Anvisa proíbe a venda de mais um tipo de ALIMENTO; você já deve ter comprado!

A Anvisa poribiu a vende de um lote de sal vendido pela rede gigante de supermercados Carrefour por não apresentar a quantidade mínima de iodo. Entenda o caso.

Com base numa fiscalização recente, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) proibiu as vendas de determinado lote de sal produzido pela marca Carrefour.

A razão? O produto não apresentava a quantidade mínima de iodo exigida. A medida, publicada na quarta-feira (5), no Diário Oficial da União, não se limitou à proibição de comercialização. A Anvisa também pediu o recolhimento imediato do lote 22992.

Sal do Carrefour fora dos padrões da Anvisa
Sal do Carrefour fora dos padrões da Anvisa. Foto: Divulgação

Sal do Carrefour fora dos padrões da Anvisa

Desde a década de 1950, o sal destinado ao consumo humano deve conter iodo. Atualmente, uma lei determina que a quantidade daquela substância presente no sal deve variar entre 20 e 60 partes por milhão (ppm). A deficiência de iodo no sal pode levar a distúrbios de saúde. Entre eles, anomalias congênitas, bócio (hipertrofia da glândula tireoide) e problemas de desenvolvimento físico e neurológico.

O Carrefour, por sua vez, garantiu que, durante os testes realizados em maio, as amostras estavam dentro dos parâmetros esperados pela Anvisa. Mesmo assim, o grupo providenciou a retirada do lote em questão.

Mas a Anvisa e o Carrefour estão no centro de outra questão. A coalizão conhecida como Cidadania, Antirracismo e Direitos Humanos optou por processar juridicamente o Carrefour devido alegações de tortura contra um casal negro no estado da Bahia. O grupo é formado pelas entidades Soueuafrobrasileira (SP), Movimento de Direitos Humanos (TO) e Maria Mulher (RS).

O incidente ocorreu no Big Bompreço, uma filial do Grupo Carrefour, em Salvador (BA), em 5 de maio. O casal, identificado como Jamile e Jeremias, foi insultado e humilhado por seguranças. A acusação era de tentativa de furto de sacos de leite em pó. Em seguida, uma gravação que acabou compartilhada via redes sociais exibe o casal sendo agredido fisicamente no estacionamento da loja, com tapas no rosto, de acordo com a filmagem.

Estes incidentes destacam a importância da vigilância e da responsabilidade corporativa na proteção dos direitos dos consumidores e dos cidadãos. A Anvisa, como órgão regulador, tem o dever de garantir a qualidade dos produtos disponíveis para o consumo.

Veja também: Anvisa determina SUSPENSÃO desta marca de leite FAMOSA; entenda o motivo

Consequências para a saúde de consumo de sal fora dos padrões

O Carrefour, como uma das maiores redes de supermercados do mundo, tem a responsabilidade de garantir a qualidade de seus produtos e o respeito aos direitos humanos em todas as suas operações.

O iodo é um micronutriente essencial para a saúde humana. Sua deficiência pode levar a distúrbios graves. Entre eles, anomalias congênitas, bócio (hipertrofia da glândula tireoide) e problemas de desenvolvimento físico e neurológico. Portanto, o consumo de sal fora dos padrões da Anvisa pode ter consequências sérias para a saúde.

Portanto, a agência tem um papel crucial na proteção da saúde dos consumidores. E, como vimos, não hesita em tomar medidas quando necessário. Seja na proibição de um lote de sal, seja na supervisão da qualidade dos produtos disponíveis no mercado.

Em suma, se uma empresa não se adequa às regras da Anvisa, ela enfrenta consequências severas. Estas podem incluir multas pesadas, proibições de venda e até mesmo o fechamento do negócio. Além disso, a reputação da empresa pode ser seriamente danificada, resultando em perda de confiança do consumidor e impacto negativo nas vendas.

Portanto, a conformidade com as diretrizes da Anvisa é essencial para a sustentabilidade e sucesso de qualquer empresa, ainda mais como uma gigante no setor de alimentos como o Carrefour.

Veja também: Você costuma misturar produtos de limpeza? Anvisa emite comunicado PREOCUPANTE!