Você pode AUMENTAR o prazo de recebimento do auxílio-doença em poucos passos; veja COMO fazer isso

O auxílio-doença é um benefício do INSS que tem prazo para ser entregue aos trabalhadores. Felizmente, é possível aumentá-lo.

Você sabia que, no caso de uma doença ou acidente que te impossibilite de trabalhar, existe um suporte financeiro disponível pelo Instituto Nacional do Seguro Social (INSS)?

Sim, estamos falando do auxílio-doença, um benefício temporário que pode ser um grande alívio financeiro nesses momentos desafiadores.

Acompanhe a matéria para entender um pouco mais sobre como funciona esse suporte e como você pode solicitar ou prorrogar esse benefício.

Se você precisa receber o pagamento do auxílio-doença, veja como aumentar o período de entrega do benefício e aproveite.
Se você precisa receber o pagamento do auxílio-doença, veja como aumentar o período de entrega do benefício e aproveite. / Crédito: @jeanedeoliveirafotografia / pronatec.pro.br

Entendendo o auxílio-doença

O auxílio-doença é um direito dos trabalhadores que, por razões de saúde, encontram-se temporariamente incapazes de exercer suas atividades.

A concessão desse benefício inicia após a comprovação da condição de saúde por meio de perícia médica realizada pelo INSS.

Interessante notar que os primeiros 15 dias de afastamento são cobertos pelo empregador.

Após esse período, a responsabilidade de pagamento passa para o INSS, garantindo assim uma continuidade na assistência financeira ao trabalhador.

Não perca: Decisão do INSS pode realmente prejudicar idosos? Brasileiros de 60, 61, 62, 63 e até 79 anos estão preocupados

Quais são os requisitos do auxílio-doença?

Para solicitar o auxílio-doença, o trabalhador deve comprovar sua incapacidade temporária para o trabalho por meio de perícia médica com o INSS.

É necessário ter qualidade de segurado, o que implica em estar contribuindo para o INSS ou estar dentro do período de graça, além de cumprir a carência de 12 contribuições mensais.

Isso salvo em casos de acidente de qualquer natureza ou de algumas doenças específicas previstas em lei, para as quais a carência não é exigida.

Como solicitar o auxílio-doença

O processo de solicitação é bastante simples e pode ser feito confortavelmente de casa.

Primeiramente, é necessário acessar o aplicativo ou site ‘Meu INSS’ (https://meu.inss.gov.br/#/login) e selecionar a opção “Pedir Benefício por Incapacidade”.

Tenha em mãos o seu número do CPF e siga os passos indicados na plataforma para completar o pedido.

E se eu precisar de mais tempo?

Há situações em que a recuperação pode demandar mais tempo do que o previsto inicialmente.

Nesses casos, a prorrogação do auxílio-doença é possível e deve ser solicitada durante os últimos 15 dias do período do benefício vigente.

Esse pedido pode ser feito tanto pelo aplicativo ‘Meu INSS’ quanto por uma ligação para o número 135.

Caso, após a prorrogação, você ainda sinta necessidade de mais tempo de recuperação e não concorde com o término do benefício, é possível recorrer à Junta de Recursos da Previdência Social para uma nova avaliação.

Aliás, em resposta às necessidades emergenciais, o INSS implementou uma prorrogação automática do auxílio-doença a cada 30 dias.

Contudo, é importante frisar que essa é uma medida temporária, válida até o mês de abril, buscando facilitar o processo para os beneficiários durante períodos mais críticos.

Fique atento: MARTELO BATIDO CPFs de 1 a 9 começam a festejar com a liberação de R$ 27 BILHÕES do INSS

Posso trabalhar enquanto recebo o benefício?

Não é permitido trabalhar enquanto se recebe o auxílio-doença, pois o benefício é destinado a quem está temporariamente incapaz de exercer suas atividades laborais devido a uma doença ou acidente.

Se o beneficiário for encontrado exercendo atividade remunerada, isso pode levar ao cancelamento do auxílio por violação das condições para sua concessão.

Isso ocorre porque a premissa do benefício é a incapacidade para o trabalho durante o período em que é recebido.

Quando o benefício pode virar aposentadoria por invalidez?

O auxílio-doença se transforma em aposentadoria por invalidez quando, após reavaliação médica pelo INSS, constata-se que a incapacidade do trabalhador para o exercício de suas atividades laborais é permanente.

Ou seja, sem possibilidade de recuperação ou reabilitação para outra função que garanta a subsistência.

Esse processo ocorre quando, durante o período de recebimento do auxílio-doença, o beneficiário é submetido a novas perícias e, baseado nessas avaliações, o médico perito conclui pela incapacidade definitiva.

Nesse momento, o benefício é convertido para garantir uma segurança financeira de longo prazo ao trabalhador que se encontra impossibilitado de retornar ao trabalho.

Acompanhe mais: Você pode ter um DINHEIRÃO para receber do INSS: entenda o que são e como funcionam os precatórios