Entenda os benefícios do governo e como SOLICITAR a licença-paternidade em 2024

A licença-paternidade é um benefício de grande importância para que o pai consiga auxiliar nos cuidados com seus bebês. A solicitação é simples.

Desde seus primórdios no final do século XX até as legislações atuais, a licença-paternidade tem sido objeto de debates e mudanças que refletem a crescente importância da participação dos pais nos cuidados com os filhos.

Nesta jornada de evolução, surgem desafios e benefícios que moldam as políticas sociais e influenciam as relações familiares. Portanto, descubra como a licença-paternidade tem evoluído ao longo dos anos, impactando não apenas a vida dos pais, mas também a dinâmica familiar e a sociedade como um todo.

Você vai ganhar bebê e quer saber como funciona a licença-paternidade? Veja tudo sobre o benefício!
Você vai ganhar bebê e quer saber como funciona a licença-paternidade? Veja tudo sobre o benefício! / Foto: divulgação

História e evolução da licença-paternidade

A história da licença-paternidade no Brasil remonta ao final do século XX, quando os primeiros debates sobre a necessidade de conceder aos pais um período de afastamento do trabalho para cuidar de seus filhos começaram a surgir.

Inicialmente limitada a poucos dias, essa licença ganhou mais importância com o reconhecimento crescente da participação ativa dos pais nos cuidados com os filhos nos primeiros dias de vida.

Não perca: INSS e o pagamento ACIMA de R$ 1,4 MIL para idosos; confira todos os detalhes

Legislação atual

Hoje, a legislação brasileira garante aos pais cinco dias corridos de licença-paternidade, independentemente do estado civil e se o filho é biológico ou adotivo.

Além disso, alguns estados têm adotado legislações próprias que estendem esse período, especialmente em casos de nascimento prematuro ou internação da criança.

Impactos positivos do benefício

A ampliação da licença-paternidade tem gerado diversos benefícios, incluindo o fortalecimento dos vínculos familiares, o estímulo à participação dos pais nos cuidados com os filhos e a promoção da igualdade de gênero.

Além disso, a presença dos pais nos primeiros dias de vida da criança pode ter impactos positivos em seu desenvolvimento cognitivo, emocional e social.

Como solicitar a licença-paternidade?

Geralmente, basta informar o empregador sobre a intenção de usufruir do benefício e apresentar a documentação necessária, como certidão de nascimento ou termo de guarda.

O empregador pode solicitar também que seja preenchido um formulário específico para formalizar o pedido. Após a confirmação da solicitação, o pai tem o direito de se ausentar do trabalho pelo período estipulado pela legislação para cuidar do novo membro da família.

Acompanhe mais: Quem não trabalha TAMBÉM é obrigado a declarar o Imposto de Renda Tire suas dúvidas AGORA

Posso estender a licenã-paternidade?

Sim, a licença-paternidade pode ser estendida em alguns casos específicos. Em geral, a legislação brasileira estabelece um período fixo de cinco dias corridos.

No entanto, em situações como nascimento prematuro, internação da criança ou em casos de empresas que adotam políticas internas mais flexíveis, é possível negociar uma extensão do período com o empregador.

É importante verificar as normas da empresa e, se necessário, buscar orientação legal para garantir seus direitos. Caso precise, uma conversa com os empregadores deve resolver a situação com calma.

Desafios e perspectivas

Apesar dos avanços, ainda existem desafios a serem enfrentados, como a necessidade de conscientização sobre a importância da licença-paternidade e a ampliação do período de afastamento.

É fundamental reconhecer que essa licença é apenas um dos aspectos que influenciam a participação dos pais nos cuidados com os filhos e que outras medidas, como políticas de creche e horários flexíveis de trabalho, também desempenham um papel fundamental na promoção da igualdade de gênero e no apoio à conciliação entre vida familiar e profissional.

Acompanhe mais: Mais de 30 MILHÕES de idosos já estão comemorando a COMUNICADO do INSS hoje (19)