Qual o valor máximo que o INSS paga de auxílio-doença? Conheça o teto

Neste artigo, vamos explicar do que se trata este benefício pago por meio do Instituto Nacional do Seguro Social. Será que você sabe como é feito o cálculo do benefício?

Afinal de contas, qual o valor máximo que o INSS paga de auxílio-doença? Mostramos tudo que você precisa saber sobre o teto desse importante benefício.O auxílio-doença desempenha um papel crucial na proteção social dos trabalhadores brasileiros, fornecendo amparo financeiro a indivíduos que, por motivos de saúde, se encontram temporariamente incapacitados para o trabalho. Nesse sentido, surge a dúvida: qual é o valor máximo que o INSS paga de auxílio doença?Essa importante prestação do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) oferece suporte financeiro essencial para indivíduos que enfrentam dificuldades devido a condições médicas incapacitantes. No entanto, é fundamental entender os detalhes desse benefício, incluindo seu valor máximo. Para saber a resposta atualizada para 2024, continue conosco!
Saiba qual o valor máximo que o INSS paga de auxílio-doença? Crédito: Jeane de Oliveira / pronatec.pro.br
Saiba qual o valor máximo que o INSS paga de auxílio-doença? Crédito: Jeane de Oliveira / pronatec.pro.br

Auxílio doença 2024 – Regras atualizadas

O auxílio-doença é um benefício previdenciário concedido pelo Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) aos segurados que se encontram temporariamente incapazes de exercer suas atividades laborais devido a problemas de saúde ou acidentes.Para ter direito ao auxílio-doença, é necessário atender a algumas regras estabelecidas pelo INSS. Abaixo, apresentamos as principais:
  • Carência: O segurado deve cumprir o período de carência, que é o número mínimo de contribuições mensais ao INSS necessário para ter direito ao benefício. Geralmente, a carência para o auxílio-doença é de 12 contribuições, a menos que o segurado esteja enquadrado em alguma das situações de dispensa de carência previstas em lei.
  • Qualidade de segurado: O segurado deve estar em situação de qualidade de segurado no momento da incapacidade laboral. Isso significa que ele deve estar mantendo suas contribuições previdenciárias em dia ou estar dentro do período de graça, que é o período após a perda da qualidade de segurado em que ainda é possível usufruir dos benefícios previdenciários.
  • Comprovação da incapacidade: O segurado deve comprovar sua incapacidade para o trabalho por meio de exames e laudos médicos realizados por profissionais habilitados, como médicos do próprio INSS ou médicos particulares credenciados.
  • Perícia médica: O INSS realiza uma perícia médica para avaliar a incapacidade do segurado. O resultado dessa perícia é fundamental para a concessão do benefício. O segurado deve agendar previamente a perícia médica por meio dos canais de atendimento do INSS.
  • Início do benefício: O auxílio-doença é concedido a partir do décimo sexto dia de afastamento do trabalho em decorrência da incapacidade laboral. Durante os primeiros 15 dias de afastamento, cabe ao empregador arcar com o pagamento do salário do empregado (período de “quarentena”).
As normas podem sofrer alterações ao longo do tempo, sendo sempre recomendável consultar as informações atualizadas nos canais oficiais do INSS ou buscar orientação junto a profissionais especializados em direito previdenciário.Leia também: Decisão do governo tira idosos da mira do INSS: entenda!

Qual o valor máximo pago pelo INSS por afastamento?

O valor máximo pago pelo INSS por afastamento, seja por auxílio-doença comum, por acidente de trabalho ou por outras situações que gerem incapacidade temporária para o trabalho, é baseado no salário de benefício do segurado.Esse salário é calculado com base na média dos salários de contribuição, sujeita ao teto previdenciário estabelecido pela legislação.Atualmente, em 2024, o teto do INSS é de R$ 7.786,02. Isso significa que nenhum benefício previdenciário, incluindo o auxílio-doença, pode ultrapassar esse valor, mesmo que a média dos salários de contribuição do segurado seja superior.Portanto, o valor máximo pago pelo INSS por afastamento será de até R$ 7.786,02, desde que o salário de benefício do segurado permita alcançar esse limite.

Qual o limite do auxílio-doença?

O auxílio-doença, como você já sabe, é um benefício previdenciário fundamental oferecido pelo Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) para amparar trabalhadores que temporariamente se encontram incapacitados de exercer suas atividades laborais devido a problemas de saúde ou acidentes.Sendo assim, o limite pago pelo INSS por meio do auxílio-doença está sujeito a um teto estabelecido pelo órgão.Este limite é determinado anualmente com base em diversos fatores, incluindo as diretrizes econômicas e as políticas de previdência social do país. Em 2024, como citamos anteriormente, o teto do INSS é de R$ 7.786,02.Logo, o valor máximo do auxílio-doença não pode ultrapassar esse limite, independentemente da média dos salários de contribuição do segurado.Isso significa que, mesmo que o segurado tenha uma remuneração mais alta antes de se afastar por motivo de doença, o valor do benefício será limitado ao teto estabelecido pela legislação previdenciária.Para calcular o valor do auxílio-doença, o INSS considera a média dos salários de contribuição do segurado nos últimos meses antes do afastamento.Essa média é então utilizada como base para determinar o valor do benefício, que corresponde a uma porcentagem desse montante, de acordo com as regras previdenciárias.Leia mais: Nova regra do INSS anunciada por Bonner deixa beneficiários PREOCUPADOS risco de perder parcelas

Qual o valor pago pelo INSS para auxílio-doença?

O valor pago pelo Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) para o auxílio-doença varia de acordo com a situação individual de cada segurado e é calculado com base na média dos salários de contribuição do trabalhador.Para calcular o valor do auxílio-doença, o INSS considera a média dos salários de contribuição do segurado nos meses anteriores ao afastamento por motivo de doença.A média dos salários de contribuição é calculada somando-se os salários de contribuição dos últimos 12 meses anteriores ao mês do início do auxílio-doença e dividindo-se o resultado pelo número de meses considerados.Uma vez calculada a média dos salários de contribuição, o valor do auxílio-doença é determinado com base nessa média. O benefício corresponde a uma porcentagem dessa média, que pode variar de acordo com a legislação previdenciária vigente. Em geral, o valor do auxílio-doença corresponde a 91% da média dos salários de contribuição.Entretanto, é importante ressaltar que o valor do auxílio-doença não pode ser inferior ao valor do salário mínimo vigente, garantindo assim um patamar mínimo de proteção social aos segurados. Caso a média dos salários de contribuição seja inferior ao salário mínimo, o benefício será pago no valor deste último.Para fazer o cálculo do valor do auxílio-doença, é necessário seguir os seguintes passos:
  • Identificar os salários de contribuição dos últimos 12 meses anteriores ao mês do início do afastamento por motivo de doença.
  • Somar os salários de contribuição desses 12 meses.
  • Dividir o total obtido pela quantidade de meses considerados (12 meses).
  • O resultado obtido será a média dos salários de contribuição.
  • Multiplicar a média dos salários de contribuição por 91% para obter o valor do auxílio-doença.
  • Verificar se o valor calculado é superior ao salário mínimo vigente. Se for inferior, o benefício será pago no valor do salário mínimo.
Dessa forma, o cálculo do valor do auxílio-doença leva em consideração a média dos salários de contribuição do segurado, garantindo assim uma proteção financeira adequada durante o período de afastamento por motivo de doença.