Aposentadoria do MEI é mais uma oportunidade para idosos veja COMO funciona!

A aposentadoria MEI oferece aos idosos uma forma flexível e econômica de complementar a renda, unindo benefícios previdenciários com a possibilidade de empreender.

Na busca por alternativas para complementar a renda na terceira idade, a aposentadoria do MEI se destaca como uma opção inovadora e acessível. Permitindo aos idosos uma fonte de renda adicional. 

Este modelo oferece benefícios como contribuição reduzida, flexibilidade de horários e segurança jurídica, representando um meio de subsistência

Explore como essa modalidade pode ser a chave para uma aposentadoria mais ativa e satisfatória.

Aposentadoria do MEI é mais uma oportunidade para idosos veja COMO funciona!
Confira as regras da aposentadoria do MEI – Crédito: @jeanedeoliveirafotografia / pronatec.pro.br

Nova oportunidade de renda para idosos: tudo sobre a aposentadoria do MEI

O Microempreendedor Individual (MEI) é uma categoria empresarial que permite a formalização de pequenos negócios com facilidades tributárias e burocráticas. 

Para os idosos, tornar-se um MEI pode ser o caminho para uma aposentadoria mais tranquila, oferecendo uma fonte de renda estável e a possibilidade de continuar contribuindo para a previdência.

Enquanto isso, pessoas mais novas que não têm um emprego CLT podem se tornar MEI e dessa forma, garantir uma aposentadoria na velhice. 

Benefícios para os idosos

Adotar a aposentadoria MEI traz vantagens significativas:

  • Contribuição reduzida: como MEI, a contribuição previdenciária é mais acessível, facilitando a manutenção das contribuições em dia.
  • Flexibilidade: a possibilidade de trabalhar com o que gosta e administrar os próprios horários.
  • Segurança jurídica: estar formalizado como MEI oferece proteções legais que o trabalho informal não cobre.

Como funciona

Para se tornar um MEI e aproveitar a aposentadoria nessa modalidade, os interessados devem seguir alguns passos simples:

  • Verificar se a atividade que desejam exercer está entre as permitidas para MEI.
  • Realizar a inscrição no Portal do Empreendedor.
  • Manter as contribuições mensais em dia para garantir a cobertura previdenciária.

Veja também: Entenda o PENTE-FINO do INSS e descubra se você pode perder algum benefício

Além da aposentadoria: guia com todos os benefícios do microempreendedor individual

O MEI paga um valor único mensal, o DAS-MEI, que inclui INSS, ISS e ICMS (se for o caso). 

O valor varia de acordo com a atividade exercida e é bem inferior ao que seria pago por empresas de outros portes. 

O pagamento é feito online, através do Portal do Empreendedor: https://www.gov.br/empresas-e-negocios/pt-br/empreendedor.

Formalização

A inscrição como MEI é gratuita e pode ser feita online, através do Portal do Empreendedor. 

Ele obtém um CNPJ, o que permite abrir conta bancária em nome da empresa, emitir notas fiscais e participar de licitações públicas.

Benefícios previdenciários

Conforme já mencionado, a categoria tem acesso ao INSS. 

O microempreendedor pode se aposentar por idade após 65 anos (homens) ou 60 anos (mulheres), receber auxílio-doença em caso de doença ou acidente, salário-maternidade (120 dias) e pensão por morte (para seus dependentes).

Outras vantagens

O MEI tem acesso a linhas de crédito específicas, com juros mais baixos e prazos de pagamento mais longos.

Ele pode contratar um funcionário e oferecer a ele os mesmos benefícios previdenciários a que tem direito. 

Por fim, também pode participar de licitações públicas e ter acesso a ferramentas para facilitar a gestão fiscal.

Qual é o valor da contribuição mensal? E da aposentadoria? 

O valor do DAS varia de acordo com a atividade exercida pelo MEI e o valor do salário mínimo vigente. 

De forma geral, a categoria deve pagar 5% do salário mínimo federal vigente, além dos tributos. 

O documento simplifica o processo, garantindo uma carga tributária e contribuição previdenciária reduzidas. 

O valor dos benefícios do INSS para a categoria correspondem ao piso da autarquia. 

Veja também: INSS e o pedido do auxílio-doença através dos Correios