4 maneiras de AUMENTAR o valor da sua aposentadoria mensal do INSS

Veja como receber mais!

Todos os trabalhadores que atuam por muitos anos aguardam ansiosamente pelo momento da aposentadoria, concedida pelo Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). Entretanto, não é incomum que o cidadão, ao consultar o valor que tem para receber, fique decepcionado, pois esperava parcelas maiores. Felizmente, há quatro formas de fazer com que o montante aumente.

Quer saber quais são elas e como você pode solicitar a revisão da sua aposentadoria para receber um valor mais satisfatório? Então continue nos acompanhando logo abaixo para não perder nenhuma informação importante!

Se você acha que pode receber uma aposentadoria mais alta do INSS, é bom conferir algumas formas de fazer com que isso se torne realidade!
Se você acha que pode receber uma aposentadoria mais alta do INSS, é bom conferir algumas formas de fazer com que isso se torne realidade! / Crédito: @jeanedeoliveirafotografia / pronatec.pro.br

Veja quatro formas de aumentar o valor da sua aposentadoria

Confira abaixo algumas das melhores formas de fazer com que sua aposentadoria aumente.

1) Períodos trabalhados

A primeira maneira é verificar os períodos em que você trabalhou, inclusive aqueles em que você atuou sem carteira assinada. Isso porque todos eles devem constar na aposentadoria, mesmo que não estejam registrados no seu Cadastro Nacional de Informações Sociais (CNIS). Para comprovar esses períodos, é necessário solicitar ao INSS ou à Justiça do Trabalho.

2) Revisão de ação trabalhista

Em seguida, caso você tenha se aposentado e tenha ganho, ao mesmo tempo, uma ação trabalhista de reconhecimento de vínculo de trabalho, saiba que pode pedir ao INSS uma revisão do seu benefício tendo como prerrogativa os dados incompletos que devem considerar a ação em julgado.

Ademais, caso o cidadão não tenha ingressado com uma ação dentro do prazo de dois anos após a rescisão do contrato de trabalho, ainda é possível solicitar a revisão desde que possa comprovar que não foram incluídos os valores corretos no cálculo da aposentadoria.

Veja também: Aposentadoria vai MUDAR em 2023? Confira as regras do INSS!

3) Período de atividade perigosa ou insalubre

Aqueles que exerceram atividades que necessitaram de contato com agentes nocivos à saúde (sejam eles químicos, biológicos ou físicos) têm direito à aposentadoria especial, caso tenham sido expostos de maneira ininterrupta e permanente em níveis acima do que a lei permite. Esse benefício pode ser solicitado em casos com risco de insalubridade ou periculosidade que envolvam risco de lesões ou doenças.

Além disso, o trabalhador também deve ter exercido essa atividade por um período determinado de tempo, dependendo do grau de periculosidade do agente nocivo, podendo ser necessária uma contribuição de 15, 20 ou 25 anos.

4) Descarte as piores contribuições

Por fim, a Reforma da Previdência, que entrou em vigor em novembro de 2019, permitiu que os segurados descartem os recolhimentos que possam diminuir o valor de sua aposentadoria, desde que eles não façam com que o aposentado perca o benefício.

Dessa forma, é possível descartar contribuições de menor valor para que a média de contribuição fique mais alta, o que, consequentemente, melhora o valor dos repasses. Nesse caso, considera-se a média de todos os salários de contribuição sem que as menores contribuições impactem negativamente o valor do benefício.

Veja também: Doenças cardíacas garantem aposentadoria ou benefício do INSS? Tire suas dúvidas!