Dinossauros ainda existiriam se não fosse o asteroide? Descubra a verdade

Estudo responde questão que intriga o mundo

Há muita discussão se os dinossauros ainda existiriam se não fosse o meteoro que caiu na Terra há milhões de anos. O asteroide com a velocidade de 72 mil quilômetros por hora é tido pela ciência como o principal motivo da extinção dos grandes e temidos répteis.

Esses animais surgiram há cerca de 220 milhões de anos e a extinção deles teria ocorrido há, aproximadamente, 65 milhões de anos. Eles dominaram a Terra ao longo de toda a Era Mesozoica e havia espécies dos mais variados tamanhos e pesos, que poderiam chegar a toneladas. Como eram muito grandes, tinham dificuldades para se locomover. Então, fica a eterna dúvida: os dinossauros ainda existiriam se não fosse o meteoro que caiu na Terra?

Dinossauros-ainda-existiram
Meteoro pode não ter sido a razão da extinção dos dinossauros (Foto: divulgação)

Sem meteoro, ainda existiriam dinossauros?

A discussão se os dinossauros ainda existiriam no planeta caso um asteroide não tivesse caído na Terra é muito ampla. Alguns cientistas, inclusive, não acreditam nessa tese de extinção. Um grupo de pesquisadores entende que eles foram dizimados por causa de mudanças gradativas do clima que aconteciam naquele período. Já outros alegam não só um meteoro caiu por aqui, mas sim uma infinidade deles.

Apesar disso, a teoria mais aceita entre o meio científico é de que, sim, esses animais foram extintos pela queda de um asteroide na Terra. Mas e se as coisas funcionassem de forma diferente? Será que, na hipótese de o meteorito não ter caído no planeta, os dinossauros ainda existiriam por aqui? Teríamos seres gigantescos andando entre nós? A evolução humana seria diferente? É o que vamos entender a seguir.

Veja também: Conheça as lendas urbanas mais assustadoras da internet

Cientistas encontram novas respostas para o fim dos dinossauros

Uma nova pesquisa da Academia Chinesa de Ciência aponta que o destino dos dinossauros já estava traçado antes mesmo do meteoro que caiu no planeta, provocando a erupção de vulcões e alterando as temperaturas globais. Em entrevista ao South China Morning Post, Qiang Wang, autor do estudo, afirmou que a extinção desses répteis ocorreu gradualmente, ao longo de milhões de anos.

Segundo o levantamento, a biodiversidade dos dinossauros começou a desaparecer há, pelo menos, dois milhões de anos antes do fim do período Cretáceo. A conclusão se deu através da análise de fósseis de ovos, incluindo de dinossauro completos e incompletos, que teriam sido depositados no local há cerca de 70 milhões de anos.

Análises de fósseis pode ser a chave para a questão

As relíquias históricas estavam preservadas em camadas na Bacia de Shanyang, na China, lar diversas espécies de dinossauros. Apesar disso, pesquisadores encontraram apenas três tipos de casca de ovos no local. Por isso, subentende-se que esse já possa ser um indício de uma queda na biodiversidade entre os répteis.

Outro detalhe que vai ao encontro da tese da baixa diversidade de espécies acontece quando se compara os ovos e os restos esqueléticos de dinossauros antigos encontrados na mesma região. De acordo com os cientistas, outras áreas da própria China e da América do Norte dão a entender que houve declínio da diversidade dos animais durante o mesmo período analisado.

Veja também: Rei Charles recebe um salário chocante! Descubra a fortuna do novo monarca