necessitadas seja utilizado por pessoas que não precisam. Medidas mais rígidas de fiscalização e um sistema de cadastro mais seguro devem ser implementados para evitar que recursos tão importantes sejam desperdiçados.

Alguns aprimoramentos serão realizados no programa:

  • Aprimoramento dos controles de coleta de dados por autodeclaração; 
  • Criação de um sistema de avaliação periódica dos dados;
  • Ampliação de monitoramento e orientação aos municípios.

Veja também: https://pronatec.pro.br/e-preciso-renovar-o-cadastro-para-continuar-recebendo/

Calendário de pagamentos

Para receber o repasse do mês é necessário estar atualizado no CadÚnico e respeitar as condicionalidades da sua parcela.

Novembro

  • NIS 1: pago em 17 de novembro;
  • NIS 2: pago em 20 de novembro (antecipado para sábado, 18);
  • NIS 3: pago em 21 de novembro;
  • NIS 4: pago em 22 de novembro;
  • NIS 5: pago em 23 de novembro;
  • NIS 6: pago em 24 de novembro;
  • NIS 7: pago em 27 de novembro (antecipado para sábado, 25);
  • NIS 8: pago em 28 de novembro;
  • NIS 9: pago em 29 de novembro;
  • NIS 0: pago em 30 de novembro.

Dezembro

  • NIS 1: pago em 11 de dezembro (antecipado para sábado, 09);
  • NIS 2: pago em 12 de dezembro;
  • NIS 3: pago em 13 de dezembro;
  • NIS 4: pago em 14 de dezembro;
  • NIS 5: pago em 15 de dezembro;
  • NIS 6: pago em 18 de dezembro (antecipado para sábado, 16);
  • NIS 7: pago em 19 de dezembro;
  • NIS 8: pago em 20 de dezembro;
  • NIS 9: pago em 21 de dezembro;
  • NIS 0: pago em 22 de dezembro.

Evite ter seu benefício suspenso ou até mesmo cancelado. Vá ao CRAS mais próximo da sua cidade e verifique o status de atualização dos seus dados e da sua família.

Veja também: https://pronatec.pro.br/adicional-de-200-reais-bolsa-familia/