Errei na entrega da declaração do Imposto de Renda, e agora? Veja como consertar a situação para NÃO cair na malha fina!

A entrega da declaração do Imposto de Renda precisa ser feita de forma meticulosa, já que qualquer errinho (mesmo uma vírgula) pode levar à malha fina.

Imagine que você está no meio de uma maratona de séries, tranquilo(a), quando de repente se lembra: “Ops, será que declarei tudo certo no Imposto de Renda?”

Neste ano de 2024, mais de 9 milhões de brasileiros navegaram por esse mar burocrático que é a declaração do IR.

E, como em toda grande aventura, alguns acabaram se perdendo pelo caminho, cometendo aqueles errinhos que, embora humanos, precisam ser corrigidos para evitar uma dor de cabeça maior lá na frente.

Se você vai entregar a declaração do Imposto de Renda, tome cuidado para não cometer erros, ou vai ter de consertá-la.
Se você vai entregar a declaração do Imposto de Renda, tome cuidado para não cometer erros, ou vai ter de consertá-la. / Crédito: @jeanedeoliveirafotografia / pronatec.pro.br

Errou na declaração do Imposto de Renda? Veja como arrumar

Mas, antes que o pânico tome conta, respire fundo e saiba que há solução. Sim, você leu certo! A Receita Federal oferece uma boia salva-vidas chamada declaração retificadora.

Esse processo permite que você ajuste sua declaração, corrigindo informações e até mesmo alterando a forma de tributação, se necessário.

E o melhor? Você tem até o dia 31 de maio para fazer essas alterações sem maiores complicações.

Não perca: Receita Federal libera calendário de consulta à RESTITUIÇÃO do IRPF; CPFs de 0 a 9 podem acessar

O que posso alterar?

  • Forma de tributação;
  • Modelo da declaração: de simplificado para completo ou vice-versa.

Mas atenção: se você deixar para depois do dia 31 de maio, ainda pode fazer a retificação, só que sem alterar o modelo de tributação escolhido.

E lembre-se, você tem um prazo de cinco anos para realizar qualquer correção, contanto que sua declaração não esteja sob análise da Receita.

Passos para a retificação da declaração do Imposto de Renda

Se você se encontra nessa situação, não se desespere. Aqui vai um guia rápido de como navegar pelas águas da retificação:

  1. Abra o programa da Receita do Imposto de Renda (https://bit.ly/3TfjeT8);
  2. Acesse a declaração enviada;
  3. Informe que se trata de uma declaração retificadora e insira o número do recibo do IR original;
  4. Faça as correções necessárias;
  5. Verifique pendências – lembre-se, pendências vermelhas impedem o envio;
  6. Após corrigir, vá para “Entregar declaração”;
  7. Complete os dados solicitados e transmita sua declaração corrigida.

E não esqueça de salvar ou imprimir o recibo de entrega após a transmissão. Cometer erros é parte da jornada humana, mas corrigi-los é um sinal de responsabilidade e cuidado com seu futuro.

Ao ajustar sua declaração do Imposto de Renda, você não só evita possíveis problemas com a Receita Federal mas também garante que seu direito à restituição, se houver, seja preservado.

Veja mais: Malha fina é o TERROR de quem declara o IRPF: saiba como ESCAPAR

O que acontece se eu não consertar a declaração do Imposto de Renda?

Se você não corrigir uma declaração do Imposto de Renda enviada com erros, pode enfrentar consequências significativas.

A Receita Federal pode detectar as discrepâncias durante o processamento e você poderá cair na malha fina, o que atrasa a restituição e exige comprovação das informações corretas.

Caso irregularidades sérias sejam encontradas, isso pode levar a multas que variam de 20% a 150% sobre o valor devido, além de juros.

Em casos extremos, há riscos de processo por sonegação fiscal. Portanto, é crucial enviar uma declaração retificadora para evitar problemas legais e financeiros.

Quem deve declarar o IRPF 2024?

Você ainda está na dúvida se precisa entrar nessa jornada? Aqui vai um resumo de quem precisa declarar o Imposto de Renda em 2024:

  • Quem teve rendimentos tributáveis acima de R$ 28.559,70;
  • Recebeu rendimentos isentos, não tributáveis ou tributados exclusivamente na fonte, acima de R$ 40 mil;
  • Obteve ganho de capital na venda de bens ou direitos;
  • Realizou operações na Bolsa de Valores;
  • Possuiu bens ou direitos acima de R$ 300 mil;
  • Teve receita bruta em atividade rural superior a R$ 142.798,50;
  • Passou a residir no Brasil em 2023 e se encontrava nessa condição em 31 de dezembro.

Acompanhe mais: Fim do IPVA confirmado lei que já está em vigor acaba com o pagamento do imposto para milhares de brasileiros em 2024