3 coisas que podem AUMENTAR o salário de todo trabalhador brasileiro; confira!

Trabalhador brasileiro no regime CLT tem direitos garantidos e modos de aumentar o salário

Coisas que podem aumentar o salário do trabalhador brasileiro – Todos os trabalhadores brasileiros que tenham Carteira de Trabalho assinada são regidos pela Consolidação das Leis do Trabalho (CLT). Isso quer dizer que todos possuem direitos e deveres, que precisam ser preservados.

3 coisas que podem AUMENTAR o salário de todo trabalhador brasileiro; confira!
Trabalhador brasileiro no regime CLT tem direitos garantidos e modos de aumentar o salário Crédito: @jeanedeoliveirafotografia / pronatec.pro.br

Coisas que podem aumentar o salário do trabalhador brasileiro

Dessa forma, os contratantes também ficam segurados, mas precisam seguir as leis. Entre os artigos que fazem parte da CLT há alguns que tratam sobre os adicionais que incidem na folha de pagamento e podem elevar o salário dos contratados.

Veja também: Saque LIBERADO? Trabalhadores podem resgatar até R$ 6,2 MIL através do FGTS

Muita gente ainda desconhece esses adicionais. Por isso, veja nesta matéria as informações sobre essas modalidades.

1- Adicional da hora extra

Conforme a Lei, a jornada de trabalho máxima não pode passar de oito horas diárias ou quarenta e quatro (44) horas semanais. Assim, é considerada hora extra aquela que ultrapasse essa jornada legal e, portanto, deve ser remunerada com acréscimo de, pelo menos, 50% a mais do que o valor da hora que o trabalhador recebe normalmente. Os empregados que não contem o intervalo do almoço (período intrajornada) liberado pelo empregador também possuem direito a receber esse período como hora extraordinária. Para o empregado que trabalha aos domingos ou feriados, a hora extra deve ser o dobro do valor da hora de trabalho regular.

2 – Adicional de sobreaviso

O empregado efetivado que permanece aguardando o momento de chamado para o serviço é considerado de trabalho de sobreaviso, de acordo com a CLT. O sobreaviso é considerado como tempo de serviço remunerável, já que implica no cerceamento do repouso ou da liberdade daquele empregado. Para que seja caracterizado o sobreaviso, é importante que haja a expectativa de chamada para o serviço, acordada entre contratante e o empregado. A permanência em local de trabalho sem acordo prévio e expectativa não caracteriza um sobreaviso.

As horas do adicional de sobreaviso são contadas como 1/3 da hora do salário normal cada.

3 – Adicional Noturno

Horário noturno é caracterizado pelo trabalho urbano exercido no período entre 22h e 5h do dia seguinte. Para trabalhadores rurais, o trabalho noturno diz respeito ao período entre 21h e 5h do dia seguinte. Conforme a CLT, a hora noturna tem redução para 52 min e 30 segundos, inclusive no caso  da computação de horas extras.

O pagamento noturno deve ser superior ao diurno, uma vez que essa jornada apresenta a desvantagem de exercer a atividade no período em que ocorre o sono reparador. O adicional noturno tem o valor de 20% aos trabalhadores urbanos e de 25% para os trabalhadores rurais. Esse adicional também é aplicável às horas extras, quando elas forem necessárias.

Outras situações

4 – Adicional de Insalubridade

São consideradas atividades insalubres aquelas que possam expor os funcionários a agentes nocivos à saúde, acima dos limites de tolerância em razão do tempo de exposição, natureza e intensidade de tais agentes.

No caso das insalubridades de grau máximo, o trabalhador tem direito ao adicional de 40% sobre o salário regular. No caso dos graus médio e mínimo, os percentuais passam para 20% e 10%, respectivamente.

Iluminação insuficiente nos locais de prestação de serviço, atividades a céu aberto e atividades de coleta de lixo não são consideradas insalubres.

5 – Adicional de Periculosidade

Atividades ou operações perigosas são aquelas que, pela natureza ou métodos de trabalho, impliquem no risco acentuado em virtude da exposição permanente do trabalhador a inflamáveis, explosivos ou energia elétrica, radiações ionizantes ou substâncias radioativas, roubos ou outras espécies de violência física nas atividades profissionais de segurança pessoal.

Uma vez observado um fato gerador de atividade perigosa, haverá o adicional de 30% da remuneração, em condições normais afora a de perigo, independentemente do tempo de exposição, eventual ou não, uma vez que o sinistro não costuma avisar a hora de sua ocorrência.

6 – Adicional de Transferência

Esse tipo de adicional é pago quando o empregador transfere provisoriamente o empregado para uma localidade diferente da que consta no contrato. A transferência é caracterizada por uma mudança de domicílio. Mudar do local de trabalho sem que isso implique em uma mudança de domicílio não configura transferência. Assim, o contratante deverá fazer um pagamento adicional de 25% do salário que pagava na localidade a partir da qual houve a transferência, enquanto durar a situação.

Veja também: Brasileiros que não ficarem atentos a ESTE detalhe podem perder benefício do INSS; entenda