DETRAN faz ALERTA GERAL para motoristas: anúncio é ASSUSTADOR

Dados de milhões de motoristas vazam e o Detran-SP prepara investigação para resolver este caso

Uma denúncia gerou um alerta para motoristas, a saber, a denúncia dizia que dados de milhões de motoristas foram vazados pelo Detran-SP. Mas o órgão negou que alguma informação tenha vazado e pede que o DEIC faça uma investigação o quanto antes.

Até o momento, o que se sabe é que os dados dos motoristas de São Paulo, estão circulando em vários grupos de hackers. A denúncia anônima afirma que o Detran-SP tem responsabilidade sobre isso. Saiba como este caso veio à tona e se as informações são verdadeiras.  

DETRAN faz ALERTA GERAL para motoristas: anúncio é ASSUSTADOR
Dados vazados do Detran gera alerta para motoristas. Crédito: @jeanedeoliveirafotografia

Alerta para motoristas: vazaram informações da base de dados do Detran-SP?

Tudo começou quando um ciberativista anônimo entrou em contato com um site especializado em notícias diversas. Este mesmo ciberativista conversou com a equipe deste site e passou algumas informações.

Foi disponibilizado um documento com milhões de dados de pessoas cadastradas no Detran-SP. Por causa disso, foi feito um alerta para motoristas que foram afetados por essas informações. 

Na verdade, eram muitas informações que estavam em arquivos seguros. Além disso, foram feitas planilhas para organizar tudo que estava disponibilizado sobre os condutores e veículos, entre os dados dos condutores estavam: 

  • Nome completo, endereço, CPF, CEP, cidade, Renavam, placa, chassi e ano de fabricação do veículo.

No site da Secretaria da Fazenda, é possível consultar os débitos dos veículos, basta apresentar o Renavam e a placa. Segundo o site que foi procurado para que as informações fossem passadas, dezenas de motoristas tiveram seus dados confirmados. O portal da Fazenda estadual só não apresenta os nomes dos condutores. 

Mas as demais informações sobre os veículos estavam todas corretas. Ou seja, foi feita uma checagem parcial onde foi possível provar a veracidade da informação que foi repassada ao site.  

Segundo o ciberativista (quem fez a denúncia) os hackers pegaram informações entre 2015 e 2022 dos documentos vazados. O acesso a essas informações foi uma espécie de“amostra grátis”, uma vez que para ver os dados completos e mais recentes, é preciso pagar US$ 30 mil, ou seja, mais de R$ 150 mil para obtê-los.

A base que foi aberta serve para provar que certas pessoas têm informações sobre os condutores e, assim, monetizar dados mais novos. Segundo advogados especialistas nesses casos, o órgão público deve notificar a Autoridade Nacional de Proteção de Dados (ANPD), como também os titulares dos dados sobre esta situação.

O prazo de 48 horas deve começar a partir da ciência do incidente, vale ressaltar que os dados do Detran-SP podem ter sido vazados de outros locais também, como do Denatran ou até mesmo do Detran de outra localidade que tenha irrestrito a essas mesmas informações.

Neste caso é difícil apontar se é de um vazamento ou não, mas devem ser tomadas as devidas providências para reverter os danos aos titulares, dizem os especialistas.

Veja também: Detran emite NOVO ALERTA para condutores brasileiros; cuidado com o golpe!

O que diz o Detran-SP a respeito desse caso?

O Detran-SP informou que não houve nenhuma informação vazada ou violação do banco de dados do Departamento de Trânsito de São Paulo, assim como foi passado o alerta para os motoristas. Mas pediu que fosse feita uma investigação ao Deic (Departamento Estadual de Investigações Criminais). Em nota, o órgão declarou:

A Prodesp, empresa de tecnologia do Governo do Estado de São Paulo responsável pelo armazenamento e processamento de dados do Detran-SP, informa que NÃO houve violação do banco de dados do Departamento de Trânsito no sistema da companhia, que adota rígidos controles de acessos e conta com monitoramento 24 horas em tempo real pelas equipes de TI — Tecnologia da Informação”.

Mas diante das informações apresentadas a área de Auditoria do Detran-SP solicitou o apoio da Divisão de Crimes Cibernéticos (DCCIBER), subordinada ao Deic, para investigar a origem e a procedência de acesso irregular para obtenção de informações na base de dados do Departamento de Trânsito Paulista.

Saiba mais: Detran emite NOVO ALERTA para condutores brasileiros; entenda