CLTS já estão celebrando: salário mínimo de R$ 1,5 MIL, redução na jornada de trabalho e FGTS extra

Com o recente anúncio de aumento no salário mínimo e no FGTS, trabalhadores brasileiros preparam-se para uma mudança significativa em suas finanças pessoais.

Em uma reviravolta financeira aguardada com grande expectativa, o governo brasileiro anunciou um aumento substancial no salário mínimo e nas contribuições para o Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS).

Isso sinaliza uma transformação significativa nas finanças pessoais de milhões de trabalhadores e, por extensão, na economia do país.

CLTS já estão celebrando: salário mínimo de R$ 1,5 MIL, redução na jornada de trabalho e FGTS extra
Veja a vitória dos CLTS. Crédito: @jeanedeoliveirafotografia / pronatec.pro.br

O Novo Salário Mínimo e FGTS: O Que Muda?

O aumento no salário mínimo é visto como uma medida vital para impulsionar o poder de compra dos trabalhadores brasileiros, especialmente em um contexto de recuperação econômica.

Simultaneamente, o acréscimo nas contribuições para o FGTS pretende oferecer maior segurança financeira no longo prazo, além de incentivar a poupança.

Impacto para os Trabalhadores

Para os trabalhadores, o aumento no salário mínimo promete aliviar o orçamento mensal, permitindo um melhor enfrentamento das despesas cotidianas e, possivelmente, a possibilidade de poupança ou investimento.

Quanto ao FGTS, com maiores contribuições, os trabalhadores terão um fundo mais robusto à disposição em momentos de necessidade, como na aquisição da casa própria, na aposentadoria ou em situações de desemprego.

Veja também: 100% do 13º salário pode ser antecipado em março Entenda a liberação para CLTs em poucos passos

Qual será o novo valor do salário mínimo?

A definição do novo valor do salário mínimo é determinada anualmente pelo governo, considerando vários fatores econômicos, como a inflação do ano anterior, o crescimento do PIB, entre outros.

Como esses valores são atualizados a cada novo exercício fiscal e podem variar de acordo com as condições econômicas e decisões políticas, é essencial consultar fontes oficiais para obter a informação mais atualizada.

Normalmente, o anúncio do novo valor do salário mínimo é feito no final do ano para entrar em vigor no dia 1º de janeiro do ano seguinte.

Para saber o valor exato e atual do salário mínimo, recomenda-se visitar o site do Ministério da Economia ou do Diário Oficial da União, onde são publicadas oficialmente essas informações.

Veja também: Novo salário mínimo? Trama pode ter desfecho feliz e reajuste com R$ 1,5 MIL

Como calcular o aumento no FGTS com o novo salário mínimo?

Para calcular o aumento no Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) com o novo salário mínimo, você precisa entender como o FGTS é calculado.

O FGTS é calculado como um percentual do salário bruto do trabalhador, e a alíquota atual é de 8% para a maioria dos casos. Aqui está uma forma simples de calcular o aumento:

  1. Calcule o FGTS atual: Multiplique o valor atual do salário mínimo pelo percentual do FGTS (8%). Isso dará o valor mensal depositado pelo empregador no seu FGTS.
    • Exemplo: Se o salário mínimo atual é de R$1.100,00, o cálculo será 1.100,00 x 0,08 = R$88,00 por mês.
  2. Calcule o FGTS com o novo salário mínimo: Faça o mesmo cálculo, mas usando o valor do novo salário mínimo.
    • Exemplo: Se o novo salário mínimo for R$1.200,00, então 1.200,00 x 0,08 = R$96,00 por mês.
  3. Determine o aumento: Subtraia o valor antigo do FGTS pelo valor novo para encontrar o aumento mensal no seu FGTS devido ao aumento do salário mínimo.
    • Exemplo: R$96,00 (novo FGTS) – R$88,00 (FGTS atual) = R$8,00 de aumento mensal no FGTS.

Lembrando que este cálculo é baseado no salário mínimo e na alíquota padrão do FGTS. Se você ganha mais que o salário mínimo ou se há situações especiais aplicáveis, os valores podem variar.

Além disso, o aumento no salário mínimo reflete diretamente no teto de contribuição ao FGTS, impactando todos os trabalhadores que recebem até o limite máximo para o cálculo do FGTS.

Veja também: FGTS e a nova lei que CRAVA liberação imediata do saldo: acima de R$ 1.000, R$ 2.000 e mais