Cadastro para RECEBER R$1.045 do INSS sem nunca ter contribuído: Veja como se CADASTRAR

Vinicius ColaresVinicius Colares
Atualizado Hoje!

Cadastro para RECEBER R$1.045 do INSS sem nunca ter contribuído – Entenda como pode ser disponibilizado o benefício para quem nunca contribuiu ao INSS!

O Brasil é um país que conta com um grande número de trabalhadores em situação de atuação informal (sem carteira assinada). É pensando nisso que surgiu há alguns anos o cadastro para receber R$ 1.045 do INSS sem nunca ter contribuído

A ideia é justamente ajudar essa parte da população que trabalhou uma vida inteira sem ter feito pagamentos para a Previdência durante a vida laborista. Por isso é interessante entender como funcionam os valores disponibilizados. 

Entenda a seguir quem poderá inscrever-se e como isso pode ser feito. Pode ser o seu momento de ajudar um familiar ou mesmo garantir para você um salário mínimo. 

Cadastro para RECEBER R$1.045 do INSS sem nunca ter contribuído
Imagem: Divulgação

Receber R$ 1.045 pelo INSS sem ter contribuído

Muitas pessoas ainda não sabiam que é possível receber R$ 1.045 pelo INSS sem ter contribuído. Mas o Instituto Nacional do Seguro Social é responsável por esse benefício de até um salário mínimo para pessoas de baixa renda. 

O público-alvo para esse valor específico é formado de dois grupos:

  • Pessoas com mais de 65 anos de idade;
  • Pessoas com deficiência de longa duração (com qualquer idade). 

Saiba como SACAR o NOVO Benefício de R$ 300,00: Para INSCRITOS no CadÚnico!

Em ambos os casos é necessário também outros pré-requisitos como, por exemplo, a comprovação de que a família do beneficiário não tem condições de manter essa pessoa. Isso serve tanto para idoso como para pessoa com deficiência (sensorial, física, intelectual ou mental). 

Como fazer cadastro para receber Benefício sem ter contribuído

Mas e como fazer o cadastro para receber esse benefício sem ter contribuído? São necessários alguns passos para as pessoas que querem receber esses valores e alguns deles são pré-requisitos. 

O primeiro é ter a família com dados atualizados no Cadastro Único de Programa Sociais (CadÚnico). Existem algumas formas de fazer isso e a mais comum é diretamente em Centros Regionais de Assistência Social (CRAS).

Mas em momento de pandemia existem outros caminhos para iniciar o processo. Caso você tenha o CadÚnico, poderá acessar diretamente o Meu INSS (por site ou aplicativo). Para solicitar o BPC pelo Meu INSS é só acessar a opção ‘requerimento/agendamento’. 

Depois é necessário preencher o formulário de Requerimento do Benefício de Prestação Continuada da Assistência Social. Nesse caso, na fase de cadastro (pessoalmente), pode ser necessária apresentação de dados como:

  • Documento de identificação – com foto;
  • Documentos para atualização de cadastro ou atividade;
  • Comprovação de deficiência (em geral, atestados médicos e exames).
  • Termo de representação legal ou procuração – se esse for o caso de uma solicitação feita por terceiros;
  • CPF do procurador ou representante, se houver. 

Como funciona BPC

Por fim, quem ainda não entendeu como funciona o BPC, esse é um benefício criado justamente para pessoas de baixa renda que não podem sustentar-se em casos específicos. O Estado garante, nesse caso, uma vida mais digna a partir de valores para manutenção de saúde e segurança alimentar, por exemplo. 

É importante lembrar, por fim, que esse é um benefício assistencial: ou seja não tem caráter salarial. Por isso não possui direito à décimo-terceiro salário e em caso de óbito, o benefício não é convertido para familiares. 

Confira mais informações através do link: https://pronatec.pro.br/previdencia-paga-beneficio-de-r1-045/

 

Leia Também