Auxílio Brasil reduzido já é confirmado para ESTE grupo de pessoas; beneficiários receberão apenas R$ 240

Entenda como o consignado do benefício afetará as famílias.

Brasileiros que são beneficiários do Auxílio Brasil podem sofrer com a redução das parcelas do benefício por dois principais motivos no ano que vem, o que vai prejudicar milhares de famílias, que terão que se desdobrar para arcar com novos custos.

Continue acompanhando a matéria abaixo para entender como a nova linha de crédito vinculada ao programa que está sendo oferecida pelos bancos impacta nesse resultado.

Beneficiários do Auxílio Brasil que contrataram o consignado passarão a receber parcelas reduzidas do benefício no ano que vem
Beneficiários do Auxílio Brasil que contrataram o consignado passarão a receber parcelas reduzidas do benefício no ano que vem / Crédito: @jeanedeoliveirafotografia / pronatec.pro.br

Redução nos valores do Auxílio Brasil

Segundo informações da Caixa Econômica, o empréstimo consignado do Auxílio Brasil já foi liberado para mais de 700 mil beneficiários do programa somente através da instituição. Isso quer dizer que todas as famílias puderam contratar um crédito com o valor máximo de R$ 2.600 nesse momento.

De acordo com as regras de concessão do empréstimo, os beneficiários poderiam comprometer até 40% do valor das parcelas do auxílio que, atualmente, está transferindo R$ 600 para cada uma das famílias. Entretanto, para a contratação do consignado, apenas é considerado o valor padrão de R$ 400, visto que o repasse atual age como um bônus que tem o fim previsto para dezembro deste ano.

Considerando esses dados, até o final do ano os cidadãos receberão um repasse de R$ 440, visto que o desconto direto em folha para pagamento das parcelas do consignado será de, no máximo, R$ 160. Entretanto, a partir de janeiro do ano que vem, com o retorno do valor para R$ 400, os beneficiários deverão receber apenas R$ 240 enquanto durar o pagamento do empréstimo.

Por exemplo, aqueles que realizaram a contratação em outubro já começarão a receber o desconto em folha a partir de novembro. Nestes casos, é sempre bom ressaltar a importância do planejamento financeiro para evitar que os ganhos com o auxílio sejam comprometidos. No caso da contratação de valores mais baixos do consignado, o desconto nas parcelas também é menor.

Veja também: Auxílio de R$ 600,00 vai ser MANTIDO? Novo Governo discute HOJE sobre essa possibilidade!

Regras de contratação do consignado

Conforme o Ministério da Cidadania, que foi a pasta reguladora do empréstimo consignado do Auxílio Brasil, os juros cobrados pelas instituições que estão oferecendo a modalidade podem ser de, no máximo, 3,5% ao mês. Os bancos, aliás, podem oferecer valores mais baixos de taxas, como é o caso da própria Caixa, que está aplicando juros de 3,45%.

Por sua vez, o prazo para pagamento das dívidas tem um período máximo de R$ 24 meses, com crédito liberado entre dois e cinco dias após aprovação. Isso quer dizer que as famílias que contrataram o crédito receberão o desconto de R$ 160 por um período máximo de dois anos, tendo as parcelas do programa comprometidas por um longo período de tempo.

Cabe destacar que, para solicitar a modalidade, é necessário estar recebendo o benefício há mais de três meses, como uma forma de estabilidade. Apesar disso, há sempre a chance de que o beneficiário perca o direito ao programa e, caso isso aconteça, ele deverá arcar com o pagamento do empréstimo com valores retirados do próprio bolso.

Conheça os benefícios complementares para estudantes

Antecipadamente, a possibilidade de receber pagamentos extras do Auxílio Brasil é um tanto quanto possível, ao considerar os benefícios complementares. Entre eles, portanto, existem três, em específico, que visam dar suporte financeiro aos estudantes. O primeiro deles é o Auxílio Criança Cidadã, que visa fornecer pagamentos de R$300, para garantir o acesso das crianças às creches.

Do mesmo modo, tem-se o Auxílio Esporte Escolar, onde existam membros das famílias cadastradas no Auxílio Brasil, que se destaquem em competições escolares. Assim, para participar do programa, os estudantes precisam ter entre 12 e 17 anos. Os pagamentos acontecem através de 12 parcelas mensais de R$ 100, além de uma unitária, no valor de R$ 1.000.

