Bolsa Família exclui 1,7 milhão de beneficiários do registro; veja quem está na lista

Recentemente, o governo federal realizou mais análises que levaram à exclusão de beneficiários do Bolsa Família. Veja se você estava na lista!

Você já conferiu a lista mais recente do Bolsa Família? Uma revisão significativa no Cadastro Único (CadÚnico) resultou na exclusão de 1,7 milhão de famílias do programa. 

Esse ajuste vem na esteira de esforços para garantir a precisão e a veracidade das informações no sistema, impactando diretamente a distribuição de benefícios. Confira quem foi afetado!

O Bolsa Família continua recebendo análises periódicas que devem remover beneficiários do registro. Entenda!
O Bolsa Família continua recebendo análises periódicas que devem remover beneficiários do registro. Entenda! / Crédito: @jeanedeoliveirafotografia / pronatec.pro.br

Quais as regras do Bolsa Família?

A princípio, o Bolsa Família se destina às famílias em situação de pobreza ou extrema pobreza. 

Dessa forma, para se qualificar, a renda familiar per capita deve ser de até R$ 89,00 para extrema pobreza e entre R$ 89,01 e R$ 178,00 para pobreza, considerando que tenham crianças ou adolescentes de 0 a 17 anos. 

Além disso, é necessário estar inscrito no CadÚnico, com dados atualizados a cada dois anos ou quando houver mudança na situação da família.

Conheça os benefícios adicionais do pagamento

Além do benefício básico, o Bolsa Família oferece complementos: 

  • Benefício Variável, destinado a famílias com crianças e adolescentes de 0 a 15 anos; 
  • Benefício Variável Jovem, para famílias com jovens de 16 e 17 anos;  
  • Benefício para Superação da Extrema Pobreza, destinado às famílias cuja renda per capita, mesmo após os outros benefícios, permaneça abaixo do limite de extrema pobreza.

Entendendo a revisão

Ademais, a recente varredura no CadÚnico, que serve como porta de entrada para diversos programas sociais do governo, incluindo o Bolsa Família, revelou um aumento notável no número de famílias unipessoais registradas – de 1,84 milhão em 2018 para 5,88 milhões em 2022. 

Esse salto chamou a atenção das autoridades, motivando uma revisão detalhada para assegurar a conformidade dos registros com a realidade das famílias beneficiárias.

Como saber se tenho direito ao Bolsa Família?

Agora, para ser elegível ao Bolsa Família, além de outros programas sociais, as famílias devem atender a critérios específicos, como renda per capita e composição familiar. 

A revisão identificou que muitas das famílias unipessoais excluídas não cumpriam os requisitos necessários, seja por inconsistências nos dados ou por não se enquadrarem mais nas condições de elegibilidade.

Saiba mais: App do Caixa Tem ajuda você a consultar e receber o Bolsa Família, Seguro-Desemprego, FGTS e mais

Como se inscrever no programa?

Para se inscrever no Bolsa Família, a família deve se dirigir ao Centro de Referência de Assistência Social (CRAS) mais próximo com documentos de todos os membros da família. 

O cadastro no CadÚnico é o primeiro passo, onde informações como renda, escolaridade, situação de moradia e outras serão registradas. 

Como fica o benefício no futuro?

O Ministério do Desenvolvimento Social planeja dar continuidade à revisão dos cadastros, com especial atenção às famílias unipessoais, além de atualizar informações desatualizadas. 

Em suma, o objetivo não é apenas depurar a base de dados, mas também assegurar que o apoio chegue a quem realmente necessita, fortalecendo a integridade e a eficácia do Bolsa Família e de outros programas sociais.

Entenda o valor do Bolsa Família

O Bolsa Família representa um pilar fundamental na luta contra a pobreza e a desigualdade no Brasil, oferecendo suporte financeiro a famílias em situação de vulnerabilidade. 

O CadÚnico, por sua vez, é uma ferramenta crucial na administração desses benefícios, permitindo uma alocação mais justa e efetiva dos recursos governamentais.

Como as exclusões impactam os beneficiários?

Por fim, a retirada de 1,7 milhão de famílias do programa pode ter implicações significativas, especialmente para aqueles que dependiam do benefício para o sustento diário. 

É vital que medidas sejam tomadas para assegurar que essas famílias não fiquem desamparadas, seja através de sua reintegração ao programa, caso cumpram os requisitos, ou por meio de outras iniciativas de apoio.

Veja mais: Cartão do Bolsa Família está chegando e vai permitir pagamento por aproximação; saiba tudo!

Receba o vale-gás em fevereiro

Você já parou para pensar no impacto que um auxílio como o vale-gás pode ter na sua vida financeira? Em tempos de constantes oscilações econômicas, encontrar formas de aliviar o orçamento doméstico é mais do que necessário, é uma estratégia de sobrevivência.

Um respiro no final do mês

Imagine poder contar com uma ajuda extra para uma das despesas essenciais da casa: o gás de cozinha. Com o vale-gás, isso não é apenas uma possibilidade, mas uma realidade para muitas famílias.

Este benefício vem se tornando um alívio significativo, permitindo que o dinheiro economizado seja redirecionado para outras necessidades igualmente importantes.

Como receber o vale-gás?

Para receber o vale-gás, inscreva-se nos programas sociais do governo, mantenha seus dados atualizados no CadÚnico e atenda aos critérios de renda estabelecidos.

Não é necessário solicitar o benefício, já que a adesão é automática. Para isso, basta que abra uma vaga e a família que está na lista entra.