É obrigatório ter Psicólogos nas Escolas? Saiba mais sobre essa polêmica!

Confira mais detalhes sobre a necessidade de profissionais da Psicologia nas escolas!

A educação é uma das áreas de maior preocupação do povo brasileiro em todas as regiões. Por isso algumas decisões do Governo Federal devem ser discutidas por todas as pessoas. É o caso da pergunta: é obrigatório ter psicólogos nas escolas

Apesar de muitas unidades escolares contarem com profissionais com essa formação, nem sempre encontramos esse membro da equipe. Mas será que é necessário ter psicólogos nos colégios?

Confira a seguir as polêmicas que surgiram com decisão do presidente da República recentemente. Entenda e saiba como funciona exatamente essa discussão. 

É obrigatório ter Psicólogos nas Escolas?
Foto: Divulgação

Psicólogo na Escola

Afinal, é mesmo obrigatório ter psicólogos nas escolas? Essa é uma dúvida que voltou com muita força nas últimas semanas graças ao Governo Federal. Houve um veto dado pelo atual presidente ao projeto de lei (PL) que prevê a atuação permanente destes profissionais nas escolas. 

Esse projeto de lei dos psicólogos nas escolas prevê a obrigação destes profissionais e de assistentes sociais. O atual presidente, Jair Bolsonaro, tentou vetar o projeto mas houve a derrubada do veto.

A pesquisas Nossa Escola em (Re)Construção ouviu estudantes do ensino fundamental e médio e perguntaram sobre isso. E sessenta e quatro por cento (64%) dos alunos que participaram da pesquisa consideram importante esse profissional neste ambiente. 

Especialistas entendem essa demanda dos alunos. Isso acontece porque é importante ter um apoio profissional e de orientação principalmente em escolas de Ensino Fundamental e Médio. 

Lei Psicólogos nas Escolas

Se a lei de psicólogos nas escolas, como está sendo chamado popularmente, seguir adiante é possível que haja adaptação de várias instituições. Isso porque, atualmente, não são todas as escolas que contam com atuação desse profissional. 

Quem defende o projeto afirma que a inserção de psicólogos e assistentes sociais na escola é um investimento – não um gasto. Essa medida poderia, inclusive, ajudar os cofres públicos já que o sistema de saúde público teria menor demanda de problemas vindos das escolas. 

Caso venha a ser sancionada, a lei dos psicólogos e assistentes sociais nas escolas daria o prazo de um ano para as escolas públicas. Dentro desse período era necessário contratar psicólogos e assistentes sociais no seu quadro de pessoal. A lei serviria tanto para Ensino Fundamental como para Ensino Médio. 

 

Leia Também