Concluindo, em total comunhão com o Auxílio Esporte Escolar, existe a possibilidade de concessão do Auxílio Bolsa Científica. Neste caso, os valores são dedicados para estudantes que se destaquem com boas notas e participações no âmbito escolar. Contudo, o pagamento segue o mesmo do auxílio anterior. Para finalizar, para inscrever-se, é necessário ir até uma agência do CRAS (Centro de Referência em Assistência Social).

Veja também: Caixa Econômica Federal anuncia DECISÃO sobre o empréstimo consignado; saiba o que mudou!

Possível adicional de R$ 150

O candidato eleito como presidente da República no último domingo (31), prometeu que iria criar um adicional de R$ 150 para as famílias que possuem crianças como membros familiares. Para ter direito ao benefício, as crianças deverão ter até 6 anos de idade.

O programa voltará a ser nomeado como Bolsa Família. Além disso, o presidente tem como objetivo aumentar o valor do benefício para R$ 600, que ainda contará com um adicional para as famílias com membros com idade inferior a 6 anos.

A ideia é que a economia possa girar e que os brasileiros voltem a ter poder de compra, o que também garante que as famílias em situação de vulnerabilidade socioeconômica possam garantir a compra de produtos básicos e a sua alimentação.

Para saber mais, é possível acessar a página oficial de propostas do candidato, na qual a informação está disponível (gov.br/cidadania/pt-br/auxilio-brasil).

Novo tempo de espera do consignado

Desde que o novo crédito consignado do Auxílio Brasil foi anunciado, milhares de beneficiários já demonstraram interesse na contratação. Logo no primeiro dia em que o empréstimo ficou disponível, somente a Caixa Econômica Federal disponibilizou mais de R$ 70 milhões para os interessados.

Acontece, portanto, que dentre as regras do consignado, existe um limite para o tempo máximo de concessão do crédito. Segundo o Ministério da Cidadania, os bancos teriam até 2 dias úteis para disponibilizar o dinheiro na conta dos beneficiários.

De antemão, a Caixa entrou com um pedido para prorrogação desse tempo. Isso porque, diversos beneficiários estavam reclamando da demora para disponibilizar o dinheiro. A instituição alegou que o prazo máximo, contudo, é de 5 dias úteis.

Apesar da afirmação da Caixa, os beneficiários afirmaram que o crédito demora cerca de 15 dias úteis para ficar disponível. Ou seja, 10 dias a mais do que o que foi pedido pela Instituição.

Fim das parcelas do Auxílio – calendário

Com o fim do ano de 2022 chegando, as parcelas do Auxílio Brasil também estão com os dias contados. Isto é, apesar do benefício continuar no próximo ano de 2023, ainda existem diversas incertezas acerca dos pagamentos em questão.

Desse modo, os beneficiários ainda possuem duas parcelas para receberem até o fim do ano, sendo elas correspondentes ao meses de novembro e dezembro. Portanto, o calendário ainda seguirá o número final do NIS (Número de Identificação Social), contando com as datas:

  • NIS final 1 – 17/11 e 12/12;
  • 2 – 18/11 e 13/12;
  • 3 – 21/11 e 14/12;
  • 4 – 22/11 e 15/12;
  • 5 – 23/11 e 16/12;
  • 6 – 24/11 e 19/12;
  • 7 – 25/11 e 20/12;
  • 8 – 28/11 e 21/12;
  • 9 – 29/11 e 22/12;
  • 0 – 30/11 e 23/12.

Ainda é necessário pontuar, no entanto, que não existe nenhuma previsão para nenhuma antecipação das parcelas, até o momento.

Auxílio Brasil em 2023

Com o fim do ano de 2022 chegando, diversos beneficiários têm dúvidas em relação à permanência do Auxílio Brasil, ao considerar o ano de 2023.

No entanto, a permanência das parcelas de R$ 600, já está quase 100% garantida. Isso porque, independente do cenário político, não há como o congresso derrubar o valor de R$ 600.

Para melhor entender, o benefício de R$ 600 já está previsto para o próximo ano. Logo, existe uma grande possibilidade de que o valor continue a ser mantido.

Pode acontecer, portanto, de durante os primeiros meses do ano, o valor sofrer alguma alteração, como por exemplo, voltar para o valor de R$ 400.

Isso porque, trata-se do período de transição governamental. Contudo, os beneficiários deverão continuar a receber as parcelas de R$ 600, que até o momento, não contam com nenhuma alteração prevista.