Empresas estão oferecendo MILHÕES para quem conseguir HACKEAR o WhatsApp: como funciona isso?

Diversas empresas estão ofertando uma grande quantia em dinheiro para que os hackers realizem a invasão do WhatsApp das pessoas. Entenda porquê o preço é tão alto!

O WhatsApp se caracteriza enquanto um aplicativo multiplataforma de mensagens instantâneas e chamadas de voz para celular que possibilita que os usuários enviem mensagens de texto uns para os outros, além de imagens, vídeos e documentos em PDF, além de também ser possível fazer ligações gratuitas de voz e vídeo quando o smartphone está conectado à internet. 

O WhatsApp foi criado em 2009 por dois antigos veteranos da Yahoo: Jan Koum e Brian Acton e, atualmente, pertence à empresa Meta, que também é responsável por outras redes sociais, como Facebook e Instagram. Desde que foi lançada, a plataforma faz grande sucesso entre os brasileiros.

Além disso, uma empresa brasileira está oferecendo milhões de reais para que os hackers que conseguirem invadir o WhatsApp das pessoas. Portanto, entenda como isso funciona em breve!

Hackers recebem altas quantias em dinheiro para invadir celulares. Crédito: @jeanedeoliveirafotografia / pronatec.pro.br

Empresas pagam até US$ 20 milhões para hackers do WhatsApp

De acordo com alguns dados divulgados recentemente, os programas maliciosos que são capazes de hackear o WhatsApp para permitir o acesso não autorizado às mensagens podem ter um custo de até US$ 20 milhões. Os documentos obtidos mostram como o preço desta espécie de malware tem crescido drasticamente nos últimos anos. 

Ainda segundo o relatório divulgado na última quinta-feira (5), a quantidade oferecida para os hackers equivale a R$ 103 milhões, de acordo com a cotação atual ofertada na última semana por uma empresa localizada na Rússia, que estava interessada em comprar “hacks de dia zero”. Esses profissionais são capazes de explorar falhas desconhecidas a partir do desenvolvedor de software. 

Os malwares estão sendo fornecidos pela companhia por meio de um grupo de clientes que são formados por “organizações privadas e governamentais”, que ficam sediadas na Rússia, de forma a permitir comprometer celulares Android e iPhones remotamente. O valor em questão costuma ser superior ao cobrado no ano de 2021. 

O malware em questão ainda busca explorar uma falha dia zero no zero, o que custava entre US$ 1.7 milhão e US$ 8 milhões há dois anos atrás. A quantia mais baixa é referente a um ataque de clique zero voltado para o mensageiro nos smartphones com sistema Android, o que não exigia nenhuma ação do usuário para que fosse possível comprometer o programa. 

Confira também: Você sabia que é possível SILENCIAR números desconhecidos no WhatsApp? Aprenda como fazer e evite DORES DE CABEÇA!

Entenda o motivo pelo qual o hacker ficou tão caro!

O aplicativo de mensagens da Meta passou por atualizações constantes recentemente com o objetivo de reforçar a segurança do aplicativo. Esse fator foi apontado como um dos motivos para que ocorresse o encarecimento dos hacks. Junto a isso, as ferramentas lançadas pelos sistema operacionais, como foi o caso do modo bloqueio do iOS, acabam por dificultar a invasão da plataforma e também o roubo de dados. 

Vale ressaltar ainda que o sistema ainda menciona a invasão da Ucrânia por parte da Rússia como uma possível motivação para que houvesse o aumento dos preços. 

Saiba mais: Aprenda AGORA como ler as mensagens APAGADAS que enviaram para você no WhatsApp SEM instalar nenhum aplicativo