Quem mora SOZINHO ainda pode receber o Bolsa Família?

Saiba quais são os direitos das famílias unipessoais.

Em março desse ano, o Ministério do Desenvolvimento Social (MDS) iniciou uma investigação sobre as famílias unipessoais, aquelas compostas por apenas uma pessoa, geralmente um idoso ou uma pessoa com deficiência.

Por meio da Averiguação Cadastral no Cadastro Único, a estimativa é de que mais de 900 mil beneficiários unipessoais foram cortados do programa. No final de agosto, o MDS distribuiu uma nova regra para quem mora sozinho, confira a seguir.

Mesmo morando sozinho é possível estar no programa Bolsa Família. Crédito: @jeanedeoliveirafotografia / pronatec.pro.br

Fraude no Bolsa Família

Tudo começou com a suposição de que estaria havendo ações fraudulentas no Bolsa Família. O Tribunal de Contas da União (TCU) alertou sobre possíveis fraudes no programa, indivíduos da mesma família estariam fingindo pertencer a grupos separados para acumular benefícios. Cerca de 22% dos beneficiários do programa foram compostos por famílias unipessoais em 2022.

Foi então que no final de agosto, o MDS distribuiu uma nova regra para as famílias unipessoais, os municípios poderão ter no máximo 16% de famílias unipessoais em relação ao total de atendidos pelo Bolsa Família naquela localidade. Isso significa que se um município tiver 100 beneficiários do Bolsa Família, no máximo 16 deles podem ser famílias unipessoais. Essa regra será aplicada para novas concessões de benefício.

Importante ressaltar que as famílias unipessoais que já estão no Bolsa Família não serão listadas no programa, elas continuarão a receber o benefício normalmente.

Além disso, famílias unipessoais que se enquadram nos critérios do programa ainda poderão solicitar a inclusão. No entanto, elas serão avaliadas de forma mais rigorosa, para verificar se os requisitos estabelecidos são cumpridos.

Veja mais: Está SEM DINHEIRO para estudar? NÃO esquente a cabeça: Senac disponibiliza bolsas 100% GRATUITAS em diversos cursos

Critérios para quem mora sozinho continuar no programa:

  • Estar inscrito no (CadÚnico) o Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal.
  • Ter renda familiar per capita de até R$ 105,00.
  • Morar em situação de pobreza ou extrema pobreza.
  • As famílias unipessoais que se enquadram nos critérios do programa podem solicitar a inclusão no Bolsa Família nos Centros de Referência de Assistência Social (CRAS) ou nos postos de atendimento do CadÚnico.

O aumento das famílias unipessoais nos últimos anos

O aumento do número de famílias unipessoais beneficiárias do Bolsa Família tem sido significativo nos últimos anos. Esse aumento pode ser explicado por diversos fatores, como o envelhecimento da população brasileira, o aumento da taxa de desemprego e a redução da renda familiar.

As famílias unipessoais beneficiárias do Bolsa Família enfrentaram diversos desafios. Muitas dessas famílias têm dificuldades para se manter financeiramente, pois recebem apenas o benefício do programa. Além disso, essas famílias também podem enfrentar problemas de isolamento social e dificuldade de acesso aos serviços públicos.

O governo federal tomou algumas medidas para apoiar as famílias unipessoais beneficiárias do Bolsa Família. Em 2023, o governo aumentou o valor do benefício pago a essas famílias. Além disso, o governo também lançou o programa “Averiguação Cadastral Unipessoal”, que busca identificar e acompanhar as famílias unipessoais beneficiárias do programa.

Apesar das medidas do governo, ainda há muito a ser feito para garantir o acesso a direitos e oportunidades às famílias unipessoais beneficiárias do Bolsa Família. É importante que o governo continue investindo em políticas públicas que apoiem essas famílias, garantindo-lhes condições dignas de vida.

Veja mais: Critérios do Bolsa Família foram ATUALIZADOS; descubra AGORA o que mudou

Quem perderá o Bolsa Família em setembro

Assim como em todas as outras ocasiões, em setembro é há um momento crucial para que beneficiários percam sua renda. Para isso, eles devem se atentar aos seguintes dados:

  • Não ultrapassar o teto orçamentário, uma vez que é vital para o recebimento do benefício, sendo de R$ 218 por pessoa dentro da família;
  • Não atualizar o cadastro único;
  • Não estar de acordo coma s regras do benefício;
  • Ultrapassar o limite de 16% de beneficiários unipessoais em alguma região.

lembre-se de que esses dados são importantes para manter o Bolsa Família ativo.