Desaparecer: PROFISSÕES que devem deixar de existir nos próximos 5 anos

Relatório Futuro do Trabalho 2023, elaborado pelo Fórum Econômico Mundial, aponta que profissões podem desaparecer nos próximos anos.

Profissões que vão desaparecer – O alvorecer da quarta revolução industrial ameaça interromper abruptamente o cenário profissional conforme o conhecemos. Com uma projeção de extinção de 83 milhões de empregos em menos de cinco anos, muitos podem se perguntar: estará minha profissão na lista?

Em um relatório divulgado recentemente pelo Fórum Econômico Mundial, as principais profissões em risco são descritas em detalhes, dando aos profissionais a chance de se preparar para o futuro.

Desaparecer: PROFISSÕES que devem deixar de existir nos próximos 5 anos
Profissões em risco: quais podem desaparecer nos próximos anos. Crédito: @jeanedeoliveirafotografia / pronatec.pro.br

Quais são as profissões que vão desaparecer?

O relatório, intitulado “Futuro do Trabalho 2023”, faz uma análise rigorosa das transformações previstas para o mercado de trabalho em todo o mundo. Ele aponta que as novas tendências, como a transição para a sustentabilidade, a adoção dos princípios ambientais, sociais e de governança (ESG) e a localização das cadeias de suprimentos, terão um impacto significativo na trajetória das profissões.

Veja também: Estas devem ser as profissões mais AFETADAS pela Inteligência Artificial: confira a lista!

De acordo com o estudo, até 2027, além da extinção desses milhões de postos de trabalho, estima-se que 23% dos empregos, de um total de 673 milhões analisados, sofram alterações profundas. Por outro lado, o relatório prevê a criação de 69 milhões de novas vagas, demonstrando uma dinâmica de transformação acelerada do mercado de trabalho.

Saadia Zahidi, diretora administrativa do Fórum Econômico Mundial, destaca que, apesar das transformações disruptivas previstas, há mecanismos para garantir a resiliência dos trabalhadores. Zahidi sugere que governos e empresas invistam em educação, requalificação e estruturas de apoio social que posicionem os indivíduos como protagonistas desse futuro do trabalho.

O relatório ressalta ainda que, para acompanhar essa rápida mudança no mercado de trabalho, será necessário o desenvolvimento de novas competências. As habilidades que se tornarão cada vez mais relevantes incluem pensamento analítico, pensamento criativo, resiliência, flexibilidade e agilidade.

A análise foi baseada nos dados de 803 empresas de vários setores, empregando coletivamente mais de 11 milhões de trabalhadores em mais de 45 economias globais. O relatório oferece uma visão abrangente do futuro das profissões, permitindo aos profissionais se prepararem para as mudanças que estão por vir.

Crescimento e declínio dos empregos

Entre as profissões com tendência de crescimento, destacam-se especialistas em inteligência artificial (IA) e aprendizagem de máquina, especialistas em sustentabilidade, analistas de inteligência de negócios, analistas de segurança da informação, engenheiros de Fintech, cientistas e analistas de dados, engenheiros de robótica, especialistas em Big Data, operadores de equipamentos agrícolas e especialistas em transformação digital.

Já as carreiras com tendência de declínio incluem caixas de banco, funcionários dos correios, caixas e cobradores, escriturários de entrada de dados, secretários administrativos e executivos, assistentes de registro de produtos e estoque, escriturários de contabilidade, legisladores e oficiais judiciários, atendentes estatísticos, financeiros e de seguros, além de vendedores de porta em porta e trabalhadores relacionados.

A conclusão é clara: estamos diante de uma mudança profunda e inevitável no panorama profissional. É imprescindível, portanto, que os trabalhadores estejam prontos para se adaptar e evoluir conforme o mercado se transforma, e as organizações desempenham um papel crucial na facilitação dessa transição.

Veja também: ESSA moeda de R$ 1 vale mais de R$ 6 MIL; você pode ter uma em sua carteira