Conversão do Tempo para Aposentadoria Especial

Equipe de Redação
Atualizado Hoje!

Conversão do Tempo para Aposentadoria Especial – Saiba de todos os detalhes!

Conversão do Tempo para Aposentadoria Especial – Se apresse e fique sabendo de tudo que você precisa para se aposentar ainda este ano!

A Aposentadoria Especial é um dos benefícios que costuma gerar diversas dúvidas entre os advogados especializados em questões previdenciaristas. São diversas regras de transição para saber, como tipos variados de insalubridades com tempos de contribuição diferentes e diversos dados comprobatórios, que é a parte mais difícil.

Ainda mais se o trabalhador não exerceu seu trabalho durante toda sua vida profissional em atividades considerada especial, ou se atuou em diferentes atividades insalubres com tempo de contribuição distintas, ele terá que realizar o cálculo de conversão do tempo de contribuição com auxílio de um advogado especializado na área.

Neste artigo não falaremos diretamente sobre a Aposentadoria Especial, mas sim sobre como calcular sua conversão do tempo especial em comum, ou vice e versa.

Conversão do Tempo para Aposentadoria Especial
Foto: Divulgação

Como funciona a conversão do Tempo Especial

Saber como funciona a conversão do Tempo Especial não é muito simples. Por exemplo os beneficiários que trabalharam ou ainda atuam em atividades que trazem risco para a saúde e também para a integridade física podem obter benefício com a regra 85/95 para tentar se aposentar pelo tempo de contribuição.

A antecipação acontece devido a possibilidade de conversão do tempo especial em comum, o que quer dizer que, se a pessoa que é segurada não possui o tempo preciso para conseguir a aposentadoria especial, pode usar esse tempo que possui para também para convertê-lo em tempo comum e com isso se aposentar por tempo de contribuição, mais cedo do que levaria somente com tempo comum.

Como funciona a conversão do Tempo Especial
Foto: Divulgação

A conversão se dá pelo uso de um determinado multiplicador que para as atividades em em geral de 1,20 para as mulheres e 1,40 para homem. Deste modo, o tempo trabalhado sob condições que são consideradas especiais e prejudiciais a saúde e também a integridade física com empregado, tudo isso conforme a legislação que era vigente na época trabalhada, será somada, após a respectivas conversões, ao tempo que ele atuou exercendo atividades comuns.

Confira também que o INSS reconhece o aumento do direito ao tempo especial para trabalhadores!

Regra 85/95

Na regra 85/95, uma pessoa que tenha 18 anos de tempo em atividade comum e mais 10 em atividade especial ainda sem a conversão, depois de converter seu tempo especial em comum terá 30 anos de tempo total comum.

O que seria suficiente na regra 85/95 para a aposentadoria integral para o segurado que atingir essa pontuação, que é o tempo mínimo para mulheres, de 30 anos de contribuição para mulher. E 35 para homens, por isso coeficiente de cálculo masculino é um pouco maior.

Regra 85/95
Foto: Divulgação

Então no caso da segurada do exemplo acima, se ela tiver 55 anos de de idade somado aos 30 de tempo de contribuição vai ter chegado aos 85 pontos, o tempo necessário para conquistar a aposentadoria por tempo de serviço pela regra ainda vigente no ano de 2018.

A regra 85/95 ainda está vigente e prevê essa pontuação até este ano, mas mudará em 2019. Então, os trabalhadores que pretendem se aposentar deste modo precisam se apressar para juntar a documentação para conquistar essa aposentadoria integral.

Mais informações no site do INSS: https://www.inss.gov.br/

 

Leia Também