Consignado para beneficiários AUMENTOU em 2023: entenda e confira os valores

Após o reajuste dos benefícios do INSS, que aumentam de acordo com o piso e a inflação, o valor do consignado para os beneficiários também aumentou.

Como o valor dos benefícios do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) aumentou, é natural que a quantia cobrada pelo empréstimo consignado, bem como o valor de concessão, também passe por reajustes. Inclusive, é importante que aqueles que já tenham contratado o empréstimo também fiquem atentos às mudanças do consignado para beneficiários do INSS.

Quer saber quais os novos valores e como funciona o aumento? Então continue acompanhando a matéria abaixo e fique por dentro de todas as informações importantes sobre o assunto!

O valor do consignado para empréstimos de segurados do INSS deve aumentar. Entenda!
O valor do consignado para empréstimos de segurados do INSS deve aumentar. Entenda! / Crédito: @jeanedeoliveirafotografia / pronatec.pro.br

Como funciona o consignado para beneficiários do INSS?

Os benefícios do INSS utilizam como base o reajuste do piso salarial, visto que grande parte dos segurados recebem valores equivalentes ao salário mínimo. Aliás, mesmo aqueles que recebem valores maiores (referentes ao teto) também passam por reajuste, mas conforme a inflação do ano anterior.

De qualquer forma, após a alteração nesses valores a quantia paga nas parcelas dos empréstimos consignados tende a aumentar, incluindo as prestações que estão sendo cobradas neste mês para aqueles que realizaram a contratação previamente.

Hoje em dia, o valor da renda que pode ser comprometida através de um empréstimo deste tipo equivale a 45% das parcelas do benefício, sendo 35% destinadas ao pagamento do crédito, 5% para saques no cartão do consignado e outros 5% para saques relativos ao cartão do próprio benefício.

Isso quer dizer, por exemplo, que com uma renda mensal de R$ 2 mil, o valor máximo de desconto para quitação do débito mensalmente é de R$ 700, mais R$ 100 para despesas no cartão do consignado e mais R$ 100 para saques no cartão da aposentadoria ou pensão.

No caso de trabalhadores da iniciativa privada, de carteira assinada, o limite é de 40% de comprometimento do salário, sendo 35% para empréstimos e os outros 5% para despesas no cartão do consignado. Ademais, conforme a norma vigente, o valor das parcelas deve ser acordado juntamente entre o banco e o cliente.

Veja também: Veja como QUITAR as contribuições atrasadas do INSS para não atrasar a aposentadoria

Valores reajustados

Atualmente, o teto de juros do empréstimo consignado para beneficiários do INSS segue o mesmo, conforme o ano passado: 2,14% mensalmente pelo crédito convencional e 3,06% nas operações através do cartão de crédito consignado. Isso quer dizer que os bancos não podem ultrapassar essas taxas.

Entretanto, um levantamento do Banco Central indicou que as taxas mensais do consignado para segurados do instituto variavam entre 1,25% a 2,16% já na primeira semana de janeiro, com base em dados coletados em 38 instituições financeiras. Já entre os funcionários da iniciativa privada, as taxas variavam entre 1,5% a 4,79% ao mês, enquanto no crédito pessoal sem ser consignado a variação era de 0,71% a 23,21%.

Aqueles que quiserem consultar as margens de empréstimo atuais devem acessar a área de “Extrato de empréstimo consignado” através do app do Meu INSS (Android: https://bityli.com/RXNFG ou iOS: https://bityli.com/xnBqul). Logo na primeira tela será possível observar uma tabela com todos os valores consignáveis.

Nos casos em que o segurado não possui contratação de crédito e não está bloqueado para solicitar, a margem aparece na tela inicial de extrato do aplicativo. Ademais, se o segurado estiver bloqueado para contratação, nenhum valor será exibido.

Veja também: Saiba TUDO sobre os pagamentos ao INSS: e se eu ATRASAR